Início » Brasil » Retomada de obras será por rodovias
COLUNA ESPLANADA

Retomada de obras será por rodovias

Governo interino vai retomar obras paradas do PAC 1,2 e 3

Retomada de obras será por rodovias
BR 050, em Minas Gerais, uma das obras do PAC 2 (Foto: Divulgação/PAC)

O governo Michel Temer vai retomar obras paradas do PAC 1,2 e 3 da gestão de Dilma Rousseff, e começará pelas rodovias – em reformas, e em especial as que estão em fase de duplicação. Temer autorizou o presidente do Congresso, Renan Calheiros, a instalar uma comissão especial para levantar todas as obras inacabadas com repasses federais, como revelou a Coluna. Serão contempladas as que tiveram cortes de repasses, e estão descartadas as apontadas pelo TCU com suspeita de sobrepreços.

Fator Crivella

Líder nas pesquisas de intenção de votos para a prefeitura do Rio, Crivella (PRB) investe no discurso de que é o único ficha limpa entre os eventuais candidatos.

Ela não ouve

Embora José Eduardo Cardozo repita que será ‘tiro no pé’, a presidente Dilma decidiu ir pessoalmente fazer sua defesa no Senado. E deve chorar muito, orientação de um aliado.

O próximo

Uma dúvida crucial intriga quem entende do que aconteceu. Por onde anda Arno Augustin, ex-chefe do Tesouro Nacional, que validou as ‘pedaladas fiscais’ de Dilma.

Vaivém

O ex-presidente Lula volta a Brasília nos próximos dias. Espera reunir 30 senadores para tentar insuflar a proposta de antecipação das eleições, já que a possibilidade de reverter o impeachment no Senado inexiste para os petistas – e muitos não querem também. O anfitrião do encontro deverá ser o senador Roberto Requião (PMDB-PR).

Indireta

O presidenciável Ciro Gomes (PDT-CE) anda mandando indiretas para o potencial futuro adversário José Serra, ministro das Relações Exteriores. Ciro tem dito que a política externa de Michel Temer é “obra de um canalha”.

Making off

Autora do pedido de impeachment da presidente Dilma, Janaína Paschoal, e o advogado da presidente, José Eduardo Cardozo, adotam o modelo “gentileza gera gentileza”. Trocam abraços e beijos durante as sessões, depois é só encrenca e ataques mútuos.

 

Cunha ao vivo

A demissão do diretor da TV Câmara, Cláudio Lessa, era bola cantada. Ele e o presidente interino Waldir Maranhão não se bicam. O deputado só esperou o pretexto.

Bolão da cassação

Deputados lançaram o bolão de apostas sobre a votação da cassação de Eduardo Cunha.  O líder do PPS, Rubens Bueno (PR) arrisca: “Serão mais de 400 votos, pode anotar”.

Naufragando

A suspeita de corporativismo está pesando no malhete do Superior Tribunal de Justiça. Está parado na Corte, com vistas do MP Federal, o processo nº 623, de julgamento dos acusados na Operação Naufrágio da PF, desencadeada em 2010.

Ação entre amigos

A quadrilha envolvia desembargadores, empresários e juízes com fortes indícios de fraudarem distribuição de processos e venderem sentenças. Se o processo não for julgado ainda neste ano, os crimes correm o risco de prescrição.

Causa própria

O senador Hélio José (PMDB-DF) é relator na CCJ do PLC 38/2016, que trata da criação, transformação e extinção de cargos e funções, enviada pelo Planalto. Mas o senador é servidor público concursado do Ministério do Planejamento, cedido para Ministério de Minas e Energia, e colegas esperavam que se anunciasse impedido.

Vendeta

Adversário figadal do presidente afastado da Câmara, o presidente do Conselho de Ética, José Carlos Araújo, taxou a entrevista do rival como vexaminosa: “Foi o grand finale dele. Agora só resta a cassação para virar a página Cunha da História da Câmara”.

Ponto Final

“De quatro em quatro anos o Brasil esquece o que aconteceu nos últimos quatro”

Da ativista ultra-direitista Kelly Bolsonaro, organizadora da arruaça “contra comunas” na Universidade de Brasília.

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

3 Opiniões

  1. Rosangela Machado disse:

    A minha opinião é que o JORNALISTA Leandro Mazzini está descaradamente apoiando o governo interino enquanto o restante da classe dos jornalistas está totalmente contra. É violar o juramento feito no momento da formatura, prezado jornalista. Um jornalista é um mero informador, não tente formar a opinião dos seus colegas como eu. Você não conseguirá certamente.

  2. Eleutério Sousa disse:

    Rosangela, uma coluna assinada é por definição um lugar de opinião pessoal, não de notícias.

  3. william pesali disse:

    Leandro Mazzini, ainda um dos grandes colunistas deste país. Petistas e comunistas não gostam muito, mas ele tem sido sempre imparcial com os fatos.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *