Início » Brasil » Reforma da Previdência deve ficar para 2019
POLÍTICA

Reforma da Previdência deve ficar para 2019

Bolsonaro e Onyx Lorenzoni admitiram que reforma deve ficar para o próximo ano

Reforma da Previdência deve ficar para 2019
'A tendência é que não seja feito este ano e sim no ano que vem', admitiu Onyx Lorenzoni (Fonte: Reprodução/Agência Brasil)

O presidente eleito Jair Bolsonaro e o ministro extraordinário da equipe de transição Onyx Lorenzoni admitiram nesta segunda-feira, 12, que a reforma da Previdência deve ficar para 2019.

Leia também: Recuo previdenciário

A equipe econômica do futuro governo de Jair Bolsonaro considera a reforma uma medida prioritária.

Bolsonaro chegou a cogitar a aprovação de algumas mudanças nas regras da aposentadoria ainda neste ano. Nos últimos dias, no entanto, o presidente eleito vem admitindo que a medida deve ser votada pelo Congresso Nacional somente no ano que vem.

Em entrevista coletiva nesta segunda, Onyx Lorenzoni, que será o ministro-chefe da Casa Civil do governo de Jair Bolsonaro, descartou completamente a votação neste ano da Proposta de Emenda Constitucional (PEC) da Previdência apresentada pelo governo do presidente Michel Temer em 2017.

“O que eu ouvi da escuta feita a dezenas de parlamentares é que o cenário não é favorável a qualquer tipo de questão relativa à Previdência, no cenário e no modelo que está lá, de emenda constitucional. As [medidas] infraconstitucionais serão apresentadas ao presidente e ele vai pensar […] A tendência é que não seja feito este ano e sim no ano que vem”, disse ainda o ministro extraordinário.

Fontes:
EBC - Onyx diz que reforma da Previdência deve ficar para 2019

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

1 Opinião

  1. Moura disse:

    Não adianta fazer reforma da previdência somente em cima dos celetistas (funcionários regidos pela CLT). O problema do estouro na previdência é devido ao “regime especial de previdência do servidor publico”. Estes privilegiados (por exemplo, funcionários do Judiciário, do Planejamento, Finanças, Administração Direta, Câmara, Senado, outros) se aposentam com o salário da ativa, sem ter contribuído para tal, enquanto o celetista recebe o salário de aposentado com base na real contribuição dada ao longo dos anos de trabalho. Existem ascensoristas aposentados com teto acima da CLT no Senado…

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *