Início » Brasil » RDC geral
Coluna Esplanada

RDC geral

Polêmico modelo do Regime Diferenciado de Contratação, adotado para as obras da Copa, deve ser estendido para o Brasil inteiro ainda este ano

RDC geral
Obras como estradas, pontes e até presídios poderão ser enquadradas na nova RDC (Fonte: Reprodução/Antonio Cruz/Agência Brasil)

O polêmico modelo do Regime Diferenciado de Contratação (RDC), adotado para as obras da Copa do Mundo 2014, deve ser estendido para o Brasil inteiro ainda este ano. A ideia é facilitar o sistema de licitação, hoje reguladas pela Lei 8.666 que, na opinião do deputado Jovair Arantes (PTB-GO), é uma “legislação falida”. O parlamentar é o relator da MP 678 que começou a ser discutida numa comissão mista do Congresso. Na primeira reunião chegou-se a conclusão que é mais interessante preparar melhor os servidores para as licitações do que apertar e engessar ainda mais as leis que regulam a temática.

Grandes obras

Obras como estradas, pontes e até presídios poderão ser enquadradas na nova RDC, cuja proposta saiu da Casa Civil.

Sem planilha

A legislação atual acaba atrasando as obras, mas apesar do problema ser comum, ainda não se chegou a uma conclusão sobre os custos da demora para a sociedade.

Pelo ralo

Numa estimativa feita por uma CPI em 1995, o abandono de obras públicas provocaram um buraco de R$ 15 bilhões somente naquele ano.

Apelidos barulhentos

Servidores da Justiça estão em pé de guerra com o presidente do Supremo Tribunal Federal por conta da campanha salarial. Em meio a palavras de ordem, a categoria barulhenta apelidou o ministro Ricardo Lewandowski de “levandonosso” e “trairoviski”.

Café brasileiro

A Lei Geral do Café pode finalmente sair do papel após mais de 300 anos. A legislação enquadra toda a cadeia produtiva, do campo à mesa do consumidor. E cria a política nacional de incentivos para investimentos e pesquisas, aponta o secretário-geral da Frente Parlamentar Mista do Café, deputado Evair de Melo (PV-ES).

Ranking

Desde o Império, a cultura do café passou por altos e baixos, mas o Brasil continua entre os maiores produtores mundiais, atrás do Vietnã e Colômbia, com 45 milhões de sacas anuais.

Rondônia

Nestes três séculos, São Paulo perdeu a hegemonia entre os estados produtores de café. Hoje, a liderança é de Minas, seguido do Espírito Santo, Rondônia, Bahia, São Paulo e Paraná.

Até Sarney

Na terra natal do ex-senador José Sarney as obras do governo federal também estão em atraso. É o caso do Minha Casa, Minha Vida em Pinheiro (MA), cujo projeto deveria ser entregue há dois anos. A última cartada foi levar o ministro das Cidades, Gilberto Kassab, para ver as obras que estão 90% concluídas.

Sem receber
<
E por falar em atraso, a nova licitação para a Vila do Mar III, em Fortaleza (CE), foi adiada. É mais um capítulo que arrasta a conclusão do projeto que está 60% concluído. A construtora não recebe pelos serviços desde 2012 e por isso parou de trabalhar em 2013.

Experiência goiana

O governo de Goiás vai inaugurar até dezembro, em Anápolis, a primeira unidade prisional a ser administrada integralmente por uma organização social. A empresa a ser escolhida vai cuidar da segurança interna, fornecimento de comida e até da lavanderia.

Efeito borboleta

Os prefeitos que pretendem concorrer nas eleições de 2016 começam a fazer as contas. O desequilíbrio na economia provocou efeitos colaterais no sonho da reeleição. Os eleitores culpam os gestores locais pelos cortes em programas sociais e no Fies.

Fura fila

O ministro do Turismo, Henrique Eduardo Alves, usou ontem (03) a prerrogativa do cargo para furar fila de 50 pessoas no voo 50 da TAP, para Lisboa. Estava acompanhado da esposa e assessor especial.

Ponto Final

“Não era minha opção. Era a regra do jogo”.
Do dono da UTC e da Constran, Ricardo Pessoa, sobre o esquema de concorrência montado na Petrobras.

Com Equipe DF, SP e Nordeste

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *