Início » Brasil » Precedente pró-Moro
COLUNA ESPLANADA

Precedente pró-Moro

Juiz Sérgio Moro segue a trilha do promotor italiano Antoniodi Pietro

Precedente pró-Moro
Moro aceitou o convite de Bolsonaro para comandar o Ministério da Justiça (Fonte: Reprodução/Agência Brasil)

Ao aceitar o convite do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) para comandar o Ministério da Justiça, o juiz Sérgio Moro, responsável pela Operação Lava Jato na 1ª instância, segue a trilha de Antonio Di Pietro, promotor que comandou as investigações da operação Mãos Limpas. O italiano virou ministro do governo de Romano Prodi em 1996, e depois de 2006 a 2008. Então, Pietro fundou o partido Itália de Valores. Moro declarou por várias vezes sua admiração pela operação Mãos Limpas.

Aliás

O juiz Moro pretende, como ministro, se aproximar oficialmente da Justiça italiana para tocar convênios, trocas de informações ou até novos acordos.

Trema, italiano

Vem aí a extradição de Cesare Batistti.

Pontapé

Não se iludam, críticos do juiz-ministro ou torcedores para vaga no STF. Moro é o escolhido de Bolsonaro para disputar a sucessão na Presidência.

Já é 2019…

A presidente do PT, senadora Gleisi Hoffman (PR), e o líder do partido no Senado, Lindbergh Farias (RJ), deixaram o plenário na quarta-feira, 31, irritados com o colega Eduardo Lopes (PRB-RJ) que presidia a sessão e limitou o tempo dos petistas em discursos e apartes.

…no Senado

“Temos que seguir o Regimento”, interrompeu Lopes. “Parece que é para mostrar serviço”, retrucou Lindbergh e, na saída do plenário, provocou: “Está querendo um cargo no Governo Bolsonaro”. Informado sobre o embate no plenário, o presidente Eunício Oliveira (MDB-CE), deixou o gabinete às pressas para assumir o comando.

D.O.U. ‘fechado’

O acesso do Diário Oficial da União (D.O.U.) não será mais gratuito. O Governo Federal publicou portaria na quinta-feira que estabelece a assinatura (pagamento) pela publicação que divulga os atos do Governo Federal, como nomeações de funcionários. A Imprensa Nacional, responsável pelo DOU, é vinculada à Casa Civil da Presidência.

Esquemão

A Federação Paranaense de Futebol denunciou o jogador Thiago Almeida Vieira no TJ Desportivo, onde o auditor-relator Augusto Escudero propôs pena de banimento e multa de R$ 10 mil reais. O futebolista era contratado pelo Rio Branco (Paranaguá).

Cartão vermelho

Machucado nas últimas rodadas, Thiago recebeu proposta de um bicheiro para ajudar as apostas e manipular o resultado do time contra o Londrina na 1ª Divisão. Topou e tentou o apoio de jogadores por R$ 5 mi, cada, mas foi caguetado.

No alambrado

O STJD no Rio de Janeiro confirmou a sentença do auditor-relator e Thiaguinho, como é conhecido, não jogará mais futebol profissional em qualquer lugar do mundo.

Nas ruas

Vai voltar a instalação da placa do Mercosul nos carros do Brasil. A AGU derrubou, no STJ, a liminar de uma desembargadora que havia suspendido a pedido de fábricas.

Não, senhora!

O ministro Luiz Fux, do STF, negou mandado de segurança a pedido da desembargadora do TJ do Mato Grosso do Sul, Tânia Garcia de Freitas Borges, para suspender investigação do CNJ contra ela. É a senhora que usou do poder – à época,  presidente do TJMS – para soltar o filho da cadeia.

e-latino

O segundo Encuentro de Periódicos de Latinoamérica (e-latino) acontece de 9 a 12 de novembro em Manaus. Repórteres de grandes jornais do Brasil, México, Uruguai, Argentina, Paraguai e Chile vão navegar por dois dias no Rio Negro e conhecer cases de sustentabilidade em comunidades ribeirinhas.

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

1 Opinião

  1. Luiz Alberto Franco disse:

    O que o ínclito jornalista deveria informar é se o Di Pietro colaborou para a eleição de Prodi…

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *