Início » Brasil » Política » Presidenciáveis se enfrentam pela primeira vez na televisão
Eleições 2010

Presidenciáveis se enfrentam pela primeira vez na televisão

Para um integrante da equipe de Serra, enquanto Dilma tem seu núcleo de campanha formado por um G7, o tucano tem um G1: ele mesmo

Presidenciáveis se enfrentam pela primeira vez na televisão
Os quatro principais candidatos à Presidência participam de debate na televisão (Fonte: Zero Hora)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Os presidenciáveis vão se enfrentar no primeiro debate televisionado das eleições de 2010 nesta quinta-feira, 5, no canal Bandeirantes. Participarão do embate os candidatos à Presidência da República Dilma Rousseff (PT), José Serra (PSDB), Marina Silva (PV) e Plínio de Arruda Sampaio (PSOL).

Pela legislação eleitoral, a emissora vedou a participação de cincos candidatos, cujos partidos não têm representação no Congresso.

O programa terá duração de duas horas e quinze minutos e será mediado pelo jornalista Ricardo Boechat. Através de um sorteio foi determinado que o primeiro candidato a falar será o tucano José Serra.

Dilma e o G7

Os principais adversários, Dilma Rousseff e José Serra, estão se enfrentado de forma desigual fora das telas. Para um integrante da equipe de Serra, enquanto Dilma tem seu “núcleo duro” de campanha formado por um G7, o tucano tem um G1: ele mesmo.

O G7 seria formado pela própria ministra; o presidente Lula; o ex-ministro Antonio Palocci; o presidente do PT, José Eduardo Dutra; o marqueteiro João Santana; o chefe de gabinete do presidente, Gilberto Carvalho; e o ministro Franklin Martins.

Leia mais:

PT terá 15 minutos a menos em propaganda em São Paulo

É oficial: Serra e Dilma são Ficha Limpa

Fontes:
O Globo - Presidenciáveis têm hoje primeiro confronto na TV; Dilma, Serra, Marina e Plínio deverão debater por cerca de duas horas
Reuters - ZONA ELEITORAL-O G7 de Dilma contra o G1 de Serra

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

2 Opiniões

  1. helio (rio de janeiro) disse:

    Houve um engano no debate relativo ao aumento da agricultura familiar.
    Agricultura familiar ganhou uma recente e nova definição pelo IBGE.
    Antes era considerada agricultura familiar a propriedade explorada somente pelo próprio dono, sem empregados.
    Agora a definição passou a ser a de uma propriedade que permite a contratação de empregados.
    Com isso o número de agricultura famliar aumentou extraordinariamente, somente devido a essa definição, ja que propriedades de pessoas físicas e com empregados constitui a maioria das propriedades existentes que já eram e continuam a ser as principais responsáveis dos alimentos dos brasileiros.
    Quando Dilma falou desse aumento da agricultura familiar deixou de considerar este acréscimo que se deu apenas pela nova definição do IBGE.

  2. moacir chaves disse:

    Caro Hélio, gostaria de dizer que seu entendimento de que o IBGE deu um novo conceito para o que é agricultura familiar está equivocado, visto que o conceito de agricultura familiar tem raízes na Lei nº 4.504, de 1964, com a seguinte redação no art. 4º inciso II: “propriedade familiar: o imóvel que, direta e pessoalmente explorado pelo agricultor e sua família, lhes absorva toda a força de trabalho, garantindo-lhes a subsistência e o progresso social e econômico, com área máxima fixada para cada região e tipo de exploração, e eventualmente trabalhado com a ajuda de terceiros”. Além do mais isto foi confirmado pela Lei nº. 8.629, de 1993, que estabele como área máxima 4 módulos fiscais. Por sua vez, o conceito de agricultura familiar é sacramentado na Lei nº. 11.326, de 2006. No mais, o Manual de Crédito Rural dispõe um teto de R$ 110.000,00 por ano para enquadramento de agricultores, com até 4 módulos fiscais e com até 2 empregados permanentes, como familiares.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *