Início » Brasil » Roberto Gurgel quer prisão imediata de condenados no mensalão
Pedido reforçado

Roberto Gurgel quer prisão imediata de condenados no mensalão

Procurador-geral da República também defende que o STF decida pela perda imediata dos mandatos dos três deputados federais condenados

Roberto Gurgel quer prisão imediata de condenados no mensalão
Roberto Gurgel, procurador-geral da República (Fonte: Reprodução/Veja)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

O procurador-geral da República, Roberto Gurgel, afirmou nesta segunda-feira, 3, que vai reforçar o pedido de prisão imediada dos réus condenados no julgamento do processo do mensalão.

Leia também: Jefferson escapa de regime fechado
Leia também:

“É cabível neste caso a execução imediata da decisão condenatória do STF. Execução imediata que não significa uma execução provisória, que o Supremo não admite, mas sim uma execução definitiva de um julgado do plenário da mais alta Corte do país em decisão em relação à qual já não cabe qualquer recurso com efeito modificativo”, ressaltou Roberto Gurgel.

Execuções penais podem demorar mais de dois anos

Ainda de acordo com o procurador-geral da República, os ministros também deveriam decidir pela perda imediata dos mandatos dos três deputados federais condenados. São eles: João Paulo Cunha (PT-SP), Pedro Henry (PP-MT) e Valdemar Costa Neto (PR-SP).

Roberto Gurgel acredita que, caso não sejam decretadas as prisões imediatas dos condenados, devido a possíveis embargos por parte dos advogados dos réus, as execuções das sentenças podem demorar mais de dois anos.

Fontes:
Jornal do Brasil - PGR reforça pedido de prisão imediata dos condenados

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

4 Opiniões

  1. Roberto Santiago disse:

    Essas “condenações” à pena de prisão (ver o sol nascer quadrado, mesmo!!!!) são para inglês ver…. jamais irão se configurar. Só irão ser cumpridas, no máximo, as de “regime semi-aberto” e as penas pecuniárias. ACORDA, BRASIL!!!! DEIXA DE SONHAR, A REALIDADE É OUTRA, E NÃO DÁ PRA MUDAR DA NOITE PARA O DIA.

  2. Carlos U. Pozzobon disse:

    É óbvio que os advogados dos réus vão entrar com os embargos. É um direito deles, por que não usariam? Logo, podemos esperar a banda passar porque para a cadeia imediata eles não vão.

  3. Rudy Lang disse:

    Duvido que algum petista condenado pelo STF vá para a cadeia. Onde é que já se viu isso?
    A titia e o bebê de rosemary jamais permitiriam tamanha violência contra os seus protegidos.

  4. helo disse:

    Ouvimos muito sobre os embargos infringentes e declaratórios. Entretanto os criminosos menos poderosos são condenados em primeira instância, são presos, e só então seus advogados entram com processos na justiça. Não será o caso dos poderosos do colarinho branco mensaleiro, sobretudo os políticos. Estes talvez só irão para a prisão quando o ministro solucionar a má qualidade dos presídios. É o nosso dinheiro que foi roubado, mas eles pensam que são criminosos políticos. Tem dó.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *