Início » Brasil » Política » Não há advogados o bastante?
The Economist

Não há advogados o bastante?

Barreiras contra a entrada na profissão mantêm o número de advogados artificialmente baixo*

Não há advogados o bastante?
Economistas acreditam que os EUA sofrem com a falta de advogados (Reprodução/Internet)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Os economistas norte-americanos Clifford Winston, Robert Crandall e Vikram Maheshri publicaram um livro no mês passado no qual argumentam que barreiras à entrada na advocacia mantiveram o número de advogados artificialmente baixo por décadas nos Estados Unidos. Isto, combinado a uma economia sobrerregulada por advogados que se tornam políticos, resultam num despropositado acréscimo aos salários dos advogados no país.

Três barreiras do lado da oferta são as mais importantes. A American Bar Association (OAB norte-americana) certifica faculdades de direito, e na maioria dos estados você  tem que ter se graduado em uma delas para praticar a advocacia. Os economistas observam que Abraham Lincoln, que exerceu a profissão por décadas, e Clarence Darrow, talvez o advogado criminalista mais famoso da história norte-americana, não se graduaram em faculdades de direito.

Exame da ordem

O segundo impedimento dos futuros advogados é o exame da ordem em si. Seus defensores dizem que o exame age como um controle de qualidade. Seus oponentes dizem que ele é um ritual esgotante, porém inútil. Os estudantes de hoje em dia pagam milhares de dólares para estudar para o exame da ordem, até mesmo depois de ter terminado a faculdade de direito. Mas até depois que eles passam, os chefes dos escritórios observam que o recém-formado ainda precisa aprender tudo sobre a prática do ofício.

Em 2000, o escritório de advocacia médio nos EUA  faturou US$ 191 mil. Números exatamente comparáveis são escassos, mas o salário médio para todos os advogados canadenses foi de apenas US$ 64 mil; na Austrália, esse número era de US$ 90 mil em 2000.Os advogados norte-americanos estão certamente colhendo algum tipo de benefício.

*Texto traduzido e adaptado pelo Opinião e Notícia

Fontes:
Economist - Not enough lawyers

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

1 Opinião

  1. Ana Lucia Machado Domingues disse:

    Não há advogados no mundo pois as nossa vida é autorizada a pior desgraça onde encontrar advogados somos perseguido ,será no mundo ou só em alguns lugares pra estudar então,varias vezes tentei encontrar solução nem mesmo na rede de internetn ,porque é o medo da verdade ou a vingança????As vezes pode ser tarde pois a vida vale mais que ??????

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *