Início » Brasil » Política » Quase metade dos franceses defende volta de Strauss-Kahn à política
Pesquisa

Quase metade dos franceses defende volta de Strauss-Kahn à política

Entre os eleitores de esquerda, 60% querem o retorno do ex-chefe do FMI à cena política francesa

Quase metade dos franceses defende volta de Strauss-Kahn à política
Strauss-Kahn foi libertado na última sexta-feira (Fonte: Reprodução/Getty Images)

De acordo com uma pesquisa da Harris Interactive, uma empresa de pesquisa de mercado, entre o público em geral, 49% dos eleitores franceses querem o retorno do ex-chefe do FMI Dominique Strauss-Kahn ao cenário político francês.

Divulgada neste domingo, 3, a pesquisa contou com a participação de mil franceses com 18 anos ou mais e revelou ainda que 60% dos eleitores de esquerda da França querem a volta de Strauss-Kahn à política do país.

Reviravolta no caso

Após uma reviravolta no escândalo envolvendo Dominique Strauss-Kahn, acusado de agressão sexual contra uma camareira de um hotel de Nova York, o ex-chefe do Fundo Monetário Internacional, que estava em prisão domiciliar desde o final de maio, foi libertado na última sexta-feira, 1º.

Ainda segundo a pesquisa, que foi feita após a libertação de Strauss-Kahn, 45% dos eleitores franceses entrevistados disseram que são contra a volta do ex-chefe do FMI à política da França.

Campanha presidencial francesa

Antes do escândalo de agressão sexual, Dominique Strauss-Kahn era considerado o principal nome do Partido Socialista para as eleições presidenciais francesas do ano que vem.

Apesar do interesse da esquerda da França no retorno de Strauss-Kahn à política, a pesquisa mostrou que somente 51% dos eleitores de esquerda querem que o Partido Socialista amplie o prazo para registro de candidaturas para a campanha presidencial francesa, que termina no dia 13 de julho.

Fontes:
Portal Exame - 60% dos franceses querem Strauss-Kahn de volta à política

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

2 Opiniões

  1. Regina Caldas disse:

    A possibilidade de uma candidatura de DSK torna-se cada vez mais remota. Agora uma escritora que alega ter sido abusada por ele em 2002, e à época atendendo ao conselho da mãe em não tornar público o caso, decidiu processá-lo…No mínimo tal atitude revela sua falta de caráter e oportunismo que deverá ser levada em consideração pelo tribunal. A mãe da escritora é socialista, se à época não lhe interessou acusar DSK, qual o interesse agora? Eleições programadas para a vitória do Sarkosy?

  2. Peter Pablo Delfim disse:

    O Brasil é sugado por “pavões misteriosos”, que já foi tema de novela. Sarkosy é o “pavão inescrupuloso” europeu tema de pastelão imoral e amoral. Strauss Kahn apenas toma um pouco do veneno que tantas vezes repartiu. É briga de luxuosos gabinetes.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *