Início » Brasil » Presidente do PT fala em ‘tsunami’ de notícias negativas contra governo
Eleições 2014

Presidente do PT fala em ‘tsunami’ de notícias negativas contra governo

Ruy Falcão diz que queda de 'apenas' seis pontos na aprovação do governo deve ser comemorada, considerando a enxurrada de notícias ruins na mídia

Presidente do PT fala em ‘tsunami’ de notícias negativas contra governo
Presidente do PT, Rui Falcão, durante reunião em Brasília (Fonte: Reprodução/Folhapress)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Uma pesquisa Datafolha divulgada neste final de semana revelou que a aprovação do governo Dilma caiu seis pontos em abril em relação a fevereiro, atingindo 38%.

Após o anúncio da queda na aprovação do governo da presidente Dilma Rousseff, o presidente do PT, Rui Falcão, disse em entrevista ao jornal Folha de S.Paulo que há motivos para comemorar, uma vez que, segundo ele, houve um “tsunami” de notícias negativas contra o governo nas últimas semanas.

Rui Falcão ressaltou ainda que, apesar da queda, Dilma continua na liderança, e que “os adversários não cresceram e a confiança de mudança está do nosso lado”.

A pesquisa Datafolha revelou também que Dilma (PT) tem 38% das intenções de voto, Aécio Neves (PSDB) aparece com 16% e Eduardo Campos (PSB), 10%.

Questionado sobre um eventual fortalecimento do coro do “volta, Lula”, ensaiado por aliados do ex-presidente dentro do próprio PT e também por empresários, Rui Falcão disse que não há motivos para que isso aconteça, ressaltando que Lula e Dilma são pessoas muito queridas.

Já o forte sentimento de mudança manifestado pelos eleitores é encarado pelo presidente do PT como um desejo de “mudança com continuidade”.

Fontes:
Folha de S.Paulo - 'Mesmo com tsunami contra governo, Dilma ainda lidera', diz Rui Falcão

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

2 Opiniões

  1. Carlos U Pozzobon disse:

    Quem está no governo sempre está com a maioria dos eleitores enquanto a campanha não estiver nas ruas. Sempre foi assim. Evidentemente que os escândalos da Petrobras afetaram o governo e vão afetar ainda mais, na medida em que a base de sustentação manobrar para impedir que o Congresso possa agir segundo seus deveres constitucionais. A Petrobras não estaria em frangalhos se a CPI de 2008 não tivesse sido bloqueada pelo partido governante. Como se trata de fraude, e não de simples suspeita, todos aqueles que dentro do governo estiverem manobrando para ocultar os crimes, poderão ser futuramente responsabilizados como cúmplices. E o caso do deputado sandeu André Vargas com o doleiro Youssef comprova, cristalinamente, como os desvios da Petrobras foram endereçados ao PT. André Vargas levantou o braço na sessão do Congresso que recebia Joaquim Barbosa. O gesto não era de solidariedade com os apenados do mensalão: era um sinal honorífico da pandilha.

  2. azambuja disse:

    “Mudança com continuidade”? Que cara babaca!

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *