Início » Brasil » Recessão brasileira afunda América do Sul e América Latina
Economia

Recessão brasileira afunda América do Sul e América Latina

A América Latina só não será menos dinâmica do que o bloco que reúne as ex-repúblicas socialistas soviéticas

Recessão brasileira afunda América do Sul e América Latina
O relatório 'Panorama da Economia Mundial' foi divulgado pelo Fundo Monetário Internacional (Reprodução/Wikimedia Commons)

De acordo com o relatório “Panorama da Economia Mundial”, divulgado pelo Fundo Monetário Internacional (FMI), a recessão brasileira em 2015 vai fazer com que a América do Sul fique no vermelho e que a América Latina fique próxima da estagnação.

Em 2015, a América Latina só não será menos dinâmica do que o bloco que reúne as ex-repúblicas socialistas soviéticas. Este bloco, puxado pela acentuada recessão russa, vai encolher 2,6% este ano. O FMI prevê que entre os principais motores globais (países ricos, Brics e emergentes asiáticos), a Rússia e o Brasil terão os piores desempenhos anuais.

Este será o quinto ano seguido de desaceleração do crescimento da América Latina. Segundo os economistas do Fundo, não há “impulsos aparentes para uma retomada no médio prazo” e a região vai continuar sendo castigada por conta do baixo preço das commodities agrícolas e metálicas e do “reduzido espaço para políticas”, devido à deterioração do quadro fiscal em muitas economias, da perda de vigor dos investimentos e do aperto das condições financeiras globais.

A projeção do crescimento brasileiro foi cortada em mais de dois pontos percentuais em relação à de outubro. “O sentimento do setor privado continua resistentemente fraco, por causa de desafios de competitividade que não foram enfrentados, o risco de racionamentos de energia e água no médio prazo e os desdobramentos da investigação da Petrobras. A necessidade de um aperto fiscal maior do que o esperado também tem papel na piora das projeções”, afirma o documento.

Fontes:
O Globo-FMI: Brasil arrastará América do Sul à recessão e latinos à estagnação

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *