Início » Notícia » MP quer banir dicionário Houaiss por racismo
expressões 'pejorativas'

MP quer banir dicionário Houaiss por racismo

Para órgão, dicionário contém expressões 'pejorativas e preconceituosas' relativas aos ciganos

MP quer banir dicionário Houaiss por racismo
Dicionário Houaiss pode sair de circulação (Fonte: Reprodução/Veja)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

O Ministério Público Federal (MPF) quer tirar de circulação o tradicional dicionário Houaiss. O órgão entrou com uma ação na Justiça Federal em Uberlândia (MG) sob a justificativa de que o dicionário contém expressões “pejorativas e preconceituosas” e pratica racismo contra ciganos.

De acordo com o MPF, a publicação não alterou o texto, conforme havia sido recomendado.

Preconceito à etnia

Em 2009, uma pessoa de origem cigana apresentou queixa à Procuradoria da República afirmando que parte dos dicionários brasileiros continha preconceito em relação à sua etnia.

O MPF diz que desde então foram encaminhados “diversos ofícios e recomendações” às editoras para que alterassem seus textos. O pedido foi atendido pelas editoras Globo e Melhoramentos.

A Editora Objetiva, por sua vez, disse que não poderia fazer a alteração porque a publicação é editada pelo Instituto Antônio Houaiss e que ela apenas detém os direitos relativos à publicação.

Agora o MPF quer que a Justiça determine a imediata retirada de circulação, suspensão de tiragem, venda e distribuição do dicionário.

Indenização por danos morais coletivos

“Ao se ler em um dicionário, por sinal extremamente bem conceituado, que a nomenclatura cigano significa aquele que trapaceia, velhaco, entre outras coisas do gênero, ainda que se deixe expresso que é uma linguagem pejorativa, ou que se trata de acepções carregadas de preconceito ou xenofobia, fica claro o caráter discriminatório assumido pela publicação”, explica o procurador Cléber Eustáquio Neves.

O MPF também quer que a editora e o instituto paguem uma indenização de R$ 200 mil por danos morais coletivos.

Fontes:
Uol - MPF quer tirar de circulação o dicionário Houaiss

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

19 Opiniões

  1. Carlos U. Pozzobon disse:

    Uma vergonha esse Ministério Público. O que existe na cultura não pode ser banido. O que se deve fazer é educar as pessoas para não usar expressões pejorativas. Só isso e nada mais. Mas se elas estão na cultura significa que estão na literatura e, portanto, o MPF deveria sair queimando livros em proporções gigantescas, uma vez que não são poucos os nossos autores que usam tais expressões no âmbito da ficção. Portanto, em se tratando de uma medida descabida e movida por pruridos moralistas, calcadas em argumentos de uma carência de autoestima gritante, sugiro que no lugar do dicionário, sejam banidos os procuradores do Ministério Público por insuficiência intelectual e moral para a função.

  2. TARCISIO NEVIANI disse:

    Outra manifestação de histeria anti-racista. Estou de acordo com Carlos Pozzobon. Omitir em um dicionário as acepções mesmo que pejorativas de uma determinada palavra é tornal o dicionário incompleto e inútil. No Rio de Janeiro foi corrente o uso da palavra “polaca” para designar prostitutas. E daí? Por isto todos os poloneses vão ter que se sentir ofendidos e termos de apagar da historia da lingua esta acepção? Outro exemplo: “negão” é um palavra que querem banir, mas a mesma palavra é muitas vezes usada em tom carinhoso, amistoso e jocoso. O MP não tem nada mesmo a fazer de melhor? Por que, como contribuintes, devemos pagar o salário opíparo desses senhores que nada de melhor têm a fazer?

  3. Salim disse:

    Concordo plenamente com a atitudo do MPF e nao tenho duvida de sua vitoria nesta açao judicial.. A definiçao de Houaiss e uma Apologia ao xenofobismo. Como educar as pessoas se estas ao recorrer ao dicionario encontram no significado da palvra uma grosseira distorçao do seu sentido sugerindo preconceito?. A eliminaçao do pejorativo na definiçao classica das palavras tem de ser dada pelos proprios educadores e no conteudo dos seus livros.

  4. Iva disse:

    Falta do que fazer, agentes do MP deviam era botar trabalho no corpo, em vez de ficar fazendo esse tipo de coisa. Com tanta gente discriminada em filas de emergências de Hospitais públicos, eles ficam atrás desse tipo de coisa. Além disso, quantos brasileiros tem acesso a esse dicionário? quantos são anlfabeto ou analfabetos funcionais? Tenham dó da minha paciência, senhores procuradores.

  5. Rudy Lang disse:

    Logo, logo vão querer banir a palavra PRETO porque a física diz que preto não é uma cor e sim ausência de luz. E o vocábulo MORENO, pois serve para identificar pessoas com pele de cor negra.
    Ler MEIN KAMPF, então, nem pensar. E assim vamos indo, passo a passo, rumo às trevas da Santa Inquisição.
    O próximo passo será publicar um INDEX, nos dizendo que palavras (e livros) poderemos usar ou não. Que que é isso?????
    Já vejo os bombeiros de Farenheit 451 tacando fogo em livros, enquanto a base comandante Ferraz arde em fogo pois a Marinha Brasileira não recebe recursos para a sua manutenção.
    Credo! E eu pensei que já estava no século 21.
    Esses caras, por acaso, são esquerdistas?

  6. Endrius Lopes disse:

    Preconceito no próprio dicionario…Quem diria não ? Um instrumento usado para esclarecer duvidas ,não só de crianças mas de jovens e adultos ,mostrando claro preconceito. Bela atitude do MPF que com certeza terá exito .

  7. Carlos Henrique disse:

    A Idade das trevas é agpora. Pelo visto já entramos na verdadeira Idade das Trevas, e já com direito a ter a Santa Inquisição, e tendo como inquisidores o Ministério Público Federal, os Procuradores e Promotores, e com direito a ter uma fogueira inquisitorial para queimar livros e caçar ás bruxas.
    E antes que eu me esqueça: O Brasil como sendo o País a Sancionar a primeira Santa Inquisição dos Tempos Modernos.
    Pelo visto daqui a pouco teremos gente sendo queimadas na fogueira por aqui a mando do MPF, do ativismo gay, e agora também a mando dos ciganos que se acharem vítimas do preconceito.
    A que ponto chegamos? Alguém ainda duvida que estamos numa ditadura? Ah! mas têm o voto, e podemos votar. Voto? Oras, até em ditaduras pode haver o direito ao voto, e ter direito ao voto não significa democracia alguma a não ser na cabeça de estúpidos intelectuais esquerdistas. Pode-se ter numa ditadura o direito ao voto, que isto no vai significar que a ditadura esteja a se abrir a democracia.

  8. JCardoso disse:

    O MP está entrando no onda do denuncismo preconceitual.Agora tudo é preconceito. O preconceito está na mente mórbida de quem não tem o que fazer.Agora teremos de revisar e revogar tudo que existe nos livros, dicionários, letras musicais etc. referentes a supostas formas pejorativas usuais do cotidiano da vida humana?

  9. Sandra disse:

    Caminhamos a passos largos para a idade das trevas , com direito a queima de livros e caça às bruxas condenado-as a fogueira!Não é a primeira vez e nem será a última que um bando de burocratas do MP quer aparecer as custas de alguma atitude obscurantista desse calibre.Lá se vão 10 anos de Brasil petista, com doutrinação nas cartilhas escolares, deseducando toda uma geração que vai aprender história erradamente e agora querem censurar o dicionário, a lingua portuguesa também? É o fim do mundo!

  10. Luiz A. F. Ramos disse:

    Tanta coisa mais importante para resolver, mas o MPF vem com essa lenga-lenga de racismo. Acionem a punição da corja de ladrões que infesta este País, a começar pelos Ministros demitidos por corrupção mas que voltam para seus antigos ninhos públicos, à custa da população. De fato somos um País de gente sem vergonha.

  11. Caio disse:

    Continue assim, MPF, e vocês transformarão o português em algo como a Novilíngua do Orwel.

  12. Regina Caldas disse:

    felizmente não comprei este dicionário. Imagino que além deste erro grosseiro em relação aos ciganos, devem constar outros tão graves quanto este. Irresponsaveis!

  13. Bernadete Lage Rocha disse:

    Ajudem-nos divulgando a situação deles.
    A Toda Sociedade Brasileira.
    Abaixo, manifesto nacional por melhoria da condição de um povo com o estigma doloroso de vidas – 800000 pessoas, 90% analfabetos, segundo o IBGE – relegadas ao abandono e à execração pública diária. Resolvemos apelar para a compaixão e a responsabilidade civil de todos os segmentos da sociedade, por puro cansaço de anos de tentativa inglória de amenizar a dor do despertencimento.
    Estamos enviando-lhes este manifesto de pedido de socorro imediato ao Povo Cigano, para que todos se sensibilizem e interfiram junto aos órgãos competentes, para incluí-los nas políticas públicas de saúde, educação, erradicação da miséria e de comportamentos preconceituosos que causam tanto sofrimento a esses seres à margem da vida.
    Nós, voluntários do Conselho dos Direitos da Criança e do Adolescente, APAC, Casa de Passagem, e na cidade de Viçosa, Minas Gerais, além do Forum Mundial Social – Mineiro e diversas outras entidades requeremos as medidas emergenciais de inclusão destes brasileiros, que já nascem massacrados pelo fardo vitalício da dor do aviltamento e segregação atávica em nossa sociedade, desabrigados que são da prática do macroprincípio da dignidade da pessoa humana, telhado da Constituição.

    Cliquem no link abaixo, no artigo da SEPPIR, que confirma a situação deles.
    http://noticias.r7.com/brasil/noticias/falta-de-politicas-publicas-para-ciganos-e-desafio-para-o-governo-20110524.html
    Se nosso país tornou-se referência em crescimento econômico, certamente conseguirá sê-lo também em compaixão e acolhimento dessa causa universal.
    DE GENTE ESTRANHA, em caravana.
    Dolorosamente incômoda.
    Ciganos. Descobrimos, perplexos, que suas famílias são excluídas dos programas de bolsa-família, saúde, educação, profilaxia dentária, vacinas etc. Sua existência se torna mais dramática, pois não conseguem os benefícios do governo por não terem endereço fixo. Segundo o IBGE, são cerca de 800.000, 90% analfabetos.
    Há seis anos, resolvemos visitar um acampamento em Teixeiras, perto de Viçosa. E o que vimos foi estarrecedor: idosas, quase cegas, com catarata. Pais silenciosamente angustiados, esperando os filhos aprenderem a ler em curto espaço de tempo, até serem despejados da cidade. Levamos ao médico crianças que “tinham problema de cabeça”. E eram normais. Apenas sofriam um tipo diferente de bullyng, ignoradas, invisíveis que são. E descobrimos também que os homens, em sua maioria, jamais saem das barracas, onde ficam fazendo escambo, artesanato- e não entram em farmácias, supermercados, lojas, pois entendem que a sociedade incluída só não bate em mulheres e crianças. Vimos chefes de família com pressão altíssima e congelados pelo medo de deixarem os seus ao desamparo.
    Vida itinerante. Numa bolha, impermeável. Forasteiros no próprio país. Dor sem volta. Passamos a visitar todos que aqui vem. E a conviver com o drama de mulheres grávidas, anêmicas e sem enxoval. Crianças analfabetas aos dez, onze anos.
    Como pessoas reféns do analfabetismo, execradas publicamente todos os dias de suas vidas, amordaçadas pelo preconceito e com filhos para alimentar conseguirão lutar por algo? Vide a Pirâmide de Maslow. Quem tem que gritar somos nós. Para eles não sobra tempo de aprender o ofício da libertação, já que são compulsoriamente nômades – sempre partem porque os donos dos terrenos ou algum prefeito pressionado expede a ordem de saída.
    A gente descobre, atordoada, que desde a primeira diáspora, quando passaram a viver à deriva, sempre expulsos, eles vivem numa cápsula do tempo. Conservam os mesmos hábitos daquela época, ou seja, sociedade patriarcal, vestuário, casamento prematuro, a prática de escambo e a mesma língua dos antepassados. Tudo isto PORQUE NÃO PARTICIPAM DAS TRANSFORMAÇÕES DA CIVILIZAÇÃO. Jamais tem acesso às benesses das pesquisas tecnológicas e científicas, aos programas governamentais de erradicação da miséria, às celebrações civis agregadoras ou sequer a proposta de ao menos um olhar de compaixão.
    E, então, “civilizados” que somos, cristãos ou não, que gritamos por nossos direitos, que votamos a favor ou contra, que existimos, continuaremos a dormir em paz?
    Agradecemos a todos que se sensibilizarem com a causa.
    Respeitosamente,
    Profª.Bernadete Lage Rocha
    l.bernadete@yahoo.com.br
    031-88853369
    Voluntariado:
    APAC – Viçosa-MG
    Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente
    Conselho de Segurança Alimentar
    MULHERES PELA PAZ
    PASTORAL NÔMADE

  14. acm disse:

    Eis alguns FATOS sobre o assunto:

    A. Dicionário Michaelis (www.babylon.com): Cigano: Subst. 3. Sujeito que faz negócio de compra e venda de animais, porém sempre de má-fé. Adj. 3. Chicaneiro, trapaceiro. 4. Impostor.

    B. Dicionário Houaiss (nov-2009, em papel e em CD): Cigano: 3. que ou aquele que tem vida incerta e errante; boemio. 4. aquele que faz barganha, que é esperto ao negociar.

    C. Dicionário Aurélio (www.babylon.com): Cigano: 3. Fig. Individuo boemio, erradio, de vida incerta. 4. Negociante esperto, vivo.

    D. Webster’s Revised Unabridged Dictionary (1913) (www.babylon.com): (traduzido): uma raça vagabunda, cujas tribos, vindas originariamente da Índia, entraram na Europa no século 14 ou 15, e estão agora espalhadas pela Turquia, Russia, Hungria, Espanha, Inglaterra etc. vivendo do roubo, advinhação, montando cavalos de corrida, funileiro ambulante etc. Cf. Boêmio, Romeno]

    E. Webster Third New International Dictionary (Encyclopaedia Britannica, 1966, em papel): (traduzido): Cigano: um dos povos causasoides escuros vindos originariamente da Índia e tendo entrado na Europa nos séculos 14 ou 15 que são agora encontrados na Turquia, Russia, Hungria, Espanha, Inglaterra e nos EUA, ainda mantendo de alguma forma sua vida intinerante e organização tribal e são conhecidos como advinhadores, comerciantes de cavalos, metaleiros e músicos.

    F. “França expulsa 93 ciganos de origem romena” (BBC Brasil, 19-ago-2010).

    G. “Ciganos romenos sofrem ataques na Irlanda do Norte” (BBC, 17-jun-2009).

    H. “Loja na Itália proíbe a entrada de ciganos” (Estadão, 24-fev-2012). A dona de uma loja em Vicenza, na Itália, decidiu colocar uma placa na entrada proibindo a entrada de ciganos. A mulher, que é alvo de diversos protestos por preconceito, alega um alto número de roubos praticados por eles. A comerciante é uma imigrante.

    Esses FATOS nos levam a algumas conclusões sobre o vocábulo:

    1. Quem critica o Houaiss não leu o Houaiss (B)

    2. O dic. Houaiss expressa aquilo que se diz sobre os ciganos, embora de forma atenuada (B)

    3. O dic. Aurélio é semelhante ao Houaiss (C)

    4. Os dic. Michaelis avança um pouco na conceituacao (A)

    5. O que se tenta agora no Brasil, já ocorreu com o Webster (D)(E)

    6. Embora os dicionários tenham atenuado a adjetivação, a imagem dos ciganos não continua boa (F)(G)(H)

    7. O “politicamente correto” que tem sido pretendido nada mais é do que a criação de uma novilingua, como já profetizado por George Orwell (1903-1950). Isto é a volta à Idade das Trevas e à Santa Inquisição Católica — aliás o atual papa foi o chefe do antigo Santo Ofício da Inquisição.

    8. Após fatos como esses, incluindo a vontade do PT de censurar os meios de comunicação, chegaremos a algo parecido com o ocorrido em 642 A.D. em Alexandria, quando o cálifa Omar ordenou incendiar a famosa biblioteca, dizendo: “Se os livros concordam com o Alcorão, não são necessários; se não concordam, então são heréti-cos”. Ou como ocorreu na falida URSS, quando a enciclopedia foi totalmente re-escrita e falsificada, para não contrariar os escritos de Marx, Lenin e Stalin.

    Historia magistra vitae.

  15. Ivo disse:

    Vamos nós para mais uma cota! Aí em baixo tem um comentário de uma pessoa que diz não ter comprado o dicionário, e pelo visto nem nunca viu ou manuseou um qualquer, e muito menos o Houaiss, e sai chamando os outros de irresponsáveis. Vá se informar antes de emitir opinião sem fundamento. Tanta falcatrua, tanto desmando, tantos outros problemas realmente relevantes e de maior prioridade para o MPF se manifestar, e fica dispendendo tempo e recursos com utopias.

  16. maria thereza disse:

    o maior absurdo que li este ano….ainda bem q o ano está apenas começando….Cigano…cigano….cigano….que bobajada é esta? O dicionário não é conceitual, é explicativa, é esclarecimento.Enfim ninguém tem mais nada de importante para discutir?

    o que seria desta frase: estou num dia negro…
    seria processada por racismo?

    e ainda: que judiação!!! seria processada por racismo?
    gente pára de tanta bobagen e de tão bobo melindre….chega.mth

  17. Carlos Henrique disse:

    Maria Thereza, sou negro e concordo contigo.
    Se só por dizer: “estou num dia negro” você ser processada por racismo só provaria a falta de bom senso que falta nesse país.
    Qualquer pessoa sensata ao ler essa frase: “estou num dia negro”, já pode entender que não está a se referir a pessoas de cor negra, mas está a se referir que o dia não foi um bom dia, mas que foi um dia péssimo, em que tudo parecia estar escuro, sem esperança alguma de ver uma luz no fim do túnel.
    Só uns analfabetos não entenderiam da forma como eu e você e muitas outras pessoas sensatas. Só uns analfabetos entenderiam tal coisa como racismo. Mas dizer que tive um dia negro nada têm a ver com racismo conforme bem já expliquei acima. Só falo isso para ficar bem claro o que já disse.

  18. Manuel Ramos disse:

    Essa polêmica tem a ver com o hipócrito sistema do politicamente correto…..não se pode dizer que a criança é deficiente, que fulano tal é negro. Agora é a censura por patetices…

  19. Roque disse:

    Trata-se do melhor dicionário da Língua Portuguesa já publicado no Brasil. Seria uma verdadeira aberração impedir sua circulação ou determinar que altere seu conteúdo. Sendo assim, a partir de agora só o MPF poderá publicar Dicionários da Língua Portuguesa. Será que o MPF não tem mais nada para fazer e com que se preocupar. A propósito, alguém sabe me informar em que planeta vivem esses membros do MPF responsáveis pela decisão?

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *