Início » Brasil » Política » Toc! Toc! Toc! É 2011 pedindo passagem!
Grita Brasil

Toc! Toc! Toc! É 2011 pedindo passagem!

Esse final de ano é especial, pois acaba a Era Lula. Acaba ou pelo menos se interrompe. Por Claudio Schamis

Toc! Toc! Toc! É 2011 pedindo passagem!
Opinião e Notícia

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Parece que foi ontem que estávamos fazendo nossa listinha de promessas e indo romper o ano e nem bem chegamos ao final desse nossa lista e já estamos indo romper outro ano. E foi assim que se passou um ano: Num piscar de olhos. Só que esse final de ano não é um simples final de ano. É um final de ano especial. Para ambos os lados. Afinal tudo tem seus dois lados. É o lado A e o lado B. É como se tivéssemos uma moeda, onde temos a cara e a coroa. Não sei se nesse caso seria o “cara”, se for assim, fico com a coroa e vou de férias pro Haiti.

Mas então, esse final de ano é especial, pois acaba a Era Lula. Acaba ou pelo menos se interrompe – isso se for verdade o que andam falando por ai que Lula volta – o que para muitos foi o melhor governo que a história desse país já teve registrado em seus livros. Ao mesmo tempo em que para o outro lado é o fim de um dos governos mais corruptos que a história desse país também já registrou. Rixas e rachas à parte a verdade é que Lula é um fenômeno. Tanto para o bem quanto para o mal.

É muito difícil definir Lula. Não acho ser possível se chegar a um consenso. Sempre teremos brigas, acusações. De ambas as partes. O problema é que geralmente a outra parte é mais radical e acha que tudo é fruto de uma conspiração do inferno, que não conseguimos ver a magnitude do mito Lula. Eles não aceitam críticas. Eles não dão nunca o braço a torcer. Tudo é sempre culpa da outra parte que não enxerga, não sente e não sabe. E a outra parte acha justamente tudo isso e um pouco mais. E então ficamos nesse impasse.

Acho que não existe a verdade absoluta. Deveria existir sim o bom senso. Mas isso custa e custa caro. E ninguém está disposto a pagar o preço. O preço é alto.

Não estou aqui para dizer que nada prestou. Sempre se consegue aproveitar alguma coisa. Até o bagaço da laranja é aproveitável.

O problema é na hora de fazer o balanço geral. De se colocar tudo na balança. É nesse momento que as coisas se perdem e ganham contornos de guerra declarada. De um lado do ringue os amantes e adoradores de Lula e do outro lado os contestadores, acusadores e sem coração, inimigos mortais de Lula. Não é para ser assim.

Mas em se tratando de Lula, não tem como se separar o joio do trigo. Parece que tudo vem em pacote fechado. Ou você leva o Lula-Paz-E-Amor-O-Melhor-Presidente-Que-O-Brasil-Já-Teve ou leva o Lula-Sem-Noção-O-Presidente-Com-O-Governo-Mais-Corrupto-Que-O-Brasil-Já Teve.

E agora José?

Agora não sei ainda não.

Sei que no geral eu pelo menos não gostei muito do que vi. E eu vi, diferentemente de Lula que por (muitas) diversas vezes disse que não viu, não ouviu nada e que tudo é culpa da oposição e da imprensa. Que tudo foi e é uma tentativa de golpe de pessoas invejosas. Lula fez muita coisa que quando ele estava do outro lado da moeda ele não aceitava batia o pé. E que hoje ele como presidente começou a pensar diferente. Se ele se diz o homem do povo, está aquém disso.

Mas como foi feito um ótimo trabalho de marketing da imagem dele como sendo um presidente que veio de onde ele veio, tudo que Lula faz, fala, deixa de fazer todos os adoradores dele acham lindinho, fofinho, bacana. Legal. Nuca se gastou tanto com publicidade num governo como no de Lula. Não vou negar que ele é um dos mais populares presidentes que o país já teve. Mérito dele. Mas isso não deveria ofuscar a real realidade. Não a realidade inventada.

Só que agora não há mais nada. Lula entra na contagem regressiva para como ele mesmo disse ‘viver a vida das ruas’. E isso pode ser uma linda fala, uma fala fofa, mas será que Lula depois de oito anos sabe o que é isso? Será que veremos Lula fazendo malabares nos sinais fechados, ou com uma banquinha de camelô, ou até mesmo vendendo balas dentro dos ônibus dizendo que podia estar roubando, matando? Lula viveu um sonho. Um sonho de Ícaro. Comeu como um príncipe. Viajou. Deu a volta ao mundo. Visitou 84 países. Tornou-se PhD em eleições internacionais quando disse que as eleições do Irã foram legítimas. Foi comentarista esportivo e nutricionista quando disse que Ronaldo estava gordo. Virou consultor em inaugurações de obras inacabadas. Foi advogado quando defendeu pessoas que não tinham defesa. Se tornou especialista em analisar imagens dizendo que aquilo que estávamos vendo não era bem isso e que poderia aquilo.

Lula foi isso tudo. Lula é isso tudo. Sei que vai deixar saudades. Mas quem sabe ele não volta em 2014 para alegria de muitos e desespero de outros?

Já dizia a música de Ivan Lins: “desesperar jamais”. Pode até ser!

O que não poderia é Lula quando se encaminha para apagar a luz falar que o acordo para o aumento do salário mínimo não pode ser só para ganhar mais. O que ele quis dizer com isso, não sei. Só sei que é ridículo um presidente como ele do povo, achar que o mínimo de aumento para o salário que é mínimo tá de bom tamanho e que se precisar a Dilma depois resolve. E que em nenhum momento ele falou que o aumento dos parlamentares era abusivo. E que vetaria. Não, deixou o barco solto, ou vai ver nem viu, nem soube.

Esse é o Lula.

Salvem as baleias. Não joguem lixo no chão. Não fumem em ambientes fechados.

FELIZ 2011!!

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

21 Opiniões

  1. Sandra disse:

    “Na história, nada é mais gostoso do que ver um miserável acabar o prazo de validade. E a pensar que teve uma gentalha que ainda achou que um certo suíno barbudo merecia o Prêmio Nobel da Paz ou ser o Secretário-Geral da ONU. Este imbecil recalcado sempre foi um poço de ódio. No mundo, quem é respeitado é o Brasil por causa dos brasileiros. Jamais por causa dele. Ele é apenas aquele novo rico endinheirado que todos aturam as grossuras e a estupidez porque está dando lucro, mas que ninguém convida para a sua casa ou para uma partida de golfe. Perdendo o cargo, este ser desprezível vai voltar a ser apenas aquele b* que, no fundo, sempre foi ,sem os 3 C indispensáveis para um grande líder: cultura, caráter e coragem.”Coturno Noturno.

  2. jaderdavila the small shareholder disse:

    bolsa-pilantra.
    eu te dou dinheiro em troca de nada
    e vc vota sempre na minha turma.
    é a forma mais segura de se manter no governo.
    melhor que representar deus [aiatolá],
    melhor que fazer do governo uma associaçao comercial [china],
    melhor que tomar à força [terceiro mundo].
    nem o machiavelli conseguiu tanto.

  3. Amadeu Pereira dos Santos disse:

    O Lula é como o Corinthians: Ambos já foram rebaixados e ambos já foram consagrados. O torcedor corintiano chorou quando o Timão foi rebaixado; e o torcedor chorou da mesma forma quando Luiz Inácio Lula da Silva foi derrotado por Fernando Henrique Cardoso em 1984
    . O torcedor lulense sofreu. Mas a exemplo do torcedor corintiano, não abandonou seu ídolo. Esperou outros 4 anos, quando tinham certeza que Lula alcançaria a vitória. Mas usando recursos de golpes baixos, Fernando Collor de Melo levou a melhor e o metalúrgico seria derrotado pela segunda vez. Os torcedores de Lula, cabisbaixos, enfiaram suas bandeiras no saco e voltaram para casa na mais triste das desilusões. Mas, outra vez, os 40 milhões de torcedores lulenses não abandonaria o seu time. E se puseram a esperar que outros 4 anos passassem depressa, até que chegasse o ano de 2002. Felizmente, neste ano, os fãs do nordestino/metalúrgico puderam arrancar do fundo da garganta, os vários milhões de gritos, por oito anos sufocados. Luis Inácio Lula da Silva havia conseguido ser eleito Presidente do Brasil.
    A exemplo do Corinthians, Lula passou a ter a maior torcida do Brasil, por isso foi eleito em 2002; reeleito em 2006 e fez seu sucessor em 2010. No entanto, tenho a impressão que o maior feito do Presidente está no fato de ter conseguido dar o maior nocalte no preconceito contra as mulheres ao fazer Dilma Russeff sua sucessora na presidência da República do Brasil.

    Tenho certeza que certos adjetivos imputado a esse homem são veementemente repudiados por seus milhares de fãs….

  4. João Cirino Gomes disse:

    Aumento mesmo tem os parlamentares: Além de seus salários principescos, podem exercer vários cargos ao mesmo tempo, não sei como sei como; mas muitos tem varias aposentadorias cheias de mordomias! E mesmo assim desviam, super-faturam e nos roubam! E como já ficou comprovado; ninguém é punido, ou devolve um centavo daquilo que rouba dos cofres públicos!
    Pois eles tem a lei de imunidade para acoberta-los!

  5. WikiGoya disse:

    Olá!!!
    Também não gostei de muita coisa que ficou exposta no governo do Lula… Mas está provado que um pau-de-arara pode dirigir um país… um homem do calibre dele e um vice-presidente com câncer que muitas vezes esteve internado quando o nosso presidente ESTAVA VIAJANDO… eu pergunto: afinal QUEM GOVERNAVA O PAÍS NESSE PERÍODO? Essa pessoa, ou essas pessoas precisavam aparecer para eu agradecer porque o país não foi invadido pelas fronteiras e saqueado dentro de seus domínios! Os domínios das 200 milhas de mar, as fronteiras com os países vizinhos… Bolívia que é a maior plantação de coca do mundo… A ponte da Amizade… Raposa Serra do Sol…
    E no final, as FARC apoiam a nossa presidente… com certeza vamos ter mercenários amigos protegendo nossas divisas no norte…já que nossos militares são barrados pelos índios!
    Eu queria saber porque somos tratados mal lá fora qdo dizemos q somos brasileiros, devem saber de mais coisas a nosso respeito que não sei…

  6. WikiGoya disse:

    Oi de novo
    Vamos deixar bem claro q não gosto de politicos. Para consertar o Brasil poderíamos importar uma referencia de Singapura e o seu método. Antes da renovação que ele sofreu, uma mulher saía na rua e podia voltar estuprada para casa. A roubalheira era flagrante em todo o governo, as prisões eram cheias de todo tipo de gente…Quem mudou isso ao entrar no governo usou de força e puniu de fato os criminosos. Hoje vc cospe na calçada lá e toma uma multa. mas se vc dirigir respeitando a lei pode receber um cheque de premio por boa conduta no trânsito!!! Afinal, existe condiçao para melhorar um país. Mas o governante tem que ter 2C, “c*ão e coragem”…

    Agora, o nosso país SEMPRE teve corrupção. Apenas ela não era exposta como foi nesse governo. SEMPRE TEVE GRANDES EMPRESÁRIOS POR TRÁS DOS PRESIDENTES! E eles sempre ganharam e conduziram o governo comprando benesses para si! O problema não são os grandes empresários brasileiros, eles são nossa gente. O maior problema são os governantes financiados por EMPRESÁRIOS ESTRANGEIROS… estes têm interesse em mandar na gente e são gente de fora querendo levar divisas ganhas á custa de nosso trabalho!! Enquanto estão dentro do nosso país nos esfolam, depois saem levando todas as vantagens possíveis, sem perdas… para eles!!

  7. frambell disse:

    A SEGUNDA INDEPEDÊNCIA DO BRASIL
    Pela dificuldade em se achar uma solução para os problemas do Brasil, até algum tempo atrás pensávamos serem tais problemas insolúveis. Melhor seria abandonar qualquer tentativa de resolvê-los. Nenhum dos presidentes tinha conseguido. Ainda, que dissessem se esforçarem muito para isso tudo continuava como antes. Profundamente desapontados muitos de nós chegaram a considerar o Brasil um caso perdido. Eu, porém, jamais perdi a esperança de um dia me orgulhar do meu país.
    Desde o fim da ditadura, quando comecei a votar em presidente, eu votava em Lula. Os demais nunca me inspiraram confiança. Algo me dizia que com todos os defeitos que lhe atribuíam as elites e suas “claques”, seria ele o único capaz de dar rumo ao país. Para nos orgulhar tínhamos poucos motivos. Apenas, as mulatas com a pouca roupa de sempre sambando no carnaval, e a seleção brasileira de futebol, a mais campeã de todas as seleções. Era pouco. Convenhamos, para um país de potencial e dimensões continentais é muito pouco. Estávamos, ainda, nos acostumando à liberdade e a informação. Sabíamos pouco sobre corrupção e violência, apenas, como subprodutos da demagogia política da época. Era demais continuar assim.
    Surgido dos movimentos sindicais nos anos 70, Lula foi logo tomado pelos poderosos da época como agitador. E não era pra menos. Além de falar olho no olho com os poderosos empresários, alertava a nação para a forte influência dos norte-americanos sobre o governo brasileiro, a quem às vezes deixavam ajoelhado sobre grãos de milho, castigo imposto pelo FMI. Era ousadia demais para um operário.
    O governo invasor estabelecido em Brasilia por Washington, simplesmente, transformava os presidentes brasileiros da época, em bonecos de ventríloquo. Aparentemente, o Brasil era governado por brasileiros nativos, porém, nada podiam fazer a não ser obedecer às ordens em inglês, dadas pelos orgulhosos burocratas do FMI. O maior credor internacional do Brasil nos governava como se fôssemos uma das suas colônias. Das menores. Talvez, tal humilhação fosse mais uma estratégia genial gerada nos cérebros privilegiados da nossa elite governista, para garantir a nossa soberania. Alguém, ainda, há de dizê-lo.
    Durante toda a década de 90, nada era mais pontual que o desembarque mensal de um grupo de executivos americanos em Brasilia. A missão: conferir as contas do país e dar ordens ao “presidente” brasileiro sobre como administrar a nossa economia corroída pela hiperinflação. Cumprida a missão, o grupo voltava a Washington em seguida. Claro que alguém permanecia no Brasil em tempo integral, era preciso manter a Casa Branca informada.
    Os americanos sempre “adoraram” o Brasil. Talvez pelo clima. Tanto que no finalzinho do século XX, começaram a sonhar em estabelecer uma base militar no limiar da Amazônia, pelo Maranhão. A preferência pelo local, certamente, se deveu a forte atração que os americanos sentem pela natureza, especialmente, pelas selvas. Escolheram Alcântara, base brasileira de lançamento dos nossos foguetes equipados com satélites meteorológicos e de outras utilidades oficiais. Mas foi pura coincidência. Alcântara seria transformada em área de lazer. Um “Play Ground” para adultos americanos em plena Amazônia. Apenas, uma alternativa de “passa tempo” para os ilustres “inquilinos”. Quem nunca ouviu falar da loucura dos americanos por jogos de guerra, não é mesmo?
    Com um “Yes, Sir”, em um inglês perfeito, Fhc, o nosso presidente da época, ordenou instantemente ao departamento pertinente que tomasse as providências cabíveis para a acomodação dos “gringos. “O que aqueles pobres diabos poderiam fazer para se divertir no meio de uma floresta tão densa sem o menor atrativo?” Teria comentado. Teve até quem pensasse ser tal “sofrimento” uma vingança do Brasil contra o imperialismo ianque. ”.
    Tudo isso, depois de o acordo ter sido rejeitado pela Comissão de Relações Exteriores da Câmara dos Deputados, por considerá-lo lesivo à nação.

    Entretanto, a Comissão de Costituição e Justiça sugere um debate do assunto em plenário. Porém, forças ocultas voltam a atacar depois de 50 anos. Só se sabe que entre as tais forças estavam grandes universidades brasileiras, políticos, intelectuais e outros brasileiros, que numa reunião no Teatro João Caetano, no Rio de Janeiro, frustraram o sonho americano de construir uma “Disneylândia” no Brasil. Um golpe para o governo brasileiro que, sempre’ gostou de agradar aos americanos.
    Não fossem as forças ocultas que apoiavam Lula, já na época um dos políticos de maior destaque do país, se quiséssemos hoje passear pela Amazônia teríamos antes que enviar a Washington um pedido de autorização para visitar a região considerada a mais estratégica da humanidade, em nosso próprio país. Que orgulho para nós, não. Podíamos ter o pedido aprovado depois de… Exatamente, quanto tempo, ninguém sabe. Da mesma forma, porém, poderia ser rejeitado. Afinal, só depois de o FBI dissecar todos os documentos do solicitante, certamente, começando pela Caldéia, no inicio do Antigo Testamento, seguindo os passos de Abraão, desde a sua partida da cidade de Ur até Canaã, a terra prometida. Afinal, Abraão é o pai da humanidade, designado pelo próprio Deus de Israel, seu amigo declarado.
    A investigação seria de conteúdo altamente explosivo, dada a carga política contida na missão. Digamos que os “american spies” tivessem que exumar o cadáver do filho de Abraão com Hagar, ao qual chamou de Ismael, dando inicio a civilização árabe. O mesmo procedimento seria realizado no túmulo de Isaac, filho de Abraão com Sara, e pai de Jacó, cujos doze filhos deram inicio a Israel. Viram? Antes disso, nada seria decidido se o pedido seria ou não aprovado. Caso a resposta viesse a ser positiva, restaria saber qual o valor do pedágio a ser pago pelos brasileiros para passearem pelo Brasil, na Amazônia. Poderia ser 1000 dólares, 10 mil, ou mais… Do jeito que eles são preocupados conosco, dependeria muito do número de soldados para proteger, e não para vigiar os passos dos nossos turistas em viagem em seu próprio país. Porém, quem garantiria que a Amazônia, ainda, seria nossa? Se não fosse fazer o quê? Pelo menos a gente ficaria sabendo que eles nos “adoram”.
    Todavia, ele. Sempre ele. No início do século XXI, o “mal” articulado presidente Lula, que incomoda muito mais que a humilhação imposta por outro país ao nosso, assume a comunicação oficial do Brasil com o mundo. Ao abandonar o cansativo caminho que sempre leva a Washington, muda o rumo da conversa e escandaliza seus perplexos críticos que o assistiam pela televisão. Inclusive, vendo em “close” a reação dos seus interlocutores entendendo seu idioma. Traduzido, claro. Os “vídeo espectadores” brasileiros, de oposição, comentavam preocupados o vexame que, certamente, Lula estaria dando, ao expor a nossa nação daquele jeito: “Tem gente que não se enxerga mesmo, não é?”. “Olhe só, o terno do cara. Deve achar que o governo tem dinheiro pra jogar fora. Só pode!” – comentavam.
    Até que num de seus regressos ao Brasil, Lula mostra como havia superado as dificuldades de articulação com os paises mundo afora.
    As elites quase vão ao suicídio coletivo ao vê-lo rasgando o verbo “humilhar” em alto e bom som, ao pronunciá-lo com todas as letras em bom português, ao chefe do grupo de americanos a seguinte frase:
    “Se o seu problema é a dívida que temos com o seu país, passe no Tesouro Nacional e pegue a quantia devida e pode ir!”
    Os perplexos americanos que não são bobos nem nada, não só entenderam o português “tosco” de Lula, como obedeceram. Porém, ainda, não era tudo. Com a sua potente voz de barítono, continuou fazendo ecoar pelos luxuosos corredores do Palácio do Planalto o substantivo independência, quase 120 anos depois de D. Pedro I tê-lo feito à primeira vez às margens do Ipiranga. Certamente, noutro tom. Não se tem notícia se o registro de voz do imperador era barítono, baixo ou tenor. Felizmente Lula não foi denunciado pela oposição por ter, eventualmente, cometido esta lamentável falha ao pronunciar a segunda independência do Brasil no mesmo tom do imperador.
    Depois de transpor as janelas de cortinas e vitrais cristalinos, o grito de liberdade de Lula saiu para as ruas e esquinas das cidades, e rincões do Brasil, enchendo de esperança o coração dos brasileiros, despertando um sentimento de orgulho jamais experimentado.

    Seu português que tanto envergonha os nossos intelectuais, mas que atrai o respeito e a admiração do povo simples do país inteiro e das grandes nações, acabara de “expulsar” os arrogantes e antes temidos “invasores ianques”. Ao reduzi-los a, apenas, cidadãos de uma nação “mui amiga”, Lula deixou claro ao mundo que o Brasil deixara de ser a “casa da mãe Joana” , como era considerado pelo mundo, incluindo o próprio Brasil, passando a ser uma nação democrática e soberana. Além de extremamente orgulhosa!”
    Lula fez, apenas, o que corriqueiramente faz o governo americano com os cidadãos que visitam seu país, entre eles os brasileiros. E olhe que nem palpites dão em governo alheio. Aproveitando a oportunidade mandou um recado curto e grosso ao presidente americano:
    “Diga ao Bush que o visitarei em breve. Boa viagem!”
    Após partirem os americanos, de alma lavada, Lula saíu rumo ao seu gabinete.
    Na verdade, os opositores de Lula sabiam que ele não tinha sido eleito para pronunciar o nosso idioma com a correção exigida ao embaixador da cultura do Brasil. Porém, o exigiam de Lula por preconceito. Na tentativa de humilhá-lo perante a sua nação e ao mundo, levaram uma lição pela arrogância.
    Para Lula, no entanto, relevante mesmo era reagir à humilhação imposta por estranhos ao governo do seu país durante décadas, que docilmente obedecia as ordens de estranhos em um idioma que não é o seu”.
    Pois bem, o Brasil votou em Dilma, por senti-la identificada com o projeto de Lula, em favor do Brasil, que não é uma aventura ou projeto piloto. Além do mais, pelo menos no que tange o respeito do mundo para conosco, o ideal de dignidade do presidente Lula para o país ecoará no coração dos brasileiros pelo governo da presidente Dilma, e jamais seremos expostos a vexames e humilhações, como o foi o Brasil de antes de Lula.
    Frambell Carvalho

  8. Markut disse:

    Bem ou mal, essa figura entrou na História. Que história será contada às próximas gerações, após o tempo se incumbir de assentar a poeira?
    Não será a do Estadista de que o país precisava e precisa ainda, para ter conseguido dar mais um passo, no caminho da grande nação que o Brasil tem condições de ser e está longe de ser ainda.
    Terá sido o dirigente pelego – sindicalista , que ascendeu ao cargo máximo, quase que à revelia dos seus atributos carismáticos, e mais por uma feliz conjugação de favoraveis circunstâncias globais, em que ,de fato, houve relativa prosperidade nos negócios, o que permitiu a uma certa proporção de excluidos, ascender ao consumismo, mas não à escolaridade mínima necessária e informada, com que se faz um grande país.
    O resultado disso, foi um lider fabricado pelas vultosas verbas publicitárias “pulverizadas”, nem tão democraticamente,como ele afirma,entre os mais diversos meios de comunicação, aproveitando a ignorância da massa , para se tornar aquela figura tão popular, à semelhança dos sucessivos heróis do futebol,sustentado pelos urros da torcida fanatizada e não pelos atributos mínimos de um chefe de estado.

  9. Lilian disse:

    Claudio Schamis, muito bom o texto!!! Muito interessante a forma com que você pôde transmitir aqui o seu olhar, a sua crítica e opinião, de forma leve e criativa.
    Parabéns pela coluna! Que continuemos em 2011!

  10. Peter Pablo Delfim disse:

    A ignorância sobre política faz com que a ingenuidade se manifeste. A ignorância e a ingenuidade se odeiam. Mas a ignorância, mantém a ingenuidade, que supõem poder alimentar as pretensões das mentiras deslavadas, que por mais que insistam, não conseguem travestir-se de verdade. Uma pessoa é atacada por um grupelho que está na contra mão dos 87% que o defendem. O Governo desta pessoa é o Governo melhor avaliado do mundo, mas o grupelho diz que é o pior. Ou estão todos loucos do lado de lá ou são umas bestas os do lado de cá. Sob esse ponto de vista estão empatados, loucos e bestas. Entretanto tudo se esclarece definitivamente quando se é acompanhado dos 87%. Irrecorrível!

  11. Sandra disse:

    “Tenho certeza que certos adjetivos imputado(s) a esse homem são veementemente repudiados por seus milhares de fãs….”

    Sic!Milhares?Não seriam bilhões,trilhões?Conta de mentiroso é sempre no superlativo, o céu é o limite!
    Já dizia o velho ditado : o presente de Deus para os homens pequenos(aqui no duplo sentido) é um Ego imensurável!
    Antes que me esqueça,o único nocaute ( com U, dicionário Aurélio) que esse presidente deu , foi na lingua portuguesa desaprendida nesses anos de lulismo…

  12. Alvino disse:

    Parabéns Claudio, seu diagnostico é perfeito, o que nos deixa perplexo que alguns, sipatizantes da publicidade governista idolatram uma personalidade melomaniaca e egocentrica com estadista.Seu linguajar bifio só atinge mesmo aos incensatos

  13. GERACINA disse:

    PENSO K. OS DEFENSORES DO LULA AQUI SO PODE SER POLITICOS OU AQUELES K. MAMAN NA TETA DO GOVERNO COM ALTOS SALARIOS. DEFENDER COM MENTIRAS E FACIL.POLITICOS COM AUMENTO DE MAIS DE 62% E TRABALHADOR COM 5%. VERGONHOSO ESSE FATO ELE NAO COMENTA.

  14. Sandra disse:

    Nice try, Alvino!!!Até pra ser sarcástico, há que ter uma certa sutileza e finesse do que o PT carece!!!Happy new 2011, quiçá vcs aprendam alguma coisa depois de 8 anos de poder e tanto dinheiro ‘alegadamente’ surrupiado dos cofres públicos!!!

  15. Beraldo Dabés Filho disse:

    O autor da matéria se tornou, definitivamente, um escravo do Lula.

    Não conseque escrever nada, que não seja odiosa e venenosa crítica ao Homem.

  16. Leidy Santos disse:

    NEM ACABA E NEM INTERROMPE.
    TERÁ CONTINUIDADE COM A SUA VENTRILUCA!
    TÁ FALADO.

  17. Beraldo Dabés Filho disse:

    A turma que odeia o PT não para de chorar.

    Nunca antes neste País o choro foi tão livre, mas esse chororô já tá enchendo o saco!

    Enquanto forem liderados por incompetentes como FHC, Serra, Alckmim, Maia, Guerra, Demóstenes e Caiado, não voltarão ao poder.

    Se a Dilma fizer um bom governo, já estarão irremediavelmente derrotados em 2014. Caso contrário, o Torneiro Mecânico volta e liquida qualquer vá pretensão que tenham.

    Estão naquela situação em que “se ficar o bicho come e se correr o bicho pega”.

    Né fácil não…

  18. Sandra disse:

    A oposição está com o queijo e a faca na mão…
    Ao contrário do que alguns cegos pregam quem se encontra entre a cruz e a caldeirinha é o PT…Esta análise é perfeita :

    “Lula, finalmente, caiu. Está impichado. Com os direitos políticos cassados pelos próximos quatro anos.
    Tudo o que disser contra o novo governo será usado contra ele. Tudo o que disser a favor do novo governo estará enfraquecendo a sua posição para uma futura volta.
    Se criticar, será um golpista. Se apoiar, será um oportunista. Se ficar em cima do muro, será um covarde fugindo da herança maldita que deixou.
    Se aparecer demais estará querendo abafar o governo da sucessora. Se sair em defesa da presidenta estará dando a ela um atestado de fraqueza e incompetência.
    Se tudo der certo, porque Lula de volta? Se tudo der errado, Lula terá o ônus de ter indicado uma incompetente para o seu lugar, com o claro objetivo de voltar.
    A situação não é nada confortável para Lula. Recebeu um ministro? Conspirador! Ligou para a presidenta? Chantagista! Saiu por aí a contar vantagens? Está em campanha eleitoral.
    Declarou que pode voltar? Ditador! Fez críticas à oposição? Está depressivo, bebendo muito, com abstinência de poder.
    A Oposição está com a faca e o queijo na mão. Tem quatro anos para destruir o mito. Não é muito tempo. A única vantagem é que Lula vai ajudar e vai ajudar muito. A falta de poder vai levá-lo à depressão e pode acabar em suicídio político.
    Basta que a Oposição ajude, sem dó nem piedade a que ele meta os pés pelas mãos. Resta saber se temos Oposição para isso ou se Lula vai continuar contando com a benevolência covarde dos punhos de renda e das luvinhas brancas.”Coturno Noturno.

  19. Markut disse:

    Uma boa solução proposta jocosamente por alguem, para o Lula, a esta altura das circunstâncias, seria a Embaixada do Brasil no Vaticano.

  20. João Cirino Gomes disse:

    carop colega Frambel Um golpe para o governo brasileiro que, sempre’ gostou de agradar aos americanos. Nisso eu concordo! Olhe do outro lado da moeda: Lula tanto presenteu nossos impostos a Países de primeiro mundo como disse q

  21. João Cirino Gomes disse:

    carop colega Frambel Um golpe para o governo brasileiro que, sempre’ gostou de agradar aos americanos. Nisso eu concordo! Olhe do outro lado da moeda: Lula tanto presenteu nossos impostos a Países de primeiro mundo como disse que não havia verbas para dar o aumento justo prometido aos aposentedos; não havia verbas para a saude, para a educação, nem para a segurança;mas houve verba s para ele seus amiguinhos, e sua familia todinha se tornar genios e bilionarios da noite patra o dia! E não as claras, foi as custas da socuiedade do Lulinha com banqueiros bandidos, as custas de ijustiças do sangue e suor dos seus eleitores e até dos trabalhadores; Se formos falar sobre terras devemos lembrar que Daniel Dantas e Lulinha estão construindo antenas irregulares por todo o País, Então caro colega não é que estrume mudou e as moscas que continuam as mesmas: É o estrume que aumentou e exala sua fedentina atraindo moscas e parasitas e insetos peçonhentos para defender a gentalha de suas espécies em troca de cargos e favores!

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *