Início » Brasil » Relator considera recuar pedido de bloqueio de bens de Graça Foster
Caso Pasadena

Relator considera recuar pedido de bloqueio de bens de Graça Foster

Relator do processo sobre a compra da refinaria de Pasadena, diz que Graça Foster teve participação secundária no caso. CGU se diz esgotada pelo volume de denúncias envolvendo a Petrobras

Relator considera recuar pedido de bloqueio de bens de Graça Foster
Para relator, Graça participou de uma decisão relativa a uma parcela de US$ 92,3 milhões, a qual ele considera pequena em relação ao prejuízo total de US$ 792,3 milhões (Reprodução/Internet)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

O ministro do Tribunal de Contas da União (TCU), José Jorge, relator do processo que investiga a compra da refinaria de Pasadena pela Petrobras, está considerando recuar o pedido de bloqueio de bens da presidente da estatal, Graça Foster.

Leia mais: Graça Foster pode ter bens bloqueados pela Justiça

O relator pretende fazer isso alterando sua conclusão final sobre a gravidade da participação de Graça no fechamento do negócio. Para Jorge, Graça participou de uma tomada de decisão secundária, relativa a uma parcela de US$ 92,3 milhões, a qual o relator considera pequena em relação ao prejuízo total de US$ 792,3 milhões.

No final de julho, o TCU bloqueou os bens de 11 diretores e ex-diretores da Petrobras, aos quais o TCU atribuiu a responsabilidade pela compra da refinaria. Os acusados foram condenados pelo TCU a devolver o valor do prejuízo.

O ministro-chefe da Controladoria Geral da União (CGU), Jorge Hage, disse que o órgão está com sua capacidade de fiscalização comprometida devido ao “volume de denúncias envolvendo a Petrobras”.

É primeira vez que a CGU admite o esgotamento de recursos para investigação. Ao mesmo tempo, a declaração de Hage chama atenção para a quantidade de denúncias envolvendo a estatal.

Em uma carta enviada ao Ministério do Planejamento, Hage disse que o órgão enfrenta problemas com a redução de pessoal e disse que “o esforço de fazer mais com menos atingiu seu limite”. “Nos últimos meses o esforço tem forçado a necessidade de remanejamento dos escassos quadros de analistas, de outras áreas, para os setores que fiscalizam as áreas de energia, petróleo e gás”, diz a carta.

Fontes:
Estadão-TCU indica agora que bens de presidente da Petrobras não devem ser bloqueados
Folha-Faltam recursos para investigar estatal, diz ministro da CGU

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

8 Opiniões

  1. PC disse:

    nesse caso a mutretagem compensou.

  2. Áureo Ramos de Souza disse:

    O problema é que Graça Foster não tem nada haver com isso a responsabilidade é toda de Dilma, foi ela quem negociou, o certo seria bloquear os bens de Dilma.

  3. DJALMA P BENTES disse:

    Só pode ser piada. Ninguém sabe quem fez/autorizou a ‘negociata ?’ US$92.300.000 é uma quantia pequena? Então se a sucata de Passadena tivesse sido “comprada” pelo dobro do que foi ela seria indenizada? É…..TÁ TUDO DOMINADO.

  4. Vitafer disse:

    Deus do céu, o que fizeram com minha Pátria!

  5. Carlinhos disse:

    Difícil o Brasil quebrado, mais parecendo arroz de terceira. e vai tudo virar uma centenas de PIZZAS.

  6. Renato Cesar De Oliveira Moreira [APnig211] disse:

    Uma participação secundária? Que gerou um prejuízo de NOVENTA E TRÊS MILHÕES E TREZENTOS MIL DÓLARES! Ao erário já excessivamente dilapidado pelo mensalão e outros golpes econômicos deste bando de abutres que compõem o PT. Se não é uma piada é no minimo um prova do corporativismo quadrilheiro que norteia o Estado brasileiro. Brasil o país da impunidade para os políticos corruptos e outros poderosos contraventores.

  7. Victor disse:

    Vitafer….”O que fizeram com minha pátria?” não!
    É isso que fazem com nossa pátria desde 1500…

  8. helo disse:

    Áureo tem razão, Dilma era a presidente do Conselho e certamente culpada. Mas a organização resolveu desviar a culpa para a diretoria, onde todos foram acusados, menos Maria das Graças que assim perderia a presidência. O TCU a exclui (?) mas ainda contra Maria há os contratos sem licitação com a Petrobrás da firma de seu marido. Há uma movimentação de blindagem incansável onde Pasadena é só um detalhe. Se a CPI fosse para valer…

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *