Início » Brasil » Política » Khadafi é acusado de ordenar estupros em massa
Líbia

Khadafi é acusado de ordenar estupros em massa

'Hoje estamos em condições de confirmar que tem havido uma política de estupro na Líbia', disse procurador do TPI

Khadafi é acusado de ordenar estupros em massa
Khadafi: 'estupro como arma de guerra' (Fonte: AFP)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

O procurador do Tribunal Penal Internacional (TPI), Luis Moreno-Ocampo, disse nesta quarta-feira, 8, que há provas de que o ditador líbio Muammar Khadafi ordenou a seus soldados realizarem estupros em massa e ainda que ele teria distribuído drogas sexuais, como Viagra, para suas tropas.

“As violações são uma nova forma de repressão. Hoje estamos em condições de confirmar que tem havido uma política de estupro na Líbia”, disse Luis Moreno-Ocampo, que agora aguarda uma decisão dos juízes sobre seu pedido para qualificar os crimes de Muammar Khadafi como “crimes contra a humanidade”.

‘Estupro como arma de guerra’

O promotor disse ainda que evidências sugerem que o ditador líbio decidiu punir as mulheres usando o “estupro como arma de guerra” a fim de tentar amedrontar e enfraquecer a dissidência. O governo da Líbia não se pronunciou a respeito das acusações.

Luis Moreno-Ocampo ressaltou, no entanto, que é difícil identificar o número de casos de estupro e que a questão é se esse crimes poderão ser atribuídos “ao próprio Khadafi”. Testemunhas confirmaram que o governo líbio comprou contêineres de medicamentos para “aumentar a possibilidade de estupro”.

Leia mais:

Filha de Khadafi apresenta denúncia contra Otan

Otan intensifica bombardeios na Líbia

Fontes:
Terra - Kadafi promoveu estupros em massa na Líbia, diz tribunal
A Bola - TPI diz que Kadhafi ordenou violações
Estadão - Kadafi é investigado por 'uso do estupro como arma de guerra'

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *