Início » Brasil » Política » ONU investiga soldados brasileiros no Haiti
Maus tratos

ONU investiga soldados brasileiros no Haiti

Jovens haitianos teriam sido golpeados por militares com os quais entraram em conflito

ONU investiga soldados brasileiros no Haiti
Capacetes azuis da ONU no Haiti (Fonte: Reprodução/EPA)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Oito soldados brasileiros estão sendo investigados pela Missão das Nações Unidas para a Estabilização do Haiti (Minustah) por maus tratos contra três jovens haitianos.

Leia também: Brasil deve ser último país a retirar tropas do Haiti, diz general
Leia também: As favelas de barracas do Haiti

A acusação veio a público nesta quarta-feira, 14, durante uma entrevista coletiva da Rede Nacional de Defesa dos Direitos Humanos (RNDDH). A data em que a agressão teria ocorrido não foi divulgada.

Os jovens haitianos teriam sido golpeados por militares com os quais entraram em conflito no centro de Porto Príncipe, capital do país. Veículos locais de imprensa publicaram nesta quinta-feira, 15, imagens que exibem sinais de ferimentos nos corpos dos jovens.

Violações dos direitos de haitianos

A RNDDH condenou a suposta agressão por parte dos soldados, “alguns dos quais foram já acusados de violação dos direitos de haitianos em várias cidades do país”. Já a ONU ressaltou sua política de “tolerância zero” frente a atos de má conduta de seu contingente.

Em um relatório divulgado em setembro, a RNDDH informou que desde sua chegada ao país, em 2004, inúmeros agentes da Minustah estiveram envolvidos “em casos de estupro, roubo, assassinato e detenções ilegais e arbitrárias”.

Fontes:
Terra - Soldados brasileiros são investigados por maus tratos no Haiti

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

1 Opinião

  1. Ronaldo disse:

    É preciso que o governo brasileiro investigue, em conjunto, com a ONU, se comprovados os abusos, que se punam severa e exemplarmente os facínoras que os cometeram.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *