Início » Economia » Nacional » Joaquim Barbosa condena 12 e reafirma compra de votos
julgamento do mensalão

Joaquim Barbosa condena 12 e reafirma compra de votos

Deputados do PTB, antigo PL, PP e PMDB estão entre os condenados

Joaquim Barbosa condena 12 e reafirma compra de votos
Segundo Barbosa, parlamentares agiram como mercadorias (Reprodução/O Globo)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

O ministro-relator do julgamento do mensalão, Joaquim Barbosa, votou pela condenação de 12 réus, concluindo seu voto sobre a primeira parte do item do processo que trata sobre a denúncia da compra de apoio político no Congresso. Valdemar Costa Neto, Jacinto Lamas, Pedro Corrêa, Pedro Henry e João Cláudio Genu (todos ligados ao antigo PL, atual PR) foram condenados pelos crimes de formação de quadrilha, corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Enivaldo Quadrado e Breno Fischberg, intermediários dos repasses, por formação de quadrilha e lavagem de dinheiro; Bispo Rodrigues, por corrupção passiva e lavagem de dinheiro; Roberto Jefferson, Romeu Queiroz (ligados ao PTB), por corrupção passiva e lavagem de dinheiro; Emerson Palmiere por corrupção passiva; e José Borba (PMDB) por corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

Leia também: Por falta de mordomo, a culpa é do PSDB!
Leia também: STF deve julgar Dirceu às vésperas das eleições
Leia também: Barbosa afirma que PL participou do mensalão

Segundo o ministro, os parlamentares agiram como “verdadeiras mercadorias” ao vender sua fidelidade parlamentar ao governo e atuaram de forma criminosa ao receber dinheiro desviado de Marcos Valério, que fazia pagamentos a mando de Delúbio Soares, ex-tesoureiro do PT.

Barbosa também afirmou que o pagamento a partidos da base financiou também a compra do passe dos deputados de outros partidos, inclusive da oposição, e foi usado para inflar a sustentação do governo Lula. Segundo ele, as bancadas do PTB e extinto PL dobraram de tamanho e a do PP cresceu 30% no período dos repasses.

Joaquim Barbosa passou a palavra para o ministro Ricardo Lewandoswki iniciar a leitura de seu voto ainda nesta quinta-feira, 20.

 

 

Fontes:
O Globo-Barbosa condena 12 réus e reafirma tese da compra de votos

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *