Início » Brasil » Rodrigo Janot pede 35 anos de prisão para filho de Maluf
desvio de verba

Rodrigo Janot pede 35 anos de prisão para filho de Maluf

Condenação seria pelo envolvimento de Flávio Maluf nos desvios de verbas das obras da Av. Águas Espraiadas, em São Paulo, durante a gestão de Paulo Maluf

Rodrigo Janot pede 35 anos de prisão para filho de Maluf
Janot concluiu que não é mais possível punir Paulo Maluf porque já teria ocorrido a prescrição do crime (Reprodução/Internet)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

O procurador-geral da república, Rodrigo Janot, pediu ao Supremo Tribunal Federal, a prisão de Flávio Maluf, filho deputado federal Paulo Maluf, com uma sentença de 35 anos e 15 dias em regime fechado por suposto envolvimento nos desvios de verbas das obras da Av. Águas Espraiadas, em São Paulo, durante a gestão de Maluf (1993/1996). Janot concluiu que não é mais possível punir Paulo Maluf porque já teria ocorrido a prescrição do crime.

No documento enviado ao STF, no qual o procurador apresentou suas alegações finais sobre o caso, Janot afirmou que a pena para Paulo Maluf poderia ser de 23 anos, 6 meses e 15 dias de reclusão. Mas como Maluf já tem 70 anos e houve demora na punição do crime, a prescrição teria ocorrido.

Mesmo assim, o procurador pediu a devolução de R$ 32,5 milhões aos cofres públicos. Conforme a acusação, teriam sido cometidos os crimes de corrupção passiva, evasão de divisas, lavagem de dinheiro e formação de quadrilha durante os anos de 1997 a 2001. Além do deputado e do filho, são réus na ação o ex-diretor da empresa Mendes Junior Simeão Damasceno e operador de valores Vivaldo Alves.

Segundo informações divulgadas pela Procuradoria Geral da República, em 1994, durante o mandato de prefeito, foram contratadas as empresas Mendes Junior Engenharia S/A e Construtora OAS Ltda para a execução das obras de canalização do córrego Água Espraiada.

Uma investigação do Ministério Público de São Paulo concluiu que ocorreram irregularidades na obra. Entre elas, a emissão de notas fiscais e recibos que não correspondiam à prestação de serviços ou fornecimento dos materiais listados nos documentos. Para o Ministério Público, parte dos recursos era transferida a doleiros e encaminhada a contas no exterior.

Fontes:
Estadão-Janot pede 35 anos de prisão para filho de Maluf

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *