Início » Economia » Internacional » Rahul Gandhi finalmente começa a se interessar por política
eleições na índia

Rahul Gandhi finalmente começa a se interessar por política

Filho de uma família política tradicional, que tem dominado o Partido do Congresso por quase um século, só agora Rahul Gandhi sinaliza querer assumir a Índia

Rahul Gandhi finalmente começa a se interessar por política
Eleições na Índia devem acontecer em abril (Reprodução/The Economist)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Trata-se de uma ironia da política indiana o fato de que o homem que poderia ter assumido o posto de primeiro-ministro a qualquer momento nos últimos cinco anos nunca desejou fazê-lo. Rahul Gandhi, 43, é o herdeiro da dinastia Nehru-Gandhi, a qual tem dominado o Partido do Congresso por quase um século. Sua mãe, Sonia Gandhi, presidente do partido, é a madrinha política do subserviente primeiro-ministro Manmohan Singh.

Leia Mais: Primeiro-ministro da Índia diz que vai deixar posto após dez anos

Singh já deixou claro diversas vezes que renunciaria ao posto no momento em que Rahul sinalizasse estar pronto. Esse momento nunca chegou. Em uma coletiva de imprensa em 3 de janeiro (a 3ª de Singh em uma década), o primeiro-ministro, 81, finalmente anunciou que se aposentaria após uma eleição geral, que deve acontecer em abril. Ele estimulou os eleitores a transformar Rahul Gandhi em um líder nacional. O homem mais jovem, em uma rara entrevista a um jornal indiano publicada em 14 de janeiro, afirmou modestamente que “obedeceria quaisquer ordens” determinadas pelo partido. A frase morna foi amplamente interpretada como um sinal de que o jovem Gandhi está finalmente pronto – mas primeiro o seu partido precisa conquistar os votos necessários.

Gandhi provavelmente está sendo sincero quando afirma não ser um político natural. É difícil identificar qualquer estratégia coerente nos últimos cinco anos. Até mesmo muitos de seus correligionários parecem estar fartos de tê-lo como seu membro do parlamento: ele terá que batalhar para manter o seu posto em Amethi, em Uttar Pradesh (UP).

Há pequenas frestas de luz no fim do túnel para Rahul Gandhi. Em face de uma queda de prestígio do Congresso, ele passou a se manifestar mais a respeito de questões controversas, e parece disposto a repreender o seu próprio governo sobre temas relacionados à corrupção. Gandhi precisa aprender a se colocar como um líder nacional e resistir a uma eleição que provavelmente terminará em derrota. Isso pode revelar nele uma ambição que até então parecia inexistente, mas isso pode acontecer tarde demais.

 

Fontes:
The Economist-Watery Sunrise

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *