Início » Brasil » Política » Jobim deixa Defesa e Amorim assume a pasta
Mais uma mudança

Jobim deixa Defesa e Amorim assume a pasta

Permanência de Nelson Jobim no Ministério da Defesa ficou insustentável

Jobim deixa Defesa e Amorim assume a pasta
Jobim apresentou seu pedido de demissão nesta quinta (Fonte: Reprodução/Reuters)

Após declarações polêmicas envolvendo o governo Dilma Rousseff, incluindo uma entrevista concedida à revista Piauí na qual teria disparado críticas contra colegas de governo, Nelson Jobim apresentou seu pedido de demissão nesta quinta-feira, 4, do cargo de ministro da Defesa.

Leia também: Jobim nega ter criticado ministros em reportagem

Jobim, que é filiado ao PMDB, nega ter dito à revista que a ministra das Relações Institucionais, Ideli Salvatti, é “muito fraquinha”, e que Gleisi Hoffmann, substituta de Palocci na Casa Civil, “sequer conhece Brasília”, considerando essas informações como “parte de um jogo de intrigas”.

O fato é que a permanência de Jobim no Ministério da Defesa ficou insustentável. A decisão de deixar o cargo foi anunciada por Nelson Jobim após uma reunião com a presidente Dilma Rousseff, que considerou suas declarações “deselegantes”. Entretanto, essa não foi a única declaração de Jobim que incomodou o governo. Recentemente ele disse que nas últimas eleições presidenciais votou em José Serra, e não em Dilma Rousseff.

Terceira mudança

Celso Amorim assume a Pasta (Fonte: Reprodução/O Globo)

Trata-se da terceira mudança de comando no primeiro escalão do governo Dilma em sete meses: em junho, Antonio Palocci deixou a Casa Civil, e em julho, Alfredo Nascimento saiu do Ministério dos Transportes.

Com a saída de Jobim, a presidente Dilma Rousseff nomeou o diplomata Celso Amorim, que é filiado ao PT, como o novo ministro da Defesa do país. Ainda não há previsão sobre a posse de Amorim.

Fontes:
Reuters - Jobim pede demissão do Ministério da Defesa e Amorim assume
G1 - Exoneração de Jobim é publicada no 'Diário Oficial da União'

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

7 Opiniões

  1. Romualdo de Queirós Mattosos disse:

    Que bom, agora seremos invadidos pelo Irã, Venezuela, Bolívia, Siria, Coréia do Norte e Libia, todos amigos da política externa do Sr Amorim. Sai JOBIM, ENTRA AMORIM, AI DE MIM!

  2. Markut disse:

    Esta é uma guerra subterrânea, à qual, nós pobres mortais, não temos acesso. Se já era extranho um jurista , como comandante das forças armadas, tão extranho quanto será um diplomata.
    Serão as razões que a própria razão desconhece?
    O que menos há nesse affair é a transparência.
    Seriam , por acaso, razões de Estado , naturalmente mais discretas? Ou seria, o mais provavel, a mixórdia de uma governança sem rumo, guiadas apenas por jogadaas partidárias, de preservação do poder político, a todo custo?
    A opinião pública, ansiosa, aguarda mais pistas.

  3. Roberto Santiago disse:

    No pós-guerra, um lider da resistência francesa e também ex-presidente da França, nos fez “engolir” uma, digamos, “premonição” pouco lisonjeira, quando disse, referindo-se ao Brasil: “Esse País não é sério!”… e “engolimos” direitinho, sem tugir nem mugir. Agora, “enfiam-nos, goela abaixo” uma nomeação de quem é, notoriamente, simpatizante de certos regimes de exceção, como o cubano, o iraniano, o norte-coreano e outros assemelhados… o sr. Amorim!!! E os nossos militares vão, também, “engolir” direitinho… sem tugir nem mugir, afinal, já estão “acostumados” e “amolecidos” previamente!

  4. Carlos U. Pozzobon disse:

    Jobim recebeu o que merecia. Quem manda falar mal DELAS! Ontem eu havia previsto que ele seria jogado como Falstaff em um cesto de roupas sujas no lago Paranoá. Minha previsão era para alguns dias e não para alguns minutos depois. Fiquei perplexo. Agora, o AMORIM que se cuide e trate de ser mais ‘elegante’ com as alegres comadres do Planalto.

    Tendo todas as incapacidades natas para o cargo, deverá se revelar um grande estrategista, pois nascido em Santos, certamente vai propor exercícios navais conjuntos no Atlântico Sul com as marinhas da Venezuela e do Irã e criar uma Confederação Sul-Sul das forças armadas imbatíveis.

    Enquanto isso, Jobim, que — ao contrário de Ninotchka — conhece muito bem Brasília, volta a advogar com grande desenvoltura processos de grandes empresas junto ao Supremo. E depois de acumular muitos sucessos causídicos e novamente entrar em melancolia profunda na nova profissão, vai lançar-se ao governo do distrito federal para voltar a imprensa como o príncipe Camaleão I, se não aparecer coisa mais fina, mais acima, mais importante para um Falstaff tropical.

  5. Paulo Fernando disse:

    O fato de Jobin ter falado que votou no Tucano, como afirma este veiculo de comunicação ao meu ver não poderia ser o motivo para requerer dele o cargo que lhe foi ofertado de Ministro da Defesa, porque Democracia é afinal de contas a convivencia de todos os partidos ajudando na governabilidade.

  6. ZUKA disse:

    CELSO AMORIM NÃO CABE NA FARDA DE NELSON JOBIM (CELSO AMORIM É MUITO PEQUENININHO)….PARA NOSSO PAÍS. O brsileiro não tem memória MESMO….. HA COLOMBIA INCAMPOU HA PETROBRAS NO SEU PAÍS….MILHÕES DE DÓLARES DO SUOR DOS BRASILEIROS FORAM DADOS AOS COLOMBIANOS… AMORIM FEZ CORPO MOLE E FICOU TUDO PARA OS VISINHOS NÃO GRATOS. COLOMBIANOS,ESTES QUE HOJE AINDA TEM HA PACHORRA DE LEGALIZAR OS CARROS ROUBADOS NO BRASIL…SEM CONTAR AS SAIAS E CALÇAS JUSTAS, NO ORIENTE MÉDIO…SUJOU!!!!!!!!!!MAIS AINDA NOSSA IMAGEM PELO MUNDO .SUJOU….SUJOU!!!!OS BRASILEIROS MERECEMMMMMMMMMMMM!

  7. JULIO EDMOND disse:

    UM CRÁPULA ASSUMINDO O MINISTÉRIO DA DEFESA…É DEMAIS.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *