Início » Notícia » Presidente da Hungria renuncia após denúncia de plágio
Em Budapeste

Presidente da Hungria renuncia após denúncia de plágio

Pal Schmitt teria plagiado sua tese de doutorado, escrita há 20 anos

Presidente da Hungria renuncia após denúncia de plágio
Pal Schmitt, anuncia sua renúncia diante do Parlamento em Budapeste (Reprodução/Internet)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

O presidente da Hungria, Pal Schmitt, renunciou nesta segunda-feira, 2, após acusações de ter plagiado sua tese de doutorado, escrita há 20 anos. Schmitt declarou que o escândalo está dividindo o país e por isso resolveu deixar o cargo.

Leia também: Ele apenas copiou, mas não é um plagiador

A denúncia foi divulgada em janeiro, quando a revista HGV publicou uma matéria em que afirmava que a tese do presidente tinha sido copiada de fontes diversas. Após a acusação, a Universidade de Medicina Semmelweis de Budapeste, averiguou o caso e decidiu, na última quinta-feira, 29, cancelar o título de doutor de Schmitt.

Em seu discurso de renúncia, no Parlamento, Schmitt criticou a decisão de anularem o seu título e afirmou que ele não teve a chance de se defender. O agora ex-presidente da Hungria declarou ainda que irá recorrer da decisão e levar o caso aos tribunais.

A universidade, por meio de nota, informou que grande parte da pesquisa de Schmitt era constituída de uma tradução literal de outras fontes que não estavam na bibliografia do trabalho acadêmico.

A tese, nomeada de “Análise do programa dos Jogos Olímpicos modernos”, foi aprovada em 1992. Após 18 anos, Schmitt assumiu o cargo de presidente da Hungria pelo partido conservador Fidesz. De acordo com a legislação húngara, o Parlamento tem um mês para escolher o novo presidente do país.

Fontes:
Último Segundo - Presidente da Hungria renuncia após ser acusado de plágio

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

7 Opiniões

  1. Hivitality disse:

    Não esquenta a cabeça excelência,

    Nossa presidente é ex-guerrilheira, roubou, matou e pintou o caneco mas nem por isso se envergonha.

    Venha ser senador no meu país, seu curriculum aqui é quase igual ao de uma freira !!!

  2. kão disse:

    Igualzinho ao que acontece no Brasil…

  3. Thomas Korontai disse:

    País sério é assim. Gente que mente não tem condições de ficar no cargo.

    Já em certos países da América Latina…

  4. Idur Feix disse:

    País de primeiro mundo é outra coisa,o cara pega o chapeu e cai fora.Aqui isso nunca vai acontecer,porque todos sabem que nada lhes acontecerá!

  5. AMARILDO disse:

    Se essa moda pega muitos neguinhos aqui no Brasil,q se dizem “doutores” iriam dançar.

  6. Markut disse:

    O que “conforta’ é notar como lá e cá os seres humanos somos todos iguais.
    A diferença está no sentimento de impunidade que impera por estas bandas, enquanto que lá, um incidente, um pequeno pecadilho ,foi suficiente para que esse senhor pegue o seu chapéu e se mande. Aquí, um incrivel Demóstenes se agarra ao poder , contra todas as evidências de uma escandalosa e promíscua relação com a bandidagem organizada.
    É o polimento de culturas milenares contra as arestas ásperas da adolescencia de um jovem país,em formação.

  7. Francisco Chicão Somavilla disse:

    Resta saber em que a Universidade de Medicina Semmelweis de Budapeste se baseou após 20 anos passados. Duas coisas: ou a Universidade foi omissa por todos estes anos ou de fato Pal Schmitt plagiou e não “apenas copiou” o trabalho como afirma a revista HGV. Mas uma coisa é certa, a diferença de comportamento em relação aos políticos corruptos brasileiros é notória.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *