Início » Brasil » Política » O mercado negro eleitoral
Compra de votos

O mercado negro eleitoral

Grupo que mais aceita negociar seus votos são os jovens em geral, e não a população mais pobre ou com baixo nível de educação, como supõe o senso comum. Por Hugo Souza

O mercado negro eleitoral
Cerca de 20% dos votos no país são comprados, afirmou o cientista político Ricardo Caldas, da UNB

No último dia 10 de agosto o cientista político Ricardo Caldas, da Universidade de Brasília, jogou um balde de água fria na “festa democrática” brasileira. Falando à imprensa, ele afirmou que cerca de 20% dos votos no país são comprados, “e isso só das pessoas que admitiram a prática”. A declaração foi dada no lançamento da campanha Eleições Limpas, uma parceria da Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB) com o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para conscientizar o eleitor a não vender o seu voto nas eleições de outubro.

Dados da organização não-governamental Transparência Brasil dão conta de que 8,3 milhões de eleitores receberam ofertas para venderem seus votos nas últimas eleições para presidente, governadores, deputados federais, estaduais ou distritais e senadores, realizadas há quatro anos, em 2006. É mais do que a soma de todos os votos depositados, ou melhor, digitados nos estados do Mato Grosso do Sul, Tocantins, Acre, Roraima, Rondônia, Amapá, Amazonas e Distrito Federal. Isto, a rigor, tem um nome: fraude.

Mesmo supondo que, sufrágio após sufrágio, parte das ofertas de compra de votos é recusada pelos eleitores, o grande volume deste mercado negro da democracia representativa indica que ele pode, sim, alterar substancialmente o resultado das eleições no país. A Transparência Brasil é clara em seu relatório sobre a compra de votos em 2006: “É lícito especular que entre governadores, senadores, deputados federais e deputados estaduais e distritais, centenas tenham sido eleitos porque compraram votos”.

Ainda segundo a Transparência Brasil, o grupo que mais aceita negociar seus votos é etário, e não social: são os jovens em geral, e não a população mais pobre ou com baixo nível de educação, como supõe o senso comum.

Cesta básica e material de construção

A compra de votos é a maior causa de cassações de políticos no Brasil. Em 1999, a Lei da Compra de Votos foi levada ao Congresso por iniciativa popular com quase 1 milhão de assinaturas. Aprovada, definiu a perda do mandato como pena máxima para a artimanha de conquistar o voto de eleitores prometendo dinheiro ou outros benefícios. Os mais comuns são cesta básica e material de construção, mas vale até oferecer participação em shows, como fez o candidato ao Senado por São Paulo e cantor de pagode, Netinho de Paula, em seu site de campanha a eleitores que respondessem a um quiz online. Netinho agora terá que prestar contas à Justiça Eleitoral.

Com a aprovação neste ano de 2010 da Lei da Ficha Limpa, que também chegou ao Congresso Nacional pela via da iniciativa popular, o político condenado por compra de votos fica inelegível por oito anos. Mas, por ora, tanto a Lei da Compra de Votos quanto a Lei da Ficha Limpa parecem não intimidar o jogo sujo eleitoral.

Desde 1999, mais de 900 políticos que ocuparam cargos públicos com votos barganhados junto ao povo foram cassados, entre os quais nomes notórios como os dos três ex-governadores eleitos em 2006 que perderam seus mandatos: Cássio Cunha Lima, da Paraíba, Marcelo Miranda, do Tocantins, e Jackson Lago, do Maranhão. Não obstante, os dois últimos conseguiram registrar suas candidaturas ao senado e ao governo estadual, respectivamente, nas eleições 2010 junto aos TREs de suas jurisdições.

Em Alagoas, o Ministério Público Eleitoral já recebeu diversas denúncias sobre compra de votos durante a campanha local. No Acre, a Polícia Federal investiga mais de cem casos relatados de políticos oferecendo de tudo, menos propostas para o futuro, em troca de apoio nas urnas. No início de agosto, um deputado estadual do Piauí denunciou, na tribuna da Assembleia Legislativa, que existe até uma tabela de preços “regulando” a barganha de votos no estado.

Caro leitor/eleitor

Você acha que há leniência do TSE na fiscalização contra a compra de votos?

Campanhas na TV bastam para combater esse problema?

Você acha que a justiça acaba fazendo pouco das leis que são criadas por iniciativa popular?

35 Opiniões

  1. clodomildo da silva disse:

    Existe dois tipos de eleitores, aqueles que são politizados, e aqueles que não são (São exatamente estes que vendem o seu voto). É por isso que concordo com esses que não são politizados, porque através da mídia eles veem os deputados colocando dinheiro na meia, na cueca e no sapato,enfim esta é a razão das pessoas venderem o seu voto.

    Escrito pelo ex vereador: Clodomildo da silva.

  2. wil disse:

    Sobre a leniência do TSE, lembro de uma reportagem no antigo JB impresso que relatava uma armação antes, durante e depois da conhecido político do RJ. Nada aconteceu apesar das inúmeras denúncias do jornalista, cujo nome não lembro.
    O sujeito tá ai de novo, com aquela cara larga, pedindo votos pra si e para seu teleguiado.
    Fazer o que?

  3. helio(rio de janeiro) disse:

    A forma truculenta de reagir às críticas é única nesse governo. Chego a temer a verdade das pesquisas, como já creio na compra de voto, e no caminho pouco democrático que se implanta.

  4. valter zanim disse:

    A MAIOR COMPRA DE VOTOS E A PROPAGANDA ENGANOZA
    A MAIOR ENGANAÇAO AS PESQUISAS
    ONDE O LULA TEM 80% DE APROVAÇAO NEM
    DEUS TEM ESTA APROVAÇAO E TAI MANIPULANDO TUDO

  5. Dorival Silva disse:

    Onde estão as meninas do Jô?
    A COISA ESTÁ FICANDO PRETA. PATRULHAMENTO GERAL

    O primeiro jornalista a sofrer cerceamento do direito de bem
    informar, em consequência dos seus verdadeiros, contundentes e
    procedentes comentários contra os desmandos do atual governo, foi o
    Boris Casoy. De acordo com o noticiário da época, ele foi demitido a
    pedido do próprio Lula.
    Entretanto aos olhos dos menos atentos, a coisa vem se agravando de
    maneira avassaladora e perigosa, senão vejamos:

    O Programa do Jô tirou do ar (sem dar qualquer satisfação ao público) o
    quadro “As Meninas do Jô” que era apresentado às quartas feiras onde as jornalistas Lilian Witifibe, Ana Maria Tahan, Cristiana Lobo, Lúcia
    Hippólito e, por vezes, outras mais, traziam a público e debatiam todas
    as falcatruas perpetradas por essa corja de corruptos que se apossou do
    país. As entrevistas sobre temas políticos não têm sido mais levadas a
    efeito atualmente. Virou um programa de amenidades e sem qualquer
    brilhantismo.

    O jornalista Arnaldo Jabor, considerado desafeto pelo governo atual, vem sofrendo, de forma velada e sistemática, todo tipo retaliação. Já foi
    processado, condenado, amordaçado e por aí vai. Sua participação diária, às 07h10min na Rádio CBN tem se limitado a assuntos sem a relevância que tinha, haja vista que está impedido de falar sobre assuntos que envolvam a política nacional e o atual governo.

    A jornalista Lúcia Hippólito, que tinha uma participação diária, às
    07h55min na Rádio CBN, não está mais ocupando o microfone da
    emissora como fazia e nenhum comunicado foi feito pelo âncora do
    horário, o jornalista Heródoto Barbeiro.
    Sorrateiramente, colocaram-na como âncora em outro horário, onde enfoca matérias mais amenas e sem a habitual, verdadeira e procedente contundência.

    Diogo Mainard, da Revista Veja, além de processado, vem sofren do várias ameaças de morte por parte do jornal do MR-8 (que faz parte da base aliada ao Lula) e de integrantes dos chamados “Movimentos Sociais”.

    O jornal “Estadão” de São Paulo está sob forte censura governamental há pelo menos 60 dias.

    Pelo que se vê, Fidel Castro está fazendo escola na América do Sul.
    O primeiro a colocar em prática estes ensinamentos, aniquilando o
    direito de imprensa foi Hugo Chaves, e pelo andar da carruagem o nosso PresiMENTE está trilhando pelo mesmo caminho.

    Constitucionalmente:
    Onde está o ESTADO DEMOCRÁTICO DE DIREITO?

    Onde está o LIVRE DIREITO DE MANIFESTAÇÃO?

    Onde está a LIBERDADE DE EXPRESSÃO?

    Onde está a LIBERDADE DE UMA NAÇÃO?

    Este poema de Affonso Romano de Sant`Anna , encaixa bem neste contexto.

    Poema DA MENTE
    Affonso Romano de Sant`Anna

    Há um presidente que mente,
    Mente de corpo e alma, completa/mente.

    E mente de maneira tão pungente
    Que a gente acha que ele, mente sincera/mente,
    Mais que mente, sobretudo, impune/mente…

    Indecente/mente.
    E mente tão nacional/mente,
    Que acha que mentindo história afora,
    Vai nos enganar eterna/mente

  6. Eleutério Sousaa disse:

    A palavra “candidato” vem de cândido-(branco, alvo, inocente!) para mostrar ao povo que não tinha compromissos escusos, isso nos tempos de Roma. Nada a ver com cor. Aliás, a cor negra é linda ainda mais nestas meninas esguias e de pele aveludada que temos no Brasil. Diria “preto” em vez de “negro” pois “preto” quer dizer “pletus” ou cheio, na forma erudita “repleto” (cheio), pois a sua pele tem mais melanina…só isso! A língua tem deficiências e ha muita gente que deveria estudar etimologia…

  7. rodrigo lins frossard disse:

    Não me espanta em nada as constatações aqui feitas no artigo. Há muito não vejo uma luz no fim do túnel, quando se trata de moralidade e integridade da classe politica do brasil. È lamentavel.

  8. BERNARDO ELIAS LAHDO disse:

    A COMPRA DE VOTOS É GRITANTE E SÓ AS AUTORIDADES JUDICIAIS E POLICIAIS NÃO ENXERGAM. QUAL O INTERESSE?
    A DISTRIBUIÇÃO DE COMBUSTIVEL PARA OS VEICULOS EM TROCA DA COLOCAÇÃO DO ADESIVOS DO CANDIDATO É FEITA COM A MAIOR TRANQUILIDADE.
    O PROBLEMA NÃO É A REFORMA ELEITORAL, MAS A REFORMA POLITICA, ATINGINDO PRINCIPALMENTE OS ORGÃOS FISCALIZADORES.
    SE HÁ AÇÃO POLICIAL E JUDICIARIA A COMPRA DE VOTOS E A DISTRIBUIÇÃO DE COMBUSTIVEL NÃO SERIA TÃO ESCANCARRADA.

  9. Wilmar Junqueira de Sousa disse:

    A ciranda da compra e venda de votos (cidadania)são por assim dizer um câncer que poderá ser estirpado quando a Lei de financiamento público de campanha for aprovada trazendo em su bojo artigos, incisos e parágrafos etc. que falam claramente da proibição de gastos astronômicos, inclusive deixar bem claro, se há financiamento de campanha não há necessidade de outros gastos, direitos iguais para todos assim: mesmo tempo nos meios de comunicação, mesmo valor financeiro a ser gasto para quem se candidatar para qualquer cargo, seja, Presidente, Senador, Deputado Federal, Governador, Deputado estadual Prefeito e Vereador.

    Obs. Depois de tudo isso aprovado aí sim candidato-me a um dos cargos citados acima sem medo de ser feliz e eleito.

  10. Silvia Helena disse:

    Em Maringá, Pr., tem candidato oferecendo tanque cheio “na cara dura”, e o pior, tem fila na Câmara para receber o “benefício”, e as autoridades competentes ainda não tomaram providências!

  11. Helio (rio de janeiro) disse:

    Penso que não é racista o título. Mercado Negro talvez esteja ligado não a cor da pele mas ao mercado que não é feito às claras, e sim às escuras.
    O programa do Bolsa é anterior a esse governo que o expandiu. Foi bom, mas deu uma quantia tão pequena e tão pouco fiscalizada que parece mesmo compra de voto. A fórmula da não-fiscalização somada ao repasse livre pelas prefeituras também compra palanque.
    O Serra certamente manterá o Programa do Bolsa-Escola, vale-gás, criados no governo anterior. É muito feia essa manobra de não dar os créditos do programa criado pelo Cristóvão Buarque e D. Ruth, e ainda espalhar que o Serra vai extinguir o programa. Ele vai torná-lo muito melhor e mais sério. Ele participou da sua criação.

  12. helo disse:

    Se quem vende o voto é um jovem eleitor, ele aprendeu com o exemplo do mensalão e da esperteza. Terá ainda conserto?

  13. L Paes de Almeida disse:

    É muito tênue a linha que separa benefícios legítimos de outros não legítimos.
    O bolsa família, embora não seja compra de votos,torna-se parecido com essa prática quando se ameaça o povo com a perda da ajuda financeira SE A CANDIDATA DO GOVERNO NÃO FOR ELEITA. Todos devem se lembrar da prática de dar um pé de sapato antes da eleição e o outro, se o candidato for eleito, depois da mesma.
    Por isso acho muito ruim quando se diz que se fulano ou beltrano forem eleitos e não a candidata do presidente, vai acabar o bolsa família. Num minuto, o que era legítimo, adquire tons inaceitáveis.

  14. DINARTE DA COSTA PASSOS disse:

    Minha gente! não adianta atacar a causa vamos atacar o efeito. De que adianta nós reclamar da situação política do nosso país. Se sabemos que a causa de tudo issso vem de um efeito chamado “forma republicana de estado” com sistema de governo presidencialista e ainda para completar adota um sistema político eleitoral que fomenta e favorece a todo o tipo de corrupção. Não adianta fazer leis populares da ficha limpa, lei da compra de voto etc. etc.. Nada disso vai dar certo. O que é evidente que precisamos é derrubar esse monstro ou prostituta de três cabeças chamada “República” é ela que é a mãe de toda a corrupção neste país. A forma republicana de fazer política à moda brasileira tem deixado a desejar e muito. Primeiro: o sistema político permite a reeleição de representantes do povo e isso já é uma destorsão da verdadeira democracia. Ora se o chamado poder do povo exercido pelo Congresso Nacional tem que ser a cara do povo, logicamente o representante eleito não pode se reeleger, pois assim sendo ele não seria mais da classe do povo e passaria a ser da classe dos políticos profissionais. Política é arte de bem servir ao povo não é profissão e o modelo republicano brasileiro o transformou em políticos profissionais, isto é, não defendem os interesse da população, mas seus próprios interesses. Segundo: em um país que se gaba de ser signatário da Democracia, como pode haver voto obrigatório? Isso já é outra distorsão que também fomenta a compra de voto. Se o eleitor não for obrigado a ir as urnas, isto é, ele nem precisa ter título eleitoral, o pilantra que quer vender o voto já estará fora do processo e o outro pilantra que quer comprar estará desmotivado, pois, da forma que coloco ele ganharia pouco e não seria profissional da política. Então com toda a certeza essa situação crônica estaria quase resolvida. Terceiro: voto distrital eliminaria a concorrência gerada pelo sistema proporcional de eleição que também é outra distorção da realidade democrática, pois esse sistema faz com que eu posso votar na mocinha e acabar por eleger o bandido. Então meus caros amigos, para mudar toda essa situação é preciso instaurar ou proclamar uma Monarquia Parlamentarista, uma vez que o rei é um cidadão apolítico, isto é, não depende de partido político terá mais moral para impor e restabelecer a ordem democrática ele seria o representante do “Poder do Estado” e o parlamento seria o legítimo representante do “Poder do Povo” um poder que é a cara do povo sem políticos profissionais, isto é, o mandatário iria para o congresso exercer uma missão temporária em nome do povo e feito isso retornaria a sua vida particular como cidadão privado. Notaram que é dificil mudar a situação no brasil, somente uma revolução cultural e pacífica poderá proclamar o Reino de que falo e assim a reforma política e a construção de um novo modelo de estado poderia sanar este problema.

  15. acreucho disse:

    A punição para a compra de votos não é efetiva, aceita todo tipo de recursos dos acusados e todas as benesses das nossas Leis que são uma verdadeira peneira. Se houvessem punições rigorosas para os praticantes, sem direito a recursos e tramoias judiciais as coisas poderiam moralizar um pouco. Existem candidatos “que nem fazem campanha”, apenas preparam suas “listinhas” e pronto, estão aptos a disputar o pleito. “Ninguém tem controle sobre o seu voto”, ninguém pode saber em quem voce votou, tudo que eles dizem é mentira, candidato não consegue saber em quem voce votou. Não venda seu voto, não faça de seu voto uma arma, a vítima pode ser você!

  16. MARCIONILIO MENDES DA SILVA disse:

    E MUITO COMPLICADO PARA SE FISCALISAR COMPRAS DE VOTOS , E AINDA E CRIME A PRATICA DAS VENDAS ,MA E COMO FICA OS ACORDOS FORMANDO PELA CANDIDATOS ELEITOS E SEUS RESPECTIVOS PARTIDOS? E DO CONHECIMENTO DE TODOS QUE EXISTE ESSA PRATICA DETROCAS DE FAVOR ENTRE ELES . NO QUAL ELES SÃO OS PROPRIOS BENEFICIADOS E NEM POR ISSO SÃO PUNIDOS .
    ISSO COMEÇA NAS COLIGAÇÕES QUE JA E UM JEITO LEGAL DE SE FORMAR AS TROCAS DE FAVORES ENTE OS ELEITOS , TUDO EM NOME DA DEMOCRACIA ENTENDO QUE DEVERIA SER DIFERENTE PORQUE DA MANEIRA QUE ESTA SO BENEFICIAM OS PARTIDO E CANDIDATO
    VEJA BEM UM CIDADÃO TEM DOIS MANDATOS DE SECRETARIO EN MUNICIPIO DIFERENTES E PAGO PARA EXERCER TAL FUNÇÃO E DEPOIS LANÇA SE CANDIDATO DIZENDO QUE FEZ E ACONTECEU PARA O POVO , CERTO ? NÃO ERRADO ELE ERA PAGO PARA DESENVOLVER TAL FUNÇÃO COM O DINHEIRO DO POVO ,MAS ELE DIZ QUE FOI ELE QUEM FEZ E AI ISSO TAMBEM NÃO E CRIME ?

  17. Jorge Paulino disse:

    A Opinião do leitor Airton (Fortaleza, Ceará)
    é perfeita, o Bolsa-familia tornou-se o maior mercado para a compra de votos do País.
    O governo que tem como carro chefe a doação dos peixes sem o ensinamento de como pescar!
    É um governo que se diz democrático mas usa o Capital das estatais(a Publicidade)para manipular por pressão financeira vários orgãos da imprensa que fazem oposição.
    Estamos caminhando para a Venezualização do Brasil, breve elegeremos a Monarquia da Ditadura Petista, com o apoio iniciado com os intelectuais nos anos 70/80 e agora assumido pela miséria intelectual do Bolsa Família.
    E que Deus salve o Brasil! e PT saudações, infelizmente!

  18. clodomildo da silva disse:

    Nunca acaba essa compra de votos em nosso país. Por que? Porque, emquanto houver três meses de campanha política, precisa-se de um mês na televisão para os candidatos se apresentarem com seu nome e seu numero,só assim acabava com esta “Farra”.

  19. Osvaldo Gomes Bomfim disse:

    O TSE vai combater os Carteis? Mas não vai conseguir, na via jurídica, desmantelar as organizações que deterioram o meio ambiente de livre competição eleitoral entre os candidatos.

    As compras de votos normalmente são feitas 02(dois) anos antes das eleições. São os chamados fechamentos políticos.

    Agora, os políticos só estão colocando os blocos na rua.

    Os cartéis compram votos em massa, através de Associações, sindicatos, federações, clubes, igrejas, empresas e outros seguimentos.

    Com dinheiro é muito fácil, bancar festas, churrascos, construções, cadeiras de rodas, remédios e outros materiais de campanha como: Placas (enormes) Santinhos, Folders, Felipetas, convites etc.. Compra de milhares de e-mails, malas diretas e a mais cruel compra de bocas de urnas, muitas vezes através de sestas básicas.

    Teve candidato, que no passado pagava o dobro do valor da boca de urna, que qualquer candidato pagava na minha cidade.

    É fácil ser o mais eleito da cidade assim:

    Todo dos candidatos estavam pagando R$
    30,00(trinta reais) pela boca de urna. O candidato com dinheiro pagava R$ 100,00(cem reais) e fechava cada boca de urna da seguinte forma: “Leva R$ 50,00(cinquentga reais) agora, no fechamento e arruma mais um voto pra mim”, voce me dá o nº do título do seu amigo que vai votar em mim. Depois da eleição, vou conferir na zona, cessão e local onde voce indicar. Se tiver mais um voto, não importa de quem, voce leva mais R$ 50,00(cinquenta reais) Fechado?

    Agora eu lhe pergunto?
    Um candidato pobre tem condições de competir com um candidato rico?
    O candidato que usou este artifício, foi o mais votado na cidade.

    Uma imoralidade e concorrência desleal.

    Porque é permitido placas tão grandes, espalhadas na cidade, poluindo o visual e o meio ambiente.
    Candidatos pobres, não tem condições de pagar placas tão caras.

    Porque é permitido adesivos caríssimos nos carros, que muitas vezes tiram e atrapalham a visão dos motoristas, causando acidentes no trânsito?

    Muitos candidatos pobre, nem carros tem.

    É comum a gente ouvir o presidente de uma Associação de Bairro dizer: – Fechamos com o candidato Fulano de Tal, porque ele mandou reformar o banheiro da Associação. Porque o TRE em parceria com o Ministério Público, não faz um multirão ambiental, com a Polícia Federal, Delegacia do Meio Ambiente, Batalhão da Polícia Militar, Detetives de todas as Delegacias e outros orgãos de fiscalização, no fechamento dos últimos cinco anos de todos os candidatos. dá uma varrida nas contas bancárias deles e nos negócios dos coligados e controlados por eles. Só assim, vai limpar a ficha deles e tentar fazer desta eleição, um eleição LIMPA, com FICHA LIMPA.

    Mais de 50%(cinquenta por cento) dos votos no Brasil são comprados, de forma imoral, porque eles políticos, acabaram com o “Princípio da Morarlidade” e o “Princípio da Igualdade”, garantido pela Constituição Federal.

    A maiorias ds políticos que aí estão diputando as eleições, não tem mais ideologias e nem fidelidade partidárias. Fazem Coligações Imorais e vendem os partidos, os eleitores em Blocos, que depois são obrigados a trabalhar na campanha para outros candidatos de oposição. Porque o candidato de oposição poderoso economicamente falando, comprou o partido, por conduta ilegal e imoral do Presidente e seus asseclas.

    Tá muito longe das eleições no Brasil ser uma Eleição Limpa.

    É de chorar de rir, quando vejo um candidato na minha cidade de Niterói, declarar ao TRE que gastou a ínfema quantia de R$ 700 mil numa campanha milhionária de R$ 700.000.000,00 (setecentos milhões). Só quem é cego não enxerga a campanha milhionária. O TRE por acaso, contratou auditor, empresa de auditoria, períto em contas para colocar esses fichas Limpas na Cadeia. É Lavagem de dinheiro?
    Cadê a Polícia Federal?

    Tem muitos carros de políticos ue parecem carros fortes nas eleições, transportando o pagamento da compra dos votos. Cadeia neles.

    E vamos divulgar na TV, as ações da Polícia Federal no combate à compra de cotos e aos “fichas limpas”. Quando começar a prender eles, vai dar IBOP.

    Vamos acabar com os cartéis nas Eleições 2010.

    Quem compra voto, vai querer recuperar depois, não vai fazer nada pelo eleitor, porque quando o eleitor cobrar deles, vai receber a seguinte resposta:

    Eu te paguei, não te devo nada e não tenho obração de fazer nada por voce. Agora é ora de recuperar o meu.

    Osvaldo Goms Bomfim é ambientalista, presidente da ONG DA MAÇÃ – Amigos do Meio Ambiente.
    Câmara de Moralização das Eleições 2010.

  20. Renato Queiroz Suzart disse:

    E tem uma coisa interessante. Algumas pessoas, principalmente opositores do governo Lula, como alguém abaixo, sempre pregaram que o bolsa-família é uma compra de votos. Coisa que até mesmo o Serra já voltou atrás e porega abertamente que se ganhasse, iria não só manter o Bolsa família, como iria ampliar a quantidade de assistidos e o valor da tal bolsa. Não sei se ele está dizendo isso sinceramente ou se é só para angariar votos.
    Mas o fato é que esse é um programa assistencial pobre de país pobre. O país tem a obrigaçãode fazer muito mais pelo povo, enquantio não tem condições de cumprir os preceitos constitucionais, no que se refere à alimentação, educação, saúde, etc.
    Vejam que os States, em que o povo tem uma situação muito mais privilegiada que o povo brasileiro, o governo dá e manda levar na casa de cada mulher grávida, já a partir do p´rimeiro mes da gravidez, alimentação especial, sucos , leites, etc. em grandes bombonas. Manda levar no lar de parturiente. Isso até a criança compketar 5 anos de idade. Esse é um plano assistencial rico de país rico. Indeed, the Lula is making a little social assintence, since the country is poor. It is necessary that the president do very much, with very many helps to the poor brazilian people.

  21. Roberto disse:

    Sabemos que a nossa justiça é ultrapassada, que nossos Ministros são velhos e com a mentalidade voltada no século XVIII, onde a Lei era realizada pelos poderosos. Estamos em uma nova era, onde incrívelmente só se pune os mais fracos, os crimes cometidos pelos representantes do povo, são vistos tanto pela população como pelo proprio judiciário como brincadeira, viram sátiras e deboches que não levam à nada. O judiciário se acha o dono das leis que esquece que as iniciativas populares estão espelhadas na contituição.

  22. Renato Queiroz Suzart disse:

    E tem mais. Não é só o pobre que dá voto dessa maneira. Uma decepção que tive em 1987 com um ilustre Doutor. Um cidadão que era do PP – engenheiro civil, na coligação PP x PMDB, passou a apoiar o Waldir Pires. O Waldir foi eleito. Passados 6 meses, encontrei o Doutor e ele motrou-se-me revoltado com o governador Waldir Pires: ” Pô, Renato ! Esse governador é fajuto. Apoiei a campanha dele e até agora ele não me arranjou uma colocação. ”
    De modo que, muitos doutores, empresários, etc., apoiam o candidato poprque querem empregos para eles ou para filhos deles, etc.etc.etc.

  23. Renato Queiroz Suzart disse:

    Na verdade, o povo nunca vendeu votos. Isso nunca foi verdade. Pode dar dinheiro ao povo que ele vota em quem quer.
    O que sempre ocorreu foi o seguinte: Numa eleição como essa por exemplo, Senador, governador e presidente, fazem uma campanha à parte. gastando com propagandas, viagens, etc. Se eles derem dinheiro é aos candidatos a deputados estaduais e federais.
    Já os candidatos a deputados estaduais e federais, estes negociam votos com cabos eleitorais e vereadores de um modo geral, mas esses também não compram votos de ninguém. Eles começam a fazer campanha de acordo o acerto feito com os deputados, pedindo votos p/deputados, senadores, governadores e até mesmo presidente. Nesse ínterim, um cidadão precisa de um remédio, ele dá, o outro, a casa caiu, ele dá cimentgo e blocos; o outro está doente, ele dá socorro levando o cidadão até a cidades vizinhas, a médicos, clínicas ou hospitais, de modo que esse povo grato por esses favores, na sua maioria, corresponde com o voto, pelo favor recebido.
    Mas as campanhas majoritárias pouco é influenciada nesse trabalho.
    E inclusive, essa é a vantagem do PT frente aos demais partidos. É que o militante do PT não precisa receber dinheiro para fazer campanha e faz mais campanhas com pregações. O pessoal de alguns partidos pequenos, também procedem dessa maneri.a.
    Já pessoal do PSDB, DEM, e até mesmo PMDB só fazem campanha mediante acertos em dinheiro. E muitos partidos nãop têm votos porque não têm dinheiro, nem pessoal.

  24. Jose Amaro disse:

    ISSO É PURA VERDADE. AQUI NO MEU MUNICÍPIO OCORRE VERGONHOSAMENTE.

  25. Josefa I. F. Conceição disse:

    A compra de voto é tão antiga quanto o cuspe. Ela simplesmente muda de cara ex: bolsa familia, cestas básicas aos mst, contatos de funcionários no lugar dos concursos, e tantas outras formas de venda de voto. Por que será que a Dilma está em alta nas pesquisas? Vejam a quantidade de partidos coligados? Uma mulher que nunca concorreu a nenhum cargo politico pelo voto! Como pode explicar? Só mesmo pela aparelhagem da gastança e mais nada!

  26. airton disse:

    Bolsa-familia, sao em torno de 13 milhoes de cartoes. Considerando que estao envolvidos pelo menos tres pessoas por familia aí já se vao 39 milhoes de eleitores.É a maior compra oficial de votos do mundo!!! Estou certo ou quase certo. LULA COM O BOLSA FAMILIA ele ganharia até de frei Damião, daqui advem os votos de sua candidata! Cuidado no 2° turno!!!!!

  27. airton disse:

    A maior compra de voto nesse país é feita pelo bolsa família!

  28. NENGATEL disse:

    Velho, venda de votos é uma imundície.

  29. vargas jr disse:

    Rhá! Rha´! Rhá!!

    Eita 5° mundo…

  30. Markut disse:

    Todo o lamentavel clima civico,entre nós,pode ser debitado como causador dessa triste constatação.Esse jovem que negocia o seu voto é o produto da dramática má qualidade da nossa infraestrutura cultural,a começar pela educação (ou a falta de) no recesso do lar, acrescido a uma escolaridade chinfrim e equivocada.
    Qual o exemplo que ele recebeu da geração dos seus pais,contemporânea da corja aboletada no poder, derramando cinismo, desídia, cupidez criminosa ,do alto da pirâmide social deste país?
    A resposta,indesejada,mas compreensivel, está aí.

  31. Marcelo disse:

    Creio que esta é uma prova de que a última coisa que existe neste país na é Democracia. Esta que tanto o nosso Presidente se orgulha de tê-la instalado na pátria. Na verdade até censura temos e não reclamamos nossos direitos: Censura aos programas de humor! Que retrocesso!

  32. Carlos U. Pozzobon disse:

    Sou completamente contra as despesas do TSE com propaganda na mídia por ser um desperdício de dinheiro público. Não produz nenhum efeito. Para evitar a compra de votos é preciso uma reforma política que acabe com o voto obrigatório, só para começar. Depois acabe com o voto de servidores contratados por um período definido de tempo, para evitar o empreguismo. Depois medidas para combater o concessionismo e o nepotismo. A política só é verdadeira quando o voto é exercido por pessoas sem comprometimento com o Estado. Quando os cidadãos tiverem condições de decidir sobre o modelo de Estado que querem, teremos a verdadeira democracia. Com eleições onde o voto é obtido com concessões para sindicatos, ONGs, “cartórios”, etc, naturalmente que a democracia é apenas um arremedo, uma conversa mole para enganar valdevinos.

    Entretanto, gostaria de saber como o cientista político obteve o dados dos 20% que vendem os votos.

  33. Ivan de Sousa Neto disse:

    A matéria é muito interessante, mas o seu título é asqueroso. Porque mercado NEGRO ?? Voces não conseguem encontrar uma outra forma de nomear aspectos nefastos da sociedade, sem que a mesma tenha conotação racista ??
    Acho que voces permanecem propositadamente incompetentes nesta forma de comunicação.

  34. Jose Antonio de Oliveira NETO disse:

    E triste ver um pais democratico com tantos politicos sem nem um ideal concreto, e sim pensando simplismente em si e não no q se propoem pro pais, basta ver quantos apoião o lula, os que mais criticava antes dele ser presidente, esses são as celulas cacerigenas na polica brasileira, ate quando isso vai continuar acontecendo em nosso pais.

  35. Boris disse:

    Caro amigo

    Eu acho que o sistema eleitoral brasileiro e falso na premissa. A obrigatoriedade do voto nao tem sentido, aquele que nao tem condição
    psicológica para votar, e alvo facil para o politico compra-lo diretamente ou através de promessa para o futuro. Outra coisa tambem e o eleitor em condicoes de necessidade de sobrevivencia, normalmente ele ira votar naquele que lhe oferecer aquilo que ele necessitar para sobravier e nao ira de forma
    alguma conciderar a capacidade do candidato de
    mudar a situacao com que o governo pode
    influenciar as condicoes do povo no futuro, ou mesmo as condicoes morais do candidato.
    Por isto eu acho que a priomeira coisa que deve ser mudada no Brasil na lei eleitoral e
    mudade de obrigatorio o voto para direito de votar , com regras elstabelecidade da idoniedade do eleitor. Assim aquelle que quiser votar provavelmente ira ter mais condicoes de eleger um candidato melhor, o outro que nao tem condicoe provavelmente nem ira se preocupar em votar uma vez que nao havera nenhuma consequencia para a sua abstinencia.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *