Início » Brasil » Quem é Eduardo Campos
corrida presidencial

Quem é Eduardo Campos

O governador mais popular do país parece ainda ser desconhecido do grande público, o que pode mudar com o apoio de Marina Silva. Mas as discordâncias entre as ideias de ambos causou estranheza quando a parceria foi anunciada

Quem é Eduardo Campos
Eleito com 82% dos votos, em Pernambuco, Campos pode abandonar o mandato para a concorrer a presidência (Reprodução/internet)

Eduardo Henrique Accioly Campos  tem 48 anos, nasceu em Recife, e é atual governador de Pernambuco e presidente do PSB. Filho da deputada Ana Arraes e do escritor Maximiano Campos e neto do ex-governador Miguel Arraes, formou-se em Economia pela Universidade Federal de Pernambuco, onde começou a atuar na militância política como presidente do Diretório Acadêmico em 1985.

Em 2006 Campos foi eleito governador de Pernambuco com 82% dos votos, enquanto seu principal oponente, Jarbas Vasconcelos (PMDB), teve apenas 14% dos votos. Uma pesquisa do IBOPE informou que ele é, atualmente, o governador mais popular do Brasil.  Na sua gestão,  foi elogiado por colocar as contas públicas de Pernambuco na internet com o Portal da Transparência do Estado – considerado pela ONG Transparência Brasil o segundo melhor do país entre os 27 estados da federação.

Nesse mês de outubro, a mesma ONG condenou a concessão feita para a BR-232, que liga Recife a Caruaru. O tipo de concessão rodoviária previsto, sem a cobrança de pedágio, é inédito no Brasil. O diretor executivo da Transparência Brasil, Claudio Abramo, considera desproporcional o valor do contrato, de faturamento de R$ 2,643 bilhões em 25 anos, e critica o fato de a parceria público-privada ser 100% paga pelo governo.

Leia também: Aliança com Marina pode prejudicar Eduardo Campos?
Leia também: PSB reafirma candidatura de Eduardo Campos em resposta à Marina
Leia também: Em blog, Dirceu critica aliança Marina-Campos

A falta de informações repercutiu mal, e o governo passou a divulgar dados, porém sem conceder entrevistas sobre o assunto. Desde então, especialistas têm apontado o baixo nível de transparência e a pouca competição efetiva nas parcerias público-privadas do estado. Praticamente não existiu disputa pela formatação das 20 propostas já apresentadas ao governo, das quais 60% são de empresas do Grupo Odebrecht.

Durante o governo Eduardo Campos, Pernambuco tem crescido acima da média nacional. Em 2011, o PIB de Pernambuco havia crescido 4,5%, enquanto o do Brasil teve aumento de 2,7%. Apesar de positivo, o Brasil teve um dos piores desempenhos nos últimos anos, e o IBGE reduziu a expectativa de 5% de crescimento para 3,5%, em 2012. O perfil do estado é de indústria e serviços, especialmente o último setor.

Campos e Marina

Após a Rede Sustentabilidade não conseguir ser aprovada, Marina Silva migrou para o partido de Campos, o que foi uma surpresa, já que os rumores de que ele iria se candidatar à presidência eram incessantes. Desde então, especula-se sobre a possibilidade de Marina se lançar como vice dele ou ele como vice dela. Mas suas propostas, se não antagônicas, são no mínimo diferentes.

Marina tem como carro-chefe a questão ambiental. Ela se posicionou veemente contra o novo Código Florestal, até mesmo depois dos 12 vetos que Dilma fez. Já Campos, apoiou os ruralistas na ocasião. O presidenciável, porém, trocou suas alianças. Ronaldo Caiado, ruralista, pretendia apoiar Campos, mas após este ter declarado que não tem alianças com o ruralista, o deputado disse que Eduardo tem “falta de coragem”. Marina tinha declarado, sobre a possível aliança entre Caiado e o PSB, que se a sua aliança com Campos prosperasse “ele mesmo [Caiado] vai pedir para sair, porque é completamente contrário às minhas ideias”.

Durante sua gestão como governador, porém, Campos já foi acusado inúmeras vezes de negligenciar a política ambiental. No mês passado, o Porto de Suape, um dos principais empreendimentos de Campos em Pernambuco, foi multado em R$ 2,5 milhões por usar explosivos para destruir uma barreira de arrecifes que impedia a passagem de navios.

Por outro lado, Marina também parece ter abrandado o discurso. A ex-ministra sempre defendeu uma posição antagônica à de nomes como o vice-presidente do PSB, Roberto Amaral, quando o assunto é energia nuclear. Mas, de acordo com o deputado Alfredo Sirkis (PSB-RJ), que coordenou a campanha da ex-senadora ao Planalto em 2010 e é um dos envolvidos na montagem do programa de governo do PSB para 2014, as divergências poderão ser “equacionadas” em nome da “governabilidade”.

 

 

 

Fontes:
Jornal do Commercio Online-Transparência Brasil condena concessão da BR-232
G1-PIB de PE cresce mais que o dobro do Brasil, mas aquém do esperado
Governo de Pernambuco
Exame-Caiado diz no Twitter que falta coragem a Eduardo Campos
IG - Após aliança com o PSB, Rede ameniza tom ambientalista

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

6 Opiniões

  1. Beraldo Dabés Filho disse:

    Eduardo Campos está traindo a memória política do seu criado e avô Miguel Arraes, Marina Silva idem com o Lula e o Aécio Neves idem com o seu avô Tancredo Neves. Com este trio “Iscariotes”, o PT vence no primeiro turno em 2014, com qualquer candidato. Os dois cheiram mal e ela não fede nem cheira.
    _________________________________________
    NÃO VOTE EM BRANCO E NÃO ANULE SEU VOTO!

  2. helo disse:

    Beraldo tem razão, iremos continuar com a Dilma o mais equivocado governo, aquele que trai mesmo sem querer o futuro do país, porque pensa só no poder e não no país. Votarei no candidato/a que mude esse governo. Precisamos respirar.

  3. Beraldo Dabés Filho disse:

    Médicos e Engenheiros, com raríssimas exceções, não são bons escribas, até mesmo pela formação acadêmica, mas como quaisquer outros profissionais, não custava nada capricharem um pouquinho na Língua Pátria. Melhor ainda se se preocuparem com o conteúdo.
    _________________________________________
    NÃO VOTE EM BRANCO E NÃO ANULE SEU VOTO!

  4. Mauricio Fernandez disse:

    Caro Beraldo, saudações! Reconheço algumas das razões dos teus comentários. Outras não. Se todos concordassem comigo eu ficaria aborrecido. As candidaturas Marina e Campos, se não atingirem o cargo pretendido abrem caminho para outros, ou, pelo menos, dificultam as coisas obrigando a um reordenamento em determinados setores. O que digo aqui percorre entendimentos de Lula até o “zé da esquina”. Mas, que bom que fosse assim tão simples. Marina e Campos se identificam fortemente com o norte e nordeste e com reflexos muito positivos ao centro e sudeste. Aécio com uma cabeça de ponte cravada no Pará compete pelo norte graças a desastrada administração do ministro de minas e energia que levanta a cada dia mais inimigos no Amazonas, Piauí , Goiás, Tocantins, Maranhão e Brasilia, um desastre que soma-se a São Paulo e Minas Gerais. Logo vem a Bahia que se repartirá e o Sul onde as coisas acontecerão de forma idêntica apesar de Tarso no governo do Rio Grande do Sul. Olhando até aqui parece que as coisas já estão definidas. Entretanto Caro Dabés falta “combinar com o povo”. Claro, se isso vale para os opositores do PT também vale para seus seguidores assim como vale para o Lula que insiste em achar que determinados setores que permeiam toda a sociedade são feitos de lata de sardinha. Estamos presenciando o excesso de ‘caciquismo’ que quase fez Dilma perder as eleições nos últimos quinze dias de campanha. Mas agora Dabés as coisas serão bem diferentes e o PT continua brincando. Bolsa família qualquer um inventa uma.
    Abraço.

  5. Beraldo Dabés Filho disse:

    OK, mas em todos os rincões do nosso Brasil, o Povo quer é emprego, renda e acesso ao crédito. Este tripé construído pelo PT é imbatível e fica mais forte ainda quando do lado oposto está o “Trio Iscariotes”, apoiado pela oposição mais incompetente da nossa História Política, que não tem capacidade para promover qualquer reordenamento que ameace o PT. Fica até a dúvida de que o Lula vá necessitar de se movimentar muito, mesmo porque os Zés da Esquina gostam dele por motivos diversos, principalmente o fato de que ele (O Lula) veio da esquina.
    _________________________________________
    NÃO VOTE EM BRANCO E NÃO ANULE SEU VOTO

  6. Mauricio Fernandez disse:

    Quando me referi aos “zés da esquina” não tive a intenção de diminuir ou ofender ninguém. Apenas usei uma figura de linguagem muito usada pelas elites reinantes e nossos atuais “representantes” assim como como o ‘caciquismo’ elitista governamental. Emprego, renda e acesso ao crédito mesmo passando por políticas de governo dependem muito mais da iniciativa privada atualmente espoliada como o povo em geral. Portanto se utilisar de uma figura de retórica desvirtuando seu sentido para os aplausos da platéia fica longe de um debate sério. Lamento mesmo! O tripé que podemos vislumbrar é o da bolsa família, mentira e roubo descarado e infame. Educação, saúde, segurânça, justiça, infraestrutura nem pensar….

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *