Início » Notícia » PM já prendeu 17 policiais envolvidos na greve
Rio de Janeiro

PM já prendeu 17 policiais envolvidos na greve

Líderes e outros envolvidos no movimento grevista de policiais e bombeiros no Rio de Janeiro foram acusados de insubordinação

PM já prendeu 17 policiais envolvidos na greve
De acordo com o comando da Polícia Militar, a adesão à paralisação foi restrita

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

No primeiro dia de greve integrantes da segurança pública do Rio, líderes e outros envolvidos no movimento grevista de policiais e bombeiros foram presos nesta sexta-feira, 10, acusados de insubordinação e outros crimes, e as autoridades de segurança do Estado garantiram que, diante da adesão limitada à paralisação, não será necessário o reforço de tropas federais.

De acordo com o comando da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros, a adesão à paralisação foi restrita e as corporações estão trabalhando normalmente.

Nove acusados de serem líderes da greve, que estavam entre os 11 homens que tiveram mandados de prisão expedidos pela Justiça militar nesta sexta, foram presos e levados para o Complexo Penitenciário de Bangu, enquanto outros sete policiais foram detidos em flagrante por insubordinação, de acordo com a PM.

A Polícia Militar informou na noite desta sexta-feira (10) que 17 policiais permanecem presos por aderir ao movimento grevista de bombeiros e policias do Rio. Destes, dez policiais tiveram a prisão preventiva decretada pelo Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro (TJ-RJ) por conclamar e incitar a greve. Outros sete PMs foram autuados em flagrante por crime de desobediência, ainda segundo a PM. Um policial que já teve a prisão preventiva decretada pelo TJ-RJ ainda não foi preso.

O Corpo de Bombeiros informou que indiciou 123 guarda-vidas que faltaram ao trabalho por conta da greve e que pretende prendê-los administrativamente assim que eles voltarem à corporação. O comandante do grupamento marítimo da Barra da Tijuca, tenente-coronel Ronaldo Barros, foi exonerado da função por ligação com o movimento.

Fontes:
Jornal do Brasil - PM do RJ mantém 17 policiais detidos no primeiro dia de greve da corporação

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

5 Opiniões

  1. geracina disse:

    ISSO E BRASIL, politicos aumentan seus proprios salarios 66% E TRABALHADORES nao podem reivindicar seus salarios. politicos roubam cofres publicos todos dias e nem preso vao. VOTA BRASIL.

  2. Marco Tolentino disse:

    É uma vergonha o que esta acontecendo em nosso pais, um país onde os políticos que roubam nunca vão presos e nem devolvem o roubo. Os culpado de tudo isso somos nós , que não vamos para as ruas reivindicar bons salários aos homens que queremos que tomem contas de nossos filhos, que nos tragam para casa sempre que estiverem se excedendo em suas adolescência mimadas da famosa classe média verdadeira que tem ganho real acima de $R 20.000
    os falados filhinhos de papai !
    A Globo como é do lado do Governo não tem coragem de mostrar o contra-cheque com o valor liquído que os pobres defensores da justiça ganham, eles, com este salário não podem nem pagar um aluguel decente na Cidade do Rio de Janeiro, não podem pagar boas escolas para os seus filhos, e muito menos comprar livros.em minha opinião esta classe de segurança deveria ganhar o que ganham os políticos do país, eles merecem ser respeitados e muito por toda sociedade.É uma vergonha o que estão fazendo com esses homens a muito tempo.

  3. Brito junior disse:

    Políticos mercenários .. esses sim deveriam ganhar 2.000 reais e os pm 20.000. isso seria o justo

  4. Rogerio Faria disse:

    Só sei que quando chega a época dos concursos para a PMRJ e CBMRJ as filas são enormes. Os caras sabem que o salário é ridículo mas querem entrar nas corporações. Depois ficam aí fazendo greve.

  5. Geraldo euclides disse:

    Eu sou graduado desta PM e estou reformado desde 1976 e esta greve só foi possível porque o governo nada fez para punir os baderneiros que fizeram aquela bagunça no QG do corpo de bombeiros sendo assim perdeu o moral para impor sua autoridade e agora novamente, todos sabem que os militares das forças auxiliares e mesmos os da Forças Armadas não podem fazer greves nem ter sindicatos, mas eles teimam em fazer o que bem entendem e não são punidos, eu falo porque durante o tempo em que servi eu sabia de tudo isso, nós ganhava-mos pouco, mas havia respeito a hierarquia e a disciplina o que não acontece atualmente.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *