Início » Brasil » Política » Líbia: Reino Unido libera R$ 1,6 bi
Negócios

Líbia: Reino Unido libera R$ 1,6 bi

Anúncio foi feito pelo premier David Cameron, que chegou a Trípoli sob forte esquema de segurança

Líbia: Reino Unido libera R$ 1,6 bi
Em Trípoli, premier britânico pedem prisão de Khadafi. (Reprodução/G1)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Um porta-voz do premier David Cameron afirmou nesta quinta-feira, 15, que o Reino Unido pretende liberar mais de 600 milhões de libras esterlinas (cerca de R$1,6 bilhão), em fundos para a Líbia. Por causa do regime de Muammar Khadafi, cerca de 12 bilhões de libras de ativos líbios foram congelados por causa das sanções impostas em fevereiro e março pelas Nações Unidas.

Leia também:  Para Vladimir Putin, David Cameron é um idiota útil

O CNT, que reúne as novas autoridades líbias, pediram recentemente uma ajuda de emergência de US$ 5 bilhões. No fim da Conferência de Amigos da Líbia em Paris, que ocorreu no último dia 1º, o presidente francês, Nicolas Sarkozy , anunciou o desbloqueio imediato de US$ 15 bilhões de bens congelados de Khadafi. O anúncio foi feito quando Cameron chegou a Trípoli sob forte esquema de segurança, ao lado de Sarkozy, a fim de negociar com os líderes do novo regime  — os mesmo que derrubaram o ditador, há três semanas.

Sarkozy, em uma entrevista conjunta com Cameron em Trípoli, pediu que não haja “vingança” nem “ ajustes de contas” na Líbia entre as facções pró e antiKhadafi. Ele também pediu a países que receberam membros do antigo regime que os entreguem à Justiça internacional.

“O senhor Khadafi deve ser preso e todos aqueles que são acusados (de crimes) sob jurisdição internacional devem ser responsabilizados pelo que fizeram”, declarou Sarkozy, em discurso na capital líbia.

Fontes:
G1 - Reino Unido vai liberar mais R$ 1,6 bi para o novo governo da Líbia

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *