Início » Brasil » Provas em águas do Rio são risco para atletas
contaminação

Provas em águas do Rio são risco para atletas

Análise encomendada pela AP revelou níveis altos de vírus e bactérias de esgoto humano nos locais de competições olímpicas

Provas em águas do Rio são risco para atletas
Teste de qualidade da água encomendado pela AP na Marina da Glória (Fonte: Reprodução/AP)

Uma investigação da agência Associated Press revelou que as águas contaminadas representam um risco para os atletas que vão competir nos Jogos Olímpicos de 2016.

A AP encomendou uma análise que revelou que os atletas terão que nadar e velejar em águas com altos níveis de vírus e bactérias de esgoto humano, arriscando-se a contrair alguma doença.

A análise da qualidade da água alarmou especialistas internacionais. Atletas que treinam no Rio estão preocupados. Alguns já apresentaram febres, vômitos e diarreia.

Os locais das competições aquáticas dos Jogos de 2016 são alimentados por rios e riachos que recebem resíduos de esgoto por meio de valas.

Alguns testes revelaram que os atletas olímpicos e paralímpicos podem entrar em contato com vírus causadores de doenças presentes em níveis até 1,7 milhão de vezes acima do que seria considerado alarmante em algumas praias dos EUA.

De acordo com John Griffith, biólogo marinho do instituto independente Southern California Coastal Water Research Project, “o que se tem ali é basicamente esgoto puro”. Griffith analisou os protocolos, metodologia e resultados dos testes da AP. “Isso seria interditado imediatamente se fosse encontrado aqui”, disse o biólogo, referindo-se aos EUA.

A presença de vírus não está sendo monitorada por autoridades brasileiras responsáveis pela qualidade da água nos locais olímpicos. O gerente de Qualidade da Água do Inea, Leonardo Daemon, afirmou, entretanto, que as normas brasileiras de qualidade de água para uso recreativo, todas baseadas em níveis bacterianos, estão sendo seguidas.

Os testes virais encomendados pela AP analisaram águas próximas da Marina da Glória, na Baía de Guanabara, da praia de Copacabana e da Lagoa Rodrigo de Freitas, três locais de competições, e ainda da praia de Ipanema, que é muito frequentada por turistas.

Os resultados das quatro rodadas de testes realizadas em cada um destes locais indicaram que nenhum deles é seguro para nadar ou velejar, segundo especialistas. Há altas contagens de adenovírus humanos ativos e infecciosos em algumas amostras, que são conhecidos por causar doenças estomacais, respiratórias e outras, incluindo diarreia aguda e vômitos, além de doenças cerebrais e cardíacas — embora sejam mais raras.

De acordo com os testes, as concentrações dos vírus encontrados nos locais de competições foram praticamente as mesmas que são encontradas no esgoto puro.

As autoridades cariocas prometeram na candidatura olímpica que iriam recuperar as “águas do Rio”. O governador do Rio, Luiz Fernando Pezão, já reconheceu, no entanto, que “para a Olimpíada não dá tempo” de terminar a limpeza da Baía da Guanabara.

Fontes:
G1 - Atletas podem contrair doenças nas 'águas olímpicas' do Rio, diz agência

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *