Início » Notícia » Os miseráveis ‘invisíveis’ para o governo
Os sem-bolsas

Os miseráveis ‘invisíveis’ para o governo

Em um ano, foram descobertas 700 mil famílias em situação de 'extrema pobreza'. Expectativa era de encontrar 800 mil até 2013

Os miseráveis ‘invisíveis’ para o governo
Número de miseráveis 'invisíveis' surpreendeu a ministra Tereza Campello (Fonte: Reprodução/Diário do Congresso)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Há um ano o governo federal lançou sem alarde uma operação de grande porte batizada de “busca ativa”. Trata-se de um esforço para localizar famílias em situação de “extrema pobreza” que não são alcançadas pelos programas sociais. Até agora, descobriu-se nada menos do que 700 mil delas, cujo número total de miseráveis equivale à população de Salvador.

O número surpreendeu a ministra do Desenvolvimento, Tereza Campello, em cuja mesa o relatório foi cair. Isso porque a expectativa era de achar 800 mil famílias até 2013. Pelo andar da carruagem, o governo vai localizar muito mais pessoas miseráveis do que se imaginava que estivesse fora do seu “radar”.

40% estão ao redor dos grandes centros urbanos

“Estamos falando de famílias extremamente pobres que até agora não faziam parte do cadastro único do governo federal e por isso não eram vistas na sua integridade, de acordo com suas necessidades e carências”, disse a ministra Tereza Campello ao jornal O Estado de S.Paulo.

O curioso é que 40% das famílias “invisíveis” moram em cidades com mais de 100 mil habitantes, o que significa que elas não estão nos grotões das regiões Norte e Nordeste, como poderia se imaginar, mas sim na periferia dos grandes centros urbanos.

Fontes:
Estadão - Fora do radar do governo, País tem 700 mil famílias em ‘extrema pobreza’

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

4 Opiniões

  1. Joaquim Caldas disse:

    O PT governa com hipocrisia.A mentira e seu maior prazer.

  2. Carlos U. Pozzobon disse:

    Que tais famílias sejam conhecidas e cadastradas, não me parece nada demais. Mas que isso tenha a ver com a ministra do Desenvolvimento (sic), me parece sintomático. Afinal, o que é o desenvolvimento, ou melhor, como se pensa o desenvolvimento em tal ministério? Antigamente se dizia que o desenvolvimento tirava as famílias da miséria por si só, ao gerar empregos e serviços. Atualmente parece que o conceito mudou. O desenvolvimento consiste em achar necessitados para programas sociais que passarão a receber uma bolsa e, “si nos és mucho pedir”, contribuir com o voto….

  3. Rene Luiz Hirschmann disse:

    O que mais me espanta é a ministra não saber que a pobreza brasileira é muito maior do que a mídia e os governantes procuram mostrar, quem vive no país da fantasia não tem idéia dessa desumana desigualdade e cínicamente se espanta quando um pedacinho vem a tona.

  4. Áureo Ramos de souza disse:

    Mandem a ministra vir na favela de Jacatr no Ibura de baixo, Na Vila dos Milagres, na Favela 22 de setembro todas no bairro do Ibura-Recife-PE irão encontrar e se somar em 2013 passará de 1000.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *