article image
Psicóloga afirma que proibição não impede crimes
Tendências e Debates

O comércio de armas deve ser proibido no Brasil?

O debate sobre a proibição do comércio de armas volta a dividir a opinião pública. Por Roberta Hoertel

fonte | A A A

Em 2005, cerca de 64% da população brasileira optou por não proibir a comercialização de armas de fogo e munição em todo o território nacional, salvo para algumas entidades, como prevê o artigo 35 do Estatuto do Desarmamento, em vigor desde dezembro de 2003. Mais de cinco anos depois, o Rio de Janeiro fica marcado por uma tragédia, que deixou treze mortos em uma escola municipal de Realengo, e o debate sobre a proibição do comércio de armas volta a dividir a opinião pública.

Na última terça-feira, o presidente do Senado, José Sarney, propôs a realização de um novo referendo para consultar a população sobre a proibição da venda de armas. Sarney declarou não se importar com o último resultado, estando convencido de que agora a população pode ter outra opinião.

Episódios como o da escola em Realengo, que comovem a população e mobilizam autoridades e civis, pode ajudar a mudar o pensamento de muitos em relação à posse de armas. No entanto, no caso de Realengo, a proibição da venda de armas não teria impedido o atirador Wellington Menezes de Oliveira de adquirir os revólveres calibre 32 e 38 usados na ação. É o que garante a psicóloga Thereza Cristina Ribeiro, membro da Associação Internacional Psicanalítica (IPA). Ela explica que o crime foi realizado por um indivíduo mentalmente perturbado, e uma lei que proibisse a comercialização de armas não seria capaz de impedi-lo de realizar o que já pretendia.

- “Uma perturbação mental grave como se apresentou não é impedida apenas com o desarmamento. Tudo indica que era um esquizofrênico que funcionava de acordo com ideias delirantes, fora da realidade”.

Em debate no Senado, o assunto divide os partidos. Alguns senadores acreditam que a aprovação do plebiscito é uma decisão precipitada, e que o país pode não ter condições de executar a lei ainda este ano.  De acordo com Álvaro Dias, líder do PSDB no Senado, o país não possui os recursos orçamentários necessários para realização da consulta em outubro. Outros líderes, entretanto, defendem a proposta do plebiscito, desde que haja um amplo debate sobre o tema antes de sua realização.

Thereza explica que em um momento de grande comoção, é possível a mudança de opinião da população com relação ao tema. Entretanto, além de qualquer política pública com relação ao porte de armas, é preciso haver uma mudança de pensamento em cada indivíduo. “O desarmamento é imprescindível em todos os setores, porém enquanto existirem fábricas de armas, ele não acontecerá. O mais determinante é que o desarmamento comece dentro de cada pessoa”, explica a psicóloga.

Caro leitor,

Você é a favor de um novo referendo sobre o desarmamento?

Para você, o que deveria ser feito para a violência diminuir no Brasil?


De volta ao topo comentários: (48)

Sua Opinião

Nome (obrigatório)

E-mail (obrigatório)

Estado

Cidade

  1. André Vinícius Vieites disse:

    Para o que estão negociando, para dizer que o Jake Question Society vota não. Tudo bem então é não. O Conselho de Segurança da ONU recomendou o embargo de armas e munições e equipamento militar e dos materiais necessários à sua fabricação, e aí vem o Jake Question Society dizer que não. O fim desse episódico fator amar o próximo e não as armas, foi a fim de forçar o Brasil a fraquejar e dar cumprimento às resoluções da Organização Internacional. Esse objetivo é discutível, visto que o Jake Question Society diz que não. Pois então o objetivo fica claro para assumir uma desaceleração do comércio de munições nas Américas, mas não é só isso, o objetivo não foi ainda alcançado, apesar de várias iniciativas de fazer mais pelos outros do que para si próprio o formato de recomendações já vem sendo adotado pelo Uhfer Command contrário, o que quer dizer mais arma, mais munição e mais mortes nas ruas centrais das grandes metrópoles americanas, essas decisões são correntes e coerentes há mais de 25 anos de existência dentro do âmbito das Nações Unidas. O mecanismo de proporcional controle chamado de Uhfer Command decide quem morre mais e quem morre menos nas ruas da América do Sul, América Central e América do Norte. Não adiante sua preocupação, porque pessoas ainda vão morrer com tiros de pistolas automáticas nos complexos urbanos mundiais. Ass: André Vinícius Vieites

  2. Carlos Henrique Matos disse:

    Sim eu acho que quando se levanta uma polêmica, dessa é uma tentativa de manter a atenção das pessoas nisso, para que se possam fazer outras coisas sem que seja visto.
    Vamos prestar atenção, não no que está sendo dito e sim no que esta sendo feito.
    Grande abraço, e muita paz a todos!

  3. Carlos Henrique Matos disse:

    Sou contra o novo referendo sobre desarmamento, pois dúvido que leis proibicionistas impeçam com que criminosos se desarmem.

    E para que a violência diminua no Brasil, em primeiro lugar a educação, ela pode ser vista como um dos melhores remédios, mas não o único.
    Também podemos olhar com muito carinho para a descriminalização de drogas leves, ou seja, tiramos o dinheiro da mão dos bandidos de colarinho sujo.

  4. sonia maria rabello disse:

    Proibir não vai resolver coisa nenhuma, sempre haverá armas por aí, moramos no Brasil, e aqui entra armas de varias maneiras, BASTA do governo querer controlar o povo!
    O povo brasileiro é muito idiota e aceita tudo o que o governo quer, NÃO AO DESARMAMENTO!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

  5. Ary costa disse:

    60.000 morrem de acidente de transito neste pais, acho que devemos impedir a venda de carros neste pais.

  6. Ary costa disse:

    Voce deixaria uma família que vivem uma casa em plana área de selva perecer de fome por não ter o direito de possui uma espingarda? Para obterem o alimento para sua família.
    Ao meu ver, os assassinos que utilizam um révolver para matar o seu semelhante nas grandes cidades estão na mesma categoria dos que por ignorancia estão lutando para impedir a venda de armas neste país. NÃO SOU A FAVOR DE UM NOVO REFERENDO.
    A violencia caminha de mãos dadas com a impunidade, não é verdade? Quem é o responsável pela impunidade? E o cidadão contribuinte e livre deste país. A solução está em um governo fazer a gestão correta que nem existe nos países desenvolvidos na questão da segurança pública. Cada assassinato deve ser investigado e o criminoso preso. Aí, sim a violencia terá uma drástica redução.

  7. Ary costa disse:

    Moro na amazonia, Manaus. Um caso a pensar. Sinceramente, Como impedir por exemplo que um caboclo que vive na area rural, na mata ou seringal, etc, seja impedido de adquirir uma espingarda para conseguir um animal na floresta para alimentar sua familia.
    A Org. Viva Rio tem noçao da envergadura de um peito dessa natureza, impedir que nos aqui sejamos estuprados em nosso direito a sobrevivencia. Issa nao e justo.

  8. Antonio Andrade disse:

    olá eu sou contra o desarmamento,porque não vai resolver o alto índice de violência no pais. E de regra vai desarmar o cidadão.O que deveria fazer era rever os nossos códigos de processo civil e penal que estão demais defasados e nossa constituição brasileira.Então porque o nosso governo federal não investe na educação do nosso povo e da melhor qualidade de vida.E acabe de olhar para eles mesmo.

  9. Lino Guedes Pires disse:

    Para se diminuir a violência são necessárias algumas modificações constitucionais.

    Em primeiro lugar, quem roubar dinheiro público só poderá ser libertado depois que devolver todo o dinheiro roubado, ainda que leve o que lhe restar de tempo de vida, como também pagar todas as multas e penalidades de cunho pecuniário a si aplicadas pela justiça.

    Crimes hediondos devem ser penalizados com prisão perpétua.

    Professores devem ser regiamente pagos para serem exemplo a seus alunos de que vale a pena estudar. Hoje o aluno vê seu mestre em situação de penúria e pensa: ele estudou. Vou estudar para quê? Vou para a marginalidade que paga mais…

    Políticos devem perder o mandato quando o povo com eles estiver descontente. Para isso, o eleitor poderá retirar seu voto a qualquer momento. O político, não tendo mais o número mínimo de votos para se manter no poder, imediatamente perde seu mandato. Coisa já possível hoje, graças à Internet.

    O Estado deve ser o menor possível. Somente terá atribuições para a defesa do Território Nacional, para a Saúde em casos emergenciais, somente.

    O dinheiro gasto hoje com cada estudante deverá ser entregue aos familiares sob a forma de um cheque educação e estes familiares poderão gastá-lo pagando a mensalidade da escola que mais lhes interesse, gerando com isso uma saudável competição entre elas por um ensino mais interessante a pais e alunos.

    A polícia tem sido um problema e para nos livrarmos dela, a única forma é o povo não mais cometer crimes, o que somente alcançaremos através de uma educação que contemple valores humanos e não somente língua, matemática, física, história etc. Precisamos de educadores realmente competentes e para isso é preciso que os paguemos regiamente.

  10. Peter Pablo Delfim disse:

    O medo é necessário. Bandidos armados reforçam o terror, o medo. Não se governa sem esse componente emocional. Assim pensaram os dominadores, aqueles a frente dos grandes impérios. Nem por isso deixaram de serem derrotados. Todos os países, indistintamente, são regidos por setores respaldados por fortes braços armados. Não se fala, não se vê ou se ouve o que é dito a respeito. Um povo armado é um perigo potencial. Principalmente quando está exaurido pelas injustiças e sobrecarregado pela corrupção.

  11. Marluizo Pires Cruz disse:

    Sinceriaremte não consigo entender, enquanto o atual Presidente do Senado proclama o desarmamento e a venda de armas, a Polícia treina Jornalistas em estade de tiro, o passado parece presente e oportuno um estudo aprofundado sobre a declaração daquele Presidente do país da cidade luz, em relação ao Brasil.

  12. Dijalma Santos disse:

    Para mim não deveria haver referendo, pela gravidade da violência existente em nosso País todos já sabem a opinião do povo, principalmente de quem já perdeu alguém da família por causa da arma, a dor, e a revolta por causa desse comércio que se diz “proibido”, mais que é mais liberal do que qualquer outra coisa em nosso País, o quanto é fácil adquirir uma arma. No entanto as autoridades querem jogar a responsabilidade de decisão para o povo porque querem ser “bonzinhos” porque neste mundo a política vale mais do que a vida, se eles quiserem podem em questão de segundos proibirem o comércio de armas e fazer o desarmamento de forma geral, agora, primeiro tem que começar pelos bandidos, não adianta desarmar o pai de família e deixar os bandidos armados aterrorizando e fazendo o que querem. Senhores coloquem a vida em primeiro lugar e observe que as pessoas de bem só querem apenas um pouco de paz e respeito para viver com a sua família e poder ir aonde quiserem sem ser roubado ou até mesmo perder a sua vida, só porque queria viver um momento de lazer com aquelas pessoas que mais amam.

  13. LUIZ CARLOS PEREIRA disse:

    O Sarney, pergunta para ele se ele nao tem mais o que fazer, do que colocar mais uma vez essa polemica. Há ele tem que aparecer so pode ser isso. Como governante estaca zero, administrou mau o País, saiu da presidencia com nota zero, mais como toto político esperto, aonde ele foi se eleger, no AMAPA ONDE NEM ERA SEU POTENCIAL POLITICO. Lembro muito bem suas palavras ditas no congresso, que iria ser eleger senador e ser presidente do senado.Tambem comprando a maioria da população pobre do Amapa, tem que dar nisso. Agora sim sobre o desarmamento, tem um jeito, matanto todos os traficantes,e proibir a venda de armas no País. E voces diriam e as entradas ilegais de armas no País; tem solução, o nosso exercito brasileiro não tem que estar sempre treinado para operação de guerra, pois então não é dentro do batalhão que isso vai acontecer, mesmo eles tendo instrução no batalhão, que vão dar instruções protegendo todas as fronteiras do nosso País, sendo aéreas, por mar e por terra. “será que acabaria com o narcotráfico”. É só os nossos polícos querer, gastam tanto dinheiro em tantas coisas as vezes inúteis.

  14. Justino disse:

    Acho uma tremenda hipocrisia, um pais q está em guerra desigual com bandidos, desarmar o cidadão ao inves de ensinar a atirar, pelo menos deixaria esta guerra menos desigual (radicalizar).
    Desarmar o “pacato cidadão brasileiro”, é mais facil que desarmar bandidos e não atinge certas autoridades interessadas.

  15. walter senise disse:

    Sou contra qualquer tipo de proibição, pois isso iria aquecer o mercado negro e o contrabando, gerando muitas vagas de trabalho em outros países. O que se deveria fazer é melhorar o sistema da venda de armas no país, exigindo inclusive atestado de sanidade mental dos interessados e os mesmos deveriam passar por um rigoroso teste de tiro, verificar a vida pregressa dos interessados, e procurar saber se o motivo alegado pelo mesmo para adquirir a arma é justificável, e após conceder a autorização para a compra da arma, fazer como se faz com veículos, todo ano o mesmo deverá levar a arma para exame na policia federal, a qual deverá criar um órgão específico para essas averiguações, e após um completo exame, renovar ou não a licença e apreender ou não a arma.

  16. Milton disse:

    Tirar a arma da população que tem cultura, educação e equilibrio psiquico,na minha opinião não resolve. O que resolveria seria tirar a arma e o poder de comercio do tubarões deste nefasto negocio, dar educação ao povo despertando sua cultura e fechar com rigor as fronteiras secas do Pais, cumprir as leis existentes punindo rigorosamene os infratores, porque bandido armado que tambem da voto e desarmar o cidadão que não pode em caso de necessidade extrema defender sua vida e patrimonio para mim fica dificil de entender, será que os guarda-costas do Sarnei só tem estilingue no bolso?

  17. Denise disse:

    Não eu, não sou a favor porque ja foi feito e os puliticos não mudaram lei alguma, porque apolicia prende quem esta portando arma irregular é a justiça souta obs:arma não tem cabeça,não tem mãos e nem perna porque gente de bem que possui arma não a usa para roubar é matar.

  18. CARLOS GIORDANO S. S. disse:

    Teriam, as autoridades competentes, de fazerem um trabalho ostensivo maior.
    Não se deixar intimidar pela marginalidade, que nos acerca,e fazerem muitas blitz.
    Só então alguma melhoria será feita.
    E també, a polícia, não deve se corromper, facilitando,aos bandidos para se armarem.

  19. carlos olimpio disse:

    Sou contra o referendo! Favorável ao dsarmamento dos bandidos que estão a solta robando,traficando, sequestrando e matando pessoas de bem e inocentes.
    O crime se combate com políticas sociais permanente, reduzindo as desigualdades e vigiando as fronteiras através das forças armadas. As armas só se tornam nocivas nas mãos de bandidos e pessoas desequilibradas!!

  20. RAYMUNDO AUGUSTO D'ALMEIDA disse:

    Nada impede aquele cidadão que cumpre com seus deveres perante a sociedade de ter sua arma com registro pelas autoridades competentes, impede sim, para aqueles que não sabem manuseá-la e que não tem responsabilidade de mantê-la em lugar seguro para evitar acidentes e perdas lamentáveis de familiares.

  21. Raimundo Rodrigues disse:

    Eu sou contra um novo referendo sobre desarmamento.
    O assunto já está passificado em lei.
    O que deverá ser feito para diminuir a violência no Brasil é a instituição de leis mais severas, principalmente as do trânsito, e sua aplicação mais rigorosa.
    A benevolência das leis no Brasil é um convite permanente ao crime e a criminalidade.
    A polícia prende e a justiça solta.
    Um escárnio.
    Raimundo Rodrigues – Muriaé-MG

  22. Isis da Silva disse:

    Se Luciano, respeito muitíssimo a sua opinião; também sou vítima da violência armada; porém tenho espírito pacifista e acredito que violência gera violência; por isso sou contra armas de fogo…

  23. Luciano Scarinci disse:

    Onde a segutança estatal não chega, torna-se legítimo a possibilidade da auto-defesa. Muitos, sem arma, serão presas fáceis.

  24. Isis da Silva disse:

    Nosso país é extremamente violento; é campeão de mortes por arma de fogo! Quem não sabe disso procure saber, leiam, vejam as estatísticas…

  25. kão disse:

    Eu, sem arma, sou presa fácil de qualquer marginal que tenha um .22, por maior que eu seja, por mais que saiba dialogar, por mais que mostre uma conduta pacífica quando abordado por algum assaltante.
    Minha família, meu lar, meus bens, tudo que tenho e amo deve ser defendido, não por mim, o maior interessado, mas por um policial que ganha pouco, que trabalha muito, que não tem meios técnicos nem preparo para enfrentar o bandido.
    E que não pode atirar nem para se defender sem ter que se explicar prá todo mundo, responder a inquéritos, fazer avaliação psicológica e psicotécnica.
    E que, em caso de sua morte, deixa a família em situação de necessidade.
    É isso mesmo?
    Cara, só que eu esteja muito maluco para concordar com uma coisa assim.
    Vou mais longe: aqueles que lutam pelo desarmamento do cidadão de bem, lutam também pelo “armamento” (desculpem o termo, não achei outro…) dos facínoras.
    É o Brasil, mais uma vez, tentando ser “primeiro mundo” sem ter condição nem de ser do terceiro.
    Protejam os cidadãos, forneçam a eles segurança, transformem o crime numa aberração e não num lugar comum, melhorem a educação, propiciem oportunidades a todos e promovam uma justa distribuição de renda de norte a sul.
    Aí, podemos falar de “desarmamento” em bases sólidas, racionais e coerentes.
    Do contrário, é só conversa jogada fora, papo de pescaria e de boteco.
    Em tempo: quem entra na minha casa sem convite é invasor. Se tiver sorte, o cachorro pega.
    Com ou sem desarmamento!
    Tchau.

  26. JOAO DE AGUIAR disse:

    PROIBIR AS ARMAS NAO VAI ACABAR COM OS ASSASINATOS MAIS SIM,O BRASIL ENCHERGAR A CORRUPCAO ATIVA QUE A NA POLITICA NACIONAL,SARNEY É UM AML EXEMPLO DE POLITICO,ASSIM COM VARIOS OUTROS QUE MATAM PARA INCOBRIR AS PROPIAS FALCATRUAS,QUEREMOS REFORMAS JA NESSA POLITICA.
    A PAISES MUITO MAIS ARMADOS E QUE A UM INDICE DE CRIMINALIDADE MAIS BAIXAS…..REVOLUAO JÁ E SARNEY SE ENCHERGA QUE VC ESTA APROVEITANDO DA SITUACAO.

  27. FREITAS disse:

    É SÓ DINHEIRO.
    CONTINUO QUERENDO SABER QUANTO VAI CUSTAR, QUAL AMIGO VAI RECEBER E MAIS LÁ PRO FUTURO, O SARNEY,DA BASE ALIADA, TAMBÉM VAI FAZER PALESTRAS E PEGAR A GRANA DE VOLTA. LEMBRA.

  28. frambell disse:

    Às vezes, eu concordo com os psicólogos; está é uma dessas vezes. Além dos motivos científicos citados pela profissional, temos um emaranhado de outros fatores que podem não favorecer para se alcançar um bom resultado com o plebicito. Entretanto,um deles é a falta de desconfiômetro de alguns parlamentares, que sistematicamente se põe contra qualquer iniciativa que busque beneficiar o povo. Mesmo que o povo não queira o estado deve propor. Depois da interferência do senador Álvaro Dias, contrária a ideia, porém como sempre, disfarçando com a falta de recursos, eu seria capaz de apostar que o Sarney pode engavetar a ideia e fazer coro com os contra. Nossos parlamentares são assim. Além da posição do senador Dias, eu me lembro bem que em 2005, ocasião do plebicito com o mesmo ojetivo, havia no congresso nacional um vigoroso lobby de parlamentares contrários ao desarmamento da nação. Não ficamos sabendo, no entanto, os motivos pelos quais eles se opunham com tanto ardor a iniciativa de se tirar de circulação milhões de armas que poderia levar à diminuição do indice de assassinatos entre os brasileiros. Como argumento, diziam que o problema não estava nas armas em mãos dos cidadãos comuns, mas nas armas e munições que entravam pelas fronteiras oeste do Brasil.
    Naturalmente, os parlamentares estavam com a razão, o que me levou a pensar que na semana seguinte a rejeição da proposta pelo povo, faria detonar pelo menos dez propostas, visando estancar o contrabande de armas para o Brasil. A afirmação de contrabando, denunciava a indiferença a tão grave problema dos poderes da república dos quais são parte atuante. Oras, se o senhores deputados e senadoresà, à época contrários ao desarmento dos cidadãos, confessavam a culpa, também sua, cinicamente escarneciam da nação.
    Cinco anos se passaram e nada foi feito, e os deputados e senadores, com raras exceções, são os mesmos e continuam calados e inertes diante do caos. Quando abrem a boca falam a respeito do desarmamento mostrando a mesma ou até maior má vontade com o assunto.
    Esperar o quê? Que os parlamentares mudem de lado? Até mesmo porque em time que está ganhando não se mexe. Se o povo é o mesmo que rejeitou a tese do desarmamento em 2005. Se o governo fez algumas promessas que até agora não evoluiram para a ação concreta temos que gritar.
    Senhores deputados e senadores, chega de cinismo, de hipocrisia. Plebicito para assuntos dessa natureza é uma hedionda forma oportunista de fugir. É devolver ao povo a responsabilidade que lhes foi outorgada pelo voto, mas que os senhores covardemente não estão honrando. Votem, aprovem um projeto de lei que obrigue o estado a prover a segurança pública e o consequente desarmamentos dos cidadãos. Se o povo tivesse conhecimento para essas coisas não elegeriam aos senhos como seus representantes. Se foram eleitos para agir ajam. Ou renuncie. É mais digno.
    Caso contrário, os gatos pingados a favor da vida, como eu, por exemplo, ficaremos mais uma vez a ver navios.
    Ano que vem tem eleição, mas nada pode estar tão ruim que não possa piorar. Disso nós entendemos.
    Frambell Carvalho.

  29. fabio melo disse:

    acredito que não adiantaria desarmar a população sendo que os crimse geralmente são cometidos pelos próprios marginais e para eles pouco importa se é proibido o comércio e o porte de arma de fogo.,Sempre haverá uma forma de adquirir uma arma seja de forma correta ou ilícita,acho que deveriam investir e dar maior valor a nossos polícias pois esses sim estão diariamente combatendo a criminalidade correndo risco de vida.,E não é um cidadão que tem uma arma em sua casa que dá trabalho para a polícia e sim marginais.E todos nós sabemos o que aconteceu no Rio foi uma fatalidade,são casos extremos.

  30. Adilson disse:

    Leis e proibições, de nada adiantarão se os gestores responsáveis pela política e segurança deste Pais, estiverem em seus cargos apenas para usufruir dos benefícios oferecidos a seu bem estar, sem cumprirem com suas obrigações e responsabilidades. E sabemos que da maneira que as coisas estão indo, a situação ira ser muito, muito pior do que já esta. O que aconteceu em Realengo foi uma ação isolada absurda de um desequilibrado. Mas se quisermos enxergar, iremos ver que situações absurdas estão acontecendo em todo o Pais, sem qualquer intervenção dos responsáveis para que estas não venham a acontecer.

  31. Fernando Jose Moesia Rolim disse:

    A proibição de armas não tem nada a ver com o garoto doente abandonado pela família como ele tem centenas a solta acho tudo isto tudo um sensacionalismo barato as autoridades deixaram anos e anos um abandono total a miserabilidade total perderam as rédeas um problemas sério abrir instituições sérias sem corrupções o grande problema em tudo a população não normal não vai sair por aí dando tiros os abandonados pelas respectivas familias uso de crack aí que esta o perigo

  32. Ferreira Junior disse:

    Democratizar o porte de arma, pois só uma elite com dinheiro pode pagar por registro e porte, ou sera que pobre não tem controle emocional pra portar uma arma. Será que se um professor tivesse uma arma na sua bolsa, isso teria acontecido com tantos mortos?

  33. Isis da Silva disse:

    A corrupção está aqui dentro mesmo; mesmo que as armas venham de fora; e a munição? É daqui mesmo… Bravo ao deputado Marcelo Freixo que está enfrentando essas “milícias”!!!

  34. Ramon M.B.van Buggenhout disse:

    Os países maiores fabricantes de armas não proíbem a sua comercialização. Merecem respaldo as ponderações lançadas pelas pessoas antecedentes.Proibir a comercialização não vai impedir a compra de armas no exterior. Aliás,os que suprem o mercado ilegal de armas no País são efetivamente os fabricantes exteriores (Israel, Estados Unidos, Russia etc). Precisamos de ter fábricas de armamentos nacionais para defendermos o povo e o território nacional contra as investidas estrangeiras de ocupação da Amazônia e apropriação de nossos minérios estratégicos. É de estar-se feliz de ver que há muitos brasileiros verdeiramente patritotas como esses que expressaram suas opiniões anteriormente nessa coluna. Os que forem brasileiros sigan-nos.

  35. Paulo disse:

    Acho que está na hora de pivilegiar os bons cidadãos..
    que trabalham há anos no mesmo lugar…
    que sustentam suas famílias e constroem lentamente seus patrimônios com esforço e diligência…
    que demonstram durante anos seguidos serem dotados de bom censo; comprometimento com os familiares e com a comunidade mais próxima…
    Não existem apenas drogados e desmiolados no Brasil…
    Na verdade eu creio que a maior parte da população tem índole e princípios de comportamento da melhor qualidade possível, para um ser humano…
    a repressão que falta no Brasil é um efetivo combate aos verdadeiros Barões das drogas, que são os verdadeiros causadores do “perigo por trás das armas nas ruas”: pois são seus clientes e colaboradores os responsáveis pela maioria das ações violentas nas cidades do País e do mundo … …

  36. Cassi disse:

    Porque proibir de não usar? O Crime é de não matar, ou não usar? Castigo é para quem matar, ou promoção por saber matat!!! As alternativas de matar um indivídou não estão nas armas de fogo. Outras também matam: A inflação que não corrigem os sários como ganhos dos trabalhadores, saúde pública, água e esgotos, educação e segurança, esta última é a principal. Que pais e este? Tenho 61 anos, não esperava isto.
    Os filhos de artistas são promovidos, na defesa de que tudo é família. Não podemos ser medíocre, se fose ditadura, são coisas do futuro. Acreditar em que, se já somos um futoro na jeração dos sem condsição. Desculpem, as irritações que são as minhas opiniões, talves com frustações.

  37. Amadeu Pereira dos Santos disse:

    Sonhar com um mundo onde reinem somente paz e amor não é proibido. Mas esse sonho nunca vai passar de sonho. Esse paraíso não existirá jamais. Nunca haverá uma sociedade composta só de filhos bons como a gente gostaria que houvesse. Por outro lado, mesmo sabendo tratar-se de um sonho impossível, jamais devemos cruzar os braços. Vamos à luta. Sou contra qualquer artifício usado pelo homem, para, sob qualquer pretexto, usar de violência contra seu semelhante.

  38. Cassi disse:

    Esta já foi uma opinião concreta e objetiva.
    Há perigo até onde existem armas nas mãos de quem tem credencial e se diz defensor da sociedade!

    Em um país cheio de impunidade e corrupção, seria utópico desarmar um povo que um dia pode se revoltar contra tudo o que se vive atualmente!
    Eu apoio toda descrição acima, ainda argumento que:
    Tinhamos segurança nacional, estadual acrescentaram mais uma armada, desnecessária e, a municipal, são mais jente fazendo com que nada funcione, visando lucro. Lembro-me quando guardas estaduais e federais de trânsito trabalhavam nas ruas melhor, porque menos jente eram menos as propinas.
    Vejo hoje, aqui na cidade do Recife que o trânsito parado, nenhum guarda na rua orienta para desvio do floxo de veículo. IMITAM OS OUTROS GOVERNOS COM OS PALHAÇOS ORIENTADORES, QUE NADA FAZEM NEM PARA OS PEDESTRES, PORQUE QUEM DECIDE NAS RUAS SÃO OS MOTORISTAS.
    iSTO É SÓ MINHA OPINIÃO PELO QUJE VEJO NO DIA-A-DIA. NINGUÉM OLHA PARA O MTTRÔ NO HORÁRIO DE PICO, SÓ ANDA CHEIO, LOTADO.
    BASTANTE DEMORADO NO SEU INTERVALO, AS VEZES MAIS DE 20 MINUTOS COM REWLAÇÃO AS LINHAS JABOATÃO-CAMARAJIBE, NA QUE SOU USUÁRIO.

  39. helio disse:

    A favor do desarmamento civil, se precisar por um referendum nas eleições municipais ótimo. Essa é uma boa forma de combate a violência. A mais profunda guerra contra a violência vem com a Educação.

  40. Marluizo Pires Cruz disse:

    A arma é um instrumento usado para matar. O Brsil sendo defensor do direito a vida, deve proibir, a venda, a compra, e a utilização de arma, para coibir os crimes cometidos com a potencialidades das armas e artefatos de teor ofensivo a vida.
    Para diminuir a violência precisamos atender as necessidades dos mais carentes aplicando os recurssos do país na formação de uma sociedade mais voltada para os valores éticos humanitários.

    NÃO QUEREMOS MORRER MATADOS, NÂO QUEREMOS MATAR, QUEREMOS O FIM DAS ARMAS!

  41. George da Silveira disse:

    NÃO! desarmaram a população, mas os bandidos ficaram bem armados até os dentes. Quais foram os resultados da invasão das favelas da Penha? A bandidagem continua solta e em vários lugares aqui no Rio nos feriados e fins de semana não vemos um policial sequeer, seja militar ou da prefeitura. Estes dias são dias de recesso por acaso, já que são funcionários públicos?
    Eu teria outra expressão para colocar aqui, mas vou dizer que se deve a partir de agora cobrar aos pais os atos de seus filhos “menores de idade”; e quando cometerem crimes não serem tratados como criança. Após os 15 anos de idade “criança que faz criança não é mais criança!” Há muita hipocrisia em nosso país. Aplique-se a LEI A TODOS DE IGULA FORMA. Mas são dois pesos e duas medidas…

  42. Ricardo Rocha disse:

    90% das armas que circulam no Brasil, principalmente na mão de bandidos, são produzidas fora do País. Entram pelas nossas fronteiras. Cada vez que passo em Realengo e vejo o pessoal do exercito fazendo ginástica, penso em nossas fronteiras. Cada vez que vejo formações de Hércules C 130 fazendo exercícios nos céus do Rio de Janeiro, penso em nossas fronteiras. Como viajo muito pelo nosso litoral, vejo os barco da marinha ancorados. Mais uma vez, lembro lembro de nossas fronteiras, nosso mar territorial.
    Não é nos grandes centros urbanos que precisamos de nossas forças armadas.
    É nessa guerra que se trava por terra, mar e ar que precisamos delas.
    Os inimigos, são os contrabandistas de armas pesadas, os inimigos são os traficantes de drogas.
    Em tempos de paz, ataquem os inimigos reais.

  43. Geracina disse:

    PERGUNTO AO POLITICOS E PRICIPALMENTE AO CORRUPTO SARNEY,AS ARMAS QUE FOI USADA NA ESCOLA DO RJ. K. MATOU 12 CRIANòAS FOI COMPRADA LEGALMENTE PELO ASSASSINO, ELES DEVEM DESARMAR OS BANDIDOS K.TEM ARMAMENTO PESADOS COMO A POLICIA E EXERCITO. COMO OS BANDIDOS CONSEGUEM ESSAS ARMAS???????????????????.BRASIL PAIS DA HIPOCRESIA.

  44. Joares Lima Quarto disse:

    Prender todos os Deputados e Senadores ladrões confiscando seus bens adquiridos ilegalmente.
    Só assim a violencia nessa País acaba.

  45. Alberto disse:

    Sou contra um novo referendo.
    Sou contra a proibição. Ela não teria evitado essa ou qualquer tragédia.
    O que e necessário é uma fiscalização eficiente contra a venda e porte ílegal de armas.
    Mas quando vemos os próprios policiais vendendo armas fica difícil acreditar que possa vir acontecer em breve.

  46. André Luiz de Jesus Silva disse:

    Independente de haver ou não novo referendo, considero como incoerente e curiosa a atitude de Sarney. No livro de Ronaldo Costa Couto, “História indiscreta da ditadura e da abertura (Brasil: 1964-1985)”, o próprio Sarney disse que em alguns momentos da sua vida política andou armado a fim de se defender de possíveis agressões de adversários. Isso é revelador. Nem ele confia na segurança pública. Mas fora uma confiança ou não nela, fica claro o aproveitamento político diante de um caso incomum. Mesmo que seja feito novo plesbicito, duvido muito que haverá vitória do SIM.

  47. Afonso Schroeder disse:

    Penso que cidadãos que se julgam capazes de distinguir o bem do mal não cogitam em usar armas, não ser mais admissível em pleno século XXI esta minoria de pessoas quererem impor suas vontades, pois da forma que foi colocado o referendo foi para todos votarem a favor do armamento, vou dizer mais uma vez cidadãos de bem não precisam de armas de fogo o que precisa é respeito entre as pessoas e as leis instituídas, ou será que ficar se armando vai resolver é notório que as pessoas com um pouco mais de pecúnia se julgam no direito de manter armas em suas casas fazendo justiça com suas próprias mãos, quando na realidade é um serviço público de competência do Estado.

  48. Almanakut Brasil disse:

    Há perigo até onde existem armas nas mãos de quem tem credencial e se diz defensor da sociedade!

    Em um país cheio de impunidade e corrupção, seria utópico desarmar um povo que um dia pode se revoltar contra tudo o que se vive atualmente!