Início » Brasil » Política » Sacolas plásticas prestes a serem proibidas em São Paulo
Projeto é criticado

Sacolas plásticas prestes a serem proibidas em São Paulo

Falta apenas a sanção do prefeito Gilberto Kassab

Sacolas plásticas prestes a serem proibidas em São Paulo
Distribuição de sacolas plásticas nos supermercados pode ser proibida (Fonte: AE)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Um projeto de lei que proíbe a venda e a distribuição gratuita de sacolas plásticas em estabelecimentos comerciais de São Paulo foi aprovado nesta terça-feira, 17, por 31 votos a favor, 5 contra e 12 abstenções na Câmara Municipal da capital paulista.

Falta agora apenas a sanção do prefeito Gilberto Kassab (PSD) para que a lei passe a valer a partir de 1º de janeiro de 2012.

Os supermercados, shoppings, lojas e outros estabelecimentos comerciais da capital paulista serão obrigados a fixar avisos com as frases “Poupe recursos naturais! Use sacolas reutilizáveis”. Quem não cumprir a possível determinação pode ter que pagar multas que variam de R$ 50 a R$ 50 milhões.

Projeto é alvo de críticas

Algumas entidades, como o Instituto Nacional do Plástico (INP), a Plastivida e o Sindicato dos Químicos e Plásticos de São Paulo e Região, criticaram a aprovação do projeto de lei na Câmara, ressaltando que faltou um debate mais amplo sobre o tema e que a medida pode gerar desemprego na indústria.

Rítalo Alves Lins, secretário de comunicação do Sindicato dos Químicos e Plásticos de São Paulo e Região, questionou o projeto, chamando de um “debate falso” o argumento de que a sacola plástica deixará de circular com a aprovação da lei. “Se eu não puder pegar no supermercado a sacolinha plástica, vou ter que comprar aquela sacola plástica preta para o lixo. Viu como o debate é falso?”, ressaltou.

Estimativas dão conta de que o paulistano leva para casa, em média, 59 sacolas plásticas por mês.

Leia mais:

Restrição de sacolas plásticas gera polêmica

Fontes:
G1 - Entidades criticam lei que veta uso das sacolas plásticas em SP
Estadão - Câmara de SP aprova lei que acaba com sacola plástica

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

2 Opiniões

  1. Luís Bustamante disse:

    Impressiona-me como certas pessoas são ou fingem ser míopes com relação a alguns temas polêmicos. No caso das sacolas plásticas, extingui-las não é solução, o que precisa é educarem-se usuários para o uso e o descarte corretos (uso e descarte incorretos acontecem em todas as classes sociais). Proibir o uso das sacolinhas não vai impedir que as pessoas continuem jogando nas ruas as garrafas pets e todo tipo de lixo que polui e enfeia nossas cidades.
    Além dos ecochatos, tem mais gente interessada nessa proibição – e não é o povo.

  2. Marise Benitez disse:

    Sobre a proibição do uso de sacolas plásticas, acho que a lei ficou pela metade – entraram com a proibição mas não ofereceram a solução. Eu reaproveito todas as sacolas plásticas que entram em casa para as lixeiras dos banheiros, da cozinha e tb para o lixo reciclavel. Com a proibição, vou ter que passar a comprar sacos de lixo para tudo isto. Ou seja trocaram o ‘6 por meia dúzia’… O certo seria obrigar a todos os estabelecimentos a fornecerem sacolas biodegradáveis, mesmo que tivéssemos que pagar os tais R$ 0,20 por elas.
    Aquela idéia de fazer cones com jornal para se colocar nas lixeiras, é totalmente estapafurdia começando pelo fato de que quase ninguém mais tem jornal em casa, passando pelo fato de que isto não resolveria o problema do lixo que libera líquidos e também porque isto é horroroso e eu nunca colocaria forros de jornal nas lixeiras dos banheiros (por exemplo).
    Estou de acordo com a lei, até porque me dá nojo mesmo ver aquelas sacolas plásticas boiando nas ruas quando temos enchente em algum lugar (coisa que só acontece também por conta da esporquice do povo, e no caso viria muito bem uma campanha massiva para tentar dar um mínimo de educação e consciência para esta gente)
    Mas a simples proibição das sacolas plásticas não vai resolver o problema sem apresentarem uma solução viável para substituí-las. Caso contrário, em vez delas vamos passar a usar os sacos plásticos comprados e vai dar tudo na mesma.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *