Início » Opinião » Artigos » Reforma: se fosse simples eu chamaria um arquiteto!
GRITA BRASIL

Reforma: se fosse simples eu chamaria um arquiteto!

Quem quer fazer essas reformas é justamente quem nos colocou nessa situação, e agora quer bolar uma fórmula milagrosa que irá tirar o país da falência

Reforma: se fosse simples eu chamaria um arquiteto!
A coluna Grita Brasil é publicada às quintas

Todos os olhos se voltam para a votação do texto final da tão falada reforma previdenciária.

A reforma que tardiamente o governo quer fazer não é simples. Ela está sendo construída para tapar um rombo que vem de anos de incompetência e inépcia por parte do governo enxergar alguma coisa a um palmo de suas vistas.

A verdade é que o país está quebrado. Em todas as suas esferas. Não tem nada que salve. Para todos os lados que olhamos vemos caos, terror, medo, falência, incompetência, falta, desesperança, dúvidas.

Só que quem quer fazer essas reformas é justamente quem nos colocou nessa situação. Ou seja, esse bando de incompetentes pretende se reunir e bolar uma fórmula milagrosa que irá tirar o país da falência. Ledo engano. Me engana, mas eu continuo odiando. Há quem siga o ditado, me engana que eu gosto. Fazer o quê?

Essa corja não tem competência para fazer nada. Eles teriam que ser reinventados para que passassem o mínimo de credibilidade para fazer algo em prol do próximo. O único próximo que eles mostraram que respeitam e se preocupam são eles mesmos.

Sei que algo tem que ser feito. Mas estamos começando a reforma de forma completamente errada. Mas não tem como ser diferente. Pois não tem como mudar todo o Congresso, todo o Senado e o Planalto. Isso é o que há! Infelizmente.

Vamos ter que rezar para que o que eles optem por fazer produza algum efeito. Mas eu, sinceramente, não acredito em nada que venha deles.

A classe política, depois da Lava-Jato, se transformou oficialmente no estorvo que teremos que carregar por muitas décadas ainda.

Será muito difícil que nas próximas gerações se consiga alguma mudança significativa. No meu entender, ao meu ver, teriam que explodir Brasília e recomeçar tudo do zero. Metaforicamente falando. Extirpar toda essa corja do poder.

Mas, pelo que tenho visto, será muito difícil isso acontecer.

Se Lula continua aparecendo no topo como opção para 2018, e uma opção forte, pelo que dizem as pesquisas, eu ponho em dúvida o que parte da população tem na cabeça. Eu até desconfio.

“Solução?”, você pode estar me perguntando? Não sei. Não teria. Não tenho. E não sei se terei até lá.

E o que será do Brasil? Não sei. Sei que se Lula for realmente candidato e se Lula acabar eleito eu rasgo meu passaporte brasileiro, as camisas do Brasil que tenho, bato a porta de casa e vou-me embora. Nem que faça uni-du-ni-tê para o meu destino. Isso pouco importa.

Alguns podem pensar, “não, impossível de acontecer”; “imagina, o povo está descolado”; “que outra opção teríamos, pelo menos o Lula vai fazer por nós, pobres”, e por aí vai. A gama de pensamentos tortos, imbecis é enorme. Tão grande que é capaz de eleger Lula novamente.

Não que eu esteja maravilhado com o governo do PMDB. Não, não estou. Muito pelo contrário. Temer não me representa. E não aguento nem olhar para a cara dele. Mas é o que temos por imposição dos fatos, não por escolha.

A verdade é que não existe politico digno de presidir esse país. Sei que devem ter uma meia dúzia de seis que sejam direitinho, mas não se pode governar com seis pessoas.

Temos (lá vou eu mais uma vez) que começar a virada do Brasil nas próximas eleições. Nem que você não vote, exerça a sua vontade de verdade. Lembre que nas últimas eleições municipais o número de abstenções, votos em branco e nulos foi o mais alto desde 1998. Isso já é um reflexo de algo. Temos que pegar esse algo e destrinchar isso. Tentar entender e fazer valer a sua vontade de verdade (não querendo ser repetitivo, mas sendo).

A bola é nossa. Ou fazemos o gol, ou choramos.

Temos que fazer alguma coisa, pois, parafraseando Raul Seixas, eu não vou “ficar sentado no trono de um apartamento com a boca escancarada cheia de dentes, esperando a morte chegar”. Você vai?

Salve as baleias. Não jogue lixo no chão. Se beber (ou não) chama meu Uber.

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

5 Opiniões

  1. Marluizo disse:

    Acreditando no dito popular “A história pode repetir no tempo”, sem dúvida de que a maior parte da população tem na cabeça que haverá oportunidades para apresentarem soluções para os interesses estruturais do país até a próxima eleição. Por falar em eleição devemos desconfiar dos que de última hora tentam fazer alguma coisa. Preferimos através do voto dessa maioria rememorar a frase atribuída a Tom Zé. “A cabeça fica perto da barriga”. Você já passou fome?

  2. Lucinda Telles disse:

    Não, não vou. Mas o Raul Seixas estava esperando mesmo era assentar a sombra sonora de um disco voador. Também não vou.

  3. carlos alberto martins disse:

    quando o sr Ulisses Guimarans declarou em auto e bom som que estava promulgada a nova constituição brasileira disse aos meus filhos e a minha esposa a frase mais importante de minha vida:ESTAMOS FERRADOS.pelo visto acertei em cheio,pois a nova constituição não acrescentava nada que tornaria o Brasil livre da corrupção e da má qualidade administrativa em que iríamos viver.

  4. Rogerio Faria disse:

    Só jogando a MOAB em Brasília.

  5. laercio disse:

    Colocaram o nome reforma para insinuar coisas boas mas há retirada de algumas condições mínimas de relação de trabalho.

    Estamos sendo enganados mas a constituição não tem instrumentos eficazes para qualquer pessoa fazer uma reclamação eficaz.

    O povo poderá a guerra se houver a implantação de tais reformas

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *