Início » Brasil » Política » Para onde vai o trem-bala no Brasil?
Transporte

Para onde vai o trem-bala no Brasil?

Orçamento da obra não está correto e ameaça o empreendimento. Por Layse Ventura.

Para onde vai o trem-bala no Brasil?
O Eurostar é um serviço de trens de alta-velocidade que liga Londres à Paris (Fonte: Stephen Rees)

Após quatro anos de espera no Tribunal de Contas da União (TCU), o edital de licitação do trem-bala vai ser publicado nesta terça-feira, 13. Com isso, será marcada a data do leilão para definir os responsáveis pela construção do empreendimento que vai ligar as cidades de Rio, Campinas e São Paulo.

Apesar de ser um passo burocrático importante, o edital deveria ser refeito, já que apenas 4,4% das sondagens para estimar o preço do projeto foram realizadas. Além disso, há trechos que foram subestimados e outros superestimados, ou seja, o orçamento da obra — que foi avaliado em R$ 33,1 bilhões pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) –, não está correto.

“Novos estudos devem ser realizados […] Nas atuais condições, há grande redução da competitividade e inaceitável nível de risco e incertezas com elevado potencial de alteração de custos das obras”, afirma um documento do TCU.

Nos 550 quilômetros de trajeto, vários municípios ficaram de fora da sondagem. Em um trecho de 61 km entre Lorena e Jacareí, em São Paulo, não se sabe ainda se será necessário fazer um aterro ou construir um viaduto. Caso seja aterro, a obra custaria R$ 264 milhões, mas se for necessário o viaduto o custo passa para R$ 4,2 bilhões.

Além disso, ficou estabelecido que o BNDES vai financiar 60,3% do valor da obra, isto é, R$ 19,9 bilhões. Fica a dúvida se o valor do financiamento deveria ser tão alto, já que os grupos que manifestaram interesse pelo projeto são, em sua maioria, estrangeiros, entre eles coreanos, chineses, japoneses e espanhóis.

Outra determinação foi a criação da estatal Empresa de Transporte Ferroviário de Alta Velocidade (Etav), que será responsável pelo gerenciamento da tecnologia utilizada e pela fiscalização do andamento do projeto. Fica outra dúvida: se os interessados pela licitação são estrangeiros e, aparentemente, eles que tem a tecnologia, como uma estatal poderá averiguar e fiscalizar o andamento das obras se ela desconhece do que se trata?

Em época de eleição, vale tudo

A candidata à presidência Dilma Rousseff (PT) afirmou que o governo federal estuda a expansão da linha para dois novos trechos. “A obra deve começar em 2011 e, além desse trem, o governo estuda dois novos trechos: de Campinas a Belo Horizonte e de Campinas ao Triângulo Mineiro”, disse.

Leia mais:

Governo quer criar estatal para trem-bala

O que falta para o trem-bala sair do papel no Brasil?

Fontes:
Folha.com - Custo das obras do trem-bala é imprevisível, diz relatório do TCU

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

2 Opiniões

  1. Juliana disse:

    A novela trem-bala já poderia estar no fim faz tempo, pois bastava o governo acreditar no potencial tecnológico do país. Creio, inclusive, que sairia muito mais barato um aparelho desenvolvido, totalmente, no Brasil.

    Temos profissionais altamente qualificados e em abundância. Em vários setores, já competimos de igual para igual com os norte-americanos, os europeus e os asiáticos.

    Chega de enriquecer transnacionais estrangeiras e dar empregos para os chineses.

  2. Guilherme Raposo disse:

    Para onde vai o trem bala? Os recursos vão para a campanha da Dilmais, é claro, este pessoal não coloca prego sem estopa, tudo pelo aparelhamento do estado nas mãos da república sindicalista e personalista em torno do Lula, nosso polvo brasileiro, tem tentáculos para chegar em 2014 e nos assombrar de novo…

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *