Início » Brasil » Política » Quem será o próximo?
Mundo árabe

Quem será o próximo?

Iêmen e Sudão surgem como prováveis palcos de revoltas semelhantes às da Tunísia e do Egito

Quem será o próximo?
Manifestantes egípcios continuam acampados no centro do Cairo

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Quase todos os líderes dos 22 países da Liga Árabe (todos eles ditaduras, exceto os do Líbano, Iraque e dos Territórios Palestinos, um trio de defeituosas exceções) ficaram agitados com os eventos no Egito e na Tunísia, mas alguns são , sem dúvida, mais vulneráveis. O mais recente jogo de adivinhação entre os árabes é: “Quem será o próximo?”. Abaixo, a lista de países da Liga Árabe, a data de ascensão de seus líderes, e suas posições nos rankings de democracia, corrupção e liberdade de imprensa:

O candidato mais óbvio é o presidente do Iêmen, Ali Abdullah Saleh, que lidera a república do norte desde 1978 e a nação reunificada desde 1990. Ele enfrentou dura pressão, antes mesmo dos tumultos na Tunísia, com revoltas tribais no norte, separatismo no sul, e a al-Qaeda no leste e no resto do país.

Nas últimas semanas ele viu protestos, até então inéditos, na capital, Sana’a, organizados por uma frágil aliança de estudantes conectados pela internet, islamitas, e outros, conhecida como o Encontro dos Partidos. No dia 2 de fevereiro, seguindo os passos do egípcio Hosni Mubarak, ele disse que não irá concorrer na eleição presidencial, marcada para 2013. Mas os manifestantes, anunciando um “dia de fúria” no dia 3 de fevereiro, exigiram que ele abandonasse o cargo imediatamente.

Saleh é um manipulador da complexa sociedade tribal do Iêmen, e ainda conta com a lealdade das forças armadas. Sua queda antecipada não é algo que pode ser dado como certo, e, caso ele caia, o caos pode tomar o país.

O presidente do Sudão, Omar al-Bashir, considerado culpado por “perder” o sul do país, por não conseguir elevar os padrões de vida no país, é outro forte candidato. Nos últimos dias, jovens desempregados entraram em conflito com a polícia nas ruas de Cartum; pelo menos 70 foram presos e um foi morto. Tropas de choque e policiais à paisana fizeram um cerco às universidades.  

Os manifestantes se concentraram nos aumentos do custo de vida, causado em parte pela retirada de subsídios governamentais para gasolina e açúcar – um assunto delicado para o mundo árabe. Os líderes da Jordânia, Argélia e Líbia diminuíram impostos sobre alimentos importados ou baixaram os preços de alimentos básicos por medo de que revoltas pudessem acontecer em seus países.

Os líderes dos Estados árabes mais repressivos, como a Muammar Qaddafi, da Líbia, e Bashar Assad, da Síria, parecem determinados a reprimir quaisquer protestos; os manifestantes, alguns provavelmente preparando demonstrações, serão rapidamente perdoados, mas se as revoltas acontecerem, o resultado final pode ser sangrento.

O rei do Marrocos parece estar em uma posição segura. Os menos vulneráveis de todos são os monarcas do Golfo, cuja generosidade financeira geralmente mantém suas pequenas populações quietas. Mas a Arábia Saudita, o mais rico e mais populoso Estado do Golfo, é um caso à parte. Com uma classe média burguesa e bem-educada, uma família real prestes a encarar uma desconfortável sucessão, e a al-Qaeda tramando contra o país, a monarquia pode estar a salvo por enquanto – mas talvez não para sempre.

Fontes:
Economist - Variously vulnerable

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

2 Opiniões

  1. Markut disse:

    Este caldeirão fervilhante do Oriente Médio, a chamada Liga árabe,tirante as discutiveis execeções de Líbano, Iraque e os territórios Palestinos(?) guarda uma nada supreendente uniformidade nos seus índices de democracia e liberdade de imprensa.Quanto á corrupção há, de fato, alguns califados mais bem colocados.
    O significado disso merece uma exegese àparte.
    Não vai ser amanhã que iremos assitir a instauração de um regime democrático, tal como nós o entendemos, numa região secularmente absolutista e medieval.
    O sonho secular do domínio imperial do islamismo, aplicado sobre todos os incréus ainda está vivo.
    Israel, Estados Unidos e Europa estão aí para apontar o clássico inimigo externo, constituido de infiéis que devem ser simplesmente eliminados a golpes de alfanje.

  2. Jião Cirino Gomes disse:

    O Brasil civilizado, dos corruptos patifes, e dos patriotas idiotas.

    No passado; patifes políticos e sacerdotes usaram o subterfúgio do desarmamento, e da religião, para subjugar os índios americanos.

    Depois de desarmá-los, foram com força e crueldade para cima deles. Tomaram suas terras, e os confinaram em pequenas reservas. Transformando guerreiros orgulhosos, em submissos farrapos humanos, levando-os, a uma condição de mendigos.

    E no Brasil, alguns tiranos estão usando este mesmo artifício para se prevenirem; pois temem que a população insatisfeita, com as injustiças das estruturas sociais, deixe que seus pensamentos vaguem pela nuvem da rebelião.
    Eles sabem, que seres marginalizados por um sistema corrupto, dificilmente se tornarão um monumento de serenidade e alto controle.
    E como poderão controlar homens sem perspectivas de vida, que tem a consciência sangrando, por verem terras férteis em abundância, e seus filhos desnutridos morrendo de inanição?
    A estratégia esta sendo, manietar e prender parte das vitimas deste sistema enganoso em currais eleitorais; e para acalma-los, usam as verbas que roubam descaradamente do próprio povo, ou seja, dos aposentados!
    Mas, e se um dia, este povo acordar, a paciência esgotar, e toda a população revoltada se juntar e marchar pela terra, querendo o cumprimento da democracia, e dos direitos iguais, tão prometidos em época de eleição?
    E se exigirem uma verdadeira justiça, e justa distribuição de renda?
    Os corruptos conhecem esta possibilidade; e temerosos, estão se precavendo:
    Pois, se este pessoal se unir, melhor que estejam com a barriga vazia, músculos atrofiados, e com paus e pedras nas mãos!

    Já ficou mais que provado; a verdadeira causa da violência, são os desfalques nos cofres publicos, e a ganância que deixa o povo abandonado as margens, sem trabalho, sem educação,sem acesso a saúde e sem opção de vida digna!

    Nós sabemos, que não são só as armas que matam; através de fatos, podemos concluir, que até mesmo uma caneta, nas mãos de seres insensíveis, se torna uma arma, e mata mais que epidemia.

    Para comprovar tal fato, basta recordarmos “Santos Dumont”, um cientista consciente que se suicidou decepcionado, por ver o avião, sua invenção, ser usado para jogar bombas.

    Os políticos estão preocupados, mas não é com o bem estar da população, ou com a diminuição da violência!

    Se o bem estar da população estivesse entre suas preocupações; eles dariam mais atenção, à saúde e a educação, que são princípios básicos.

    Seriam mais éticos! Dariam exemplo de honestidade, arrancando as flores espinhosas dos vasos internos, apurando com mais rigor, os atos vergonhosos de fraude e corrupção!

    Em primeiro lugar, acabariam com a imunidade, que contradiz com a democracia, e da aos corruptos, à certeza da impunidade!
    Sorte é que; enquanto o povo é engambelado, os hipócritas que os oprime, continuam lhes passando mel na chupeta, e se passando por salvadores da pátria!

    Mas até quando, conseguirão manter a população ludibriada desunida e na ilusão?

    A tirania é antiga! E só vai acabar, quando o homem tomar consciência, de que o mundo será melhor sem ela!
    E enquanto isto não acontece, o espetáculo neste circulo vicioso só tende a continuar.

    Ai esta a formula usada, para um Brasil civilizado, de corruptos patifes, e patriotas idiotas.

    Sem investimento em saúde, educação, segurança, moradia, e trabalho com salários dignos; o Brasil pode até prosperar; mas seu povo estará regredindo no tempo!
    Talvez regressemos até os tempos medievais, pois cansamos de ver políticos usando, e abusando dos impostos em beneficio próprios; criando desta forma, uma raça de cordeiros submissos, dependentes e desinformados!

    Muitos subjugados, ao bel prazer, dos mesmos hipócritas, corruptos e demagogos, que falam em democracia, ética, justiça social e justa distribuição de renda; enquanto acumulam fortunas ilicitamente, se achando semideuses; acima da constituição, da lei, da justiça, do bem e do mal!

    Ordem e progresso é?

    Com tanta ganância e corrupção, estes crápulas, estão é esculhambando com a Democracia, com a cidadania, com a Bandeira, com a Pátria, com a “Ordem e com o Progresso”!

    As ordens são para os humildes, e o progresso para os poderosos!

    Este texto é de minha autoria; mas pertence a toda população; pois parte conhece suas obrigações; só precisam conhecer seus direitos ao trabalho, a dignidade, a educação, a segurança, a saúde, a moradia e a justiça!

    E saber, que uma verdadeira democracia, consiste no respeito pela vontade e direito da maioria!

    Autor independente: Janciron

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *