Início » Brasil » Raul Jungmann assumirá Ministério da Segurança Pública
NOVA PASTA

Raul Jungmann assumirá Ministério da Segurança Pública

Nova pasta deve ser criada nesta segunda por meio de medida provisória

Raul Jungmann assumirá Ministério da Segurança Pública
Jungmann será deslocado do Ministério da Defesa para o Ministério da Segurança Pública (Fonte: Reprodução/Agência Brasil)

O ministro da Defesa, Raul Jungmann, assumirá o comando do novo Ministério da Segurança Pública, que deve ser criado por meio de medida provisória nesta segunda-feira, 26, segundo integrantes do governo. Será o 29º ministério do governo do presidente Michel Temer. A informação é do Blog do Camarotti.

Leia também: Temer confirma criação do Ministério da Segurança Pública

Já o comando do Ministério da Defesa será assumido interinamento pelo general Joaquim Silva e Luna, atual secretário-executivo.

Desde a última semana, o presidente Michel Temer já vinha cogitando a hipótese de adotar uma solução interna para definir o comando da nova pasta. Por causa do seu perfil mais político e por conta de sua experiência, Jungmann já era cotado para o cargo.

O Palácio do Planalto chegou a cogitar o nome do general Sérgio Etchegoyen, ministro do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), para o comando do Ministério da Segurança Pública, mas a opção foi descartada pelo fato dele ser militar. O receio era de que a sociedade não recebesse bem o nome de mais um militar na segurança pública, uma vez que um outro general foi escolhido como interventor no Rio de Janeiro.

Na noite deste domingo, 25, alguns integrantes do governo se reuniram com o presidente Michel Temer, como os ministros Eliseu Padilha (Casa Civil), Moreira Franco (Secretaria-Geral), Torquato Jardim (Justiça), Raul Jungmann (Defesa), Sérgio Etchegoyen (Gabinete de Segurança Institucional) e Gustavo Rocha (interino dos Direitos Humanos), além do deputado Darcísio Perondi (PMDB-RS).

Fontes:
G1 - Temer escolhe Raul Jungmann, da Defesa, para assumir Ministério da Segurança Pública

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

5 Opiniões

  1. carlos alberto martins disse:

    mais um ministério clandestino,que só serve para fazer politicagem assim como tantos outros.do jeito que as coisas andam,logo teremos ministro para a força policial municipal,para vendedores de pipóca,vendedores de pipas e outros setores.como sempre o circo continua criando fantoches para embolsar os impostos que duramente pagamos.

  2. ALEX BONIFACIO disse:

    Os politicos brasileiros deveriam em caráter de urgência lerem a referência bibliografica ‘Guerra e Paz’. Pois, este conluio politico parece nunca ter aprendido a lição de casa ou conhecer a Literatura universal.

  3. ALEX BONIFACIO disse:

    Fiat Lux! Com esta digníssima expressão em latim que significa ‘Haja Luz’, eu gostaria de saber qual o real papel das instituições ABIN e Policia Federal? Pois, quase todos os dias assistimos nas mídias televisivas inúmeras apreensões de armas, drogas e munições nas várias estradas do país. Sem contar com a travessia de imigrantes de paises limítrofes com o Estado brasileiro. Estamos sozinhos no Universo, esta é a minha convicção filosófica. Nada funciona no Brasil, estamos sumariamente perdidos. Para que serve o Congresso Nacional? A meu ver o Congresso Nacional é a base deste conluio chamado de políticos. Haja luz?

  4. ALEX BONIFACIO disse:

    Brasil, um país verdadeiramente de todos? A ‘Ordem e Progresso’ que foram ideais positivistas prevalecem ainda no Estado brasileiro? A Constituição Federal de 1988 faz-me muitíssima vergonha, pois não consigo entender como temos um presidente de República com formação acadêmica em Direito, quiça com titulação de Doutor em Direito pela maior universidade pública do país e não interagir de modo eficaz com o povo. Lamentavelmente, somente reconhecem o povo em épocas eleitorais, os discursos são os mesmos desde 1988. Eu cheguei a conclusão que quem elege políticos corruptos não são vítimas, mas sim, cumplices. Ademais, começo a acreditar que o crime compensa e que esta jogada de colocarem um ‘interventor militar’ à frente de um estado falido moral e socialmente seria mais um plano de alienar a ignorante sociedade. Como bem disse uma certa vez o filósofo francês Jean Jacques Rousseau: “Nunca houve, não há e jamais haverá democracia”. Sinceramente, torço para que o Exército brasileiro se dê mal nesta alienante investida contra o crime. O que o Estado brasileiro precisa na atual conjuntura é de Educação de base nos preceitos apresentados por Darcy Ribeiro, Paulo Freire e Florestan Fernandes e políticas sociais. Chega de armas, tiros e mortes por balas perdidas. Diga não à presença militar do Exército!

  5. Daniela Villa disse:

    Como assim a sociedade não receber bem o nome de mais um militar na segurança pública? A sociedade ou os corruptos?

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *