Início » Brasil » Relatório da CGU aponta desvio da verba destinada à Educação
Corrupção na Educação

Relatório da CGU aponta desvio da verba destinada à Educação

Foi constatado mau uso dos recursos destinados à educação básica em 73,7% dos 180 municípios fiscalizados pela CGU

Relatório da CGU aponta desvio da verba destinada à Educação
Embora o gasto por aluno tenha aumentado, não foi constatada melhora no ensino da rede pública (Reprodução/Internet)

Uma investigação feita pela Controladoria Geral da União (CGU) em 180 municípios do país descobriu fraudes e erros no uso dos recursos do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb).

Segundo um relatório divulgado pela CGU, foi constatado simulação de licitação, falta de direcionamento e de competitividade em 73,7% dos 180 municípios fiscalizados. Em 69,3% dos municípios, foram detectados gastos incompatíveis com o objetivo do Fundeb e em 25% havia contratos irregulares. De acordo com o relatório, em alguns casos a verba do Fundeb foi utilizada em desconformidade com a lei, sendo sacada diretamente na boca do caixa.

A CGU alerta para a falta de um órgão fiscalizador do Fundeb e garantiu que continuará realizando essa tarefa, “diante do aumento do percentual de irregularidades detectadas”. Segundo o relatório da CGU, embora o gasto por aluno tenha aumentado, não foi constatada melhora no ensino da rede pública.

Prefeitos envolvidos em casos de desvio de verba

Em 2012 a Operação Alien, da Polícia Federal (PF), revelou o envolvimento de prefeitos de vários municípios em casos de desvio de verba do Fundeb. No Maranhão, a prefeitura foi acusada de desviar verba, fraudar licitações, falsificar documentos e utilizar endereços de fachada.

Em 2011, no Piauí, a PF descobriu um esquema envolvendo sete prefeitos e dois ex-prefeitos. No esquema, empresas vendiam notas fiscais frias para prefeituras do interior do estado prestarem contas de recursos do Fundeb e do SUS. Também em 2011, a PF descobriu um esquema de corrupção na prefeitura de Traipu, Alagoas. Entre 2007 e 2010, o prefeito Marcos Santos (PTB) desviou R$ 8,2 milhões da verba do Fundeb e do transporte escolar. O dinheiro desviado foi usado na compra de carros de luxo, tratores, uma lancha, chácaras e 658 cabeças de gado nelore.

 

 

Fontes:
O Globo-CGU identifica falhas em licitações com recursos do Fundeb em 7 a cada 10 cidades fiscalizadas

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

5 Opiniões

  1. Élio J. B. Camargo disse:

    O caso mostra que não há necessariamente correlação entre os recursos mal gastos e os resultados educacionais. Depois pedem mais dinheiro e querem vincular a renda do Pré-sal para educação, como se problema educacional fosse dinheiro. O problema educacional brasileiro é de gestão.

  2. Miguel Meira disse:

    Quem rouba da educação é serial-killer. PENA DE MORTE já com julgamento sumário.

  3. HENRI NICHOLAS DO CARMO COUTINHO RESENDE disse:

    Podia ter a relação das cidades .

  4. Marco Tolentino disse:

    DEVERIA SE TORNAR LEI, QUANDO O CGU ENCONTRASSE CORRUPCAO ,DEVERIA IMEDIATAMENTE ENCAMINHAR O FATO AS MINISTERIOS PUBLICOS ., AFINAL ATE O MOMENTO NAO EXISTE ORGAO MAIS EFICIENTE DO QUE ESTE .

  5. Áureo Ramos de Souza disse:

    O que ha de mal em os prefeitos roubarem? No alto escalão em Brasilia estão roubando a mais de 13 anos então como eles não estão lá eles roubam em casa que fica mais perto. Ora a mina dá para todos, e para 2014 elegeremos mais uma corja ou então deixemos os mesmos ladrões.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *