Início » Brasil » Ronaldo substitui Teixeira e assume Comitê Organizador da Copa
Copa do Mundo

Ronaldo substitui Teixeira e assume Comitê Organizador da Copa

O ex-jogador será o interlocutor do COL e irá receber no Planalto o presidente da Fifa, Joseph Blatter, na próxima sexta-feira, 16

Ronaldo substitui Teixeira e assume Comitê Organizador da Copa
Ronaldo tem prestígio com entidades e dirigentes esportivos (Reprodução/Internet)

Alegando problemas de saúde, Ricardo Teixeira renunciou à presidência da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e do Comitê Organizador Local (COL) na última segunda-feira, 12. A primeira medida do governo após o anúncio já foi tomada. O ex-jogador, Ronaldo Nazário (o “fenômeno”) será o interlocutor do COL e irá receber no Planalto o presidente da Fifa, Joseph Blatter, na próxima sexta-feira.

Leia também: Ricardo Teixeira renuncia ao cargo de presidente da CBF

Ronaldo foi o líder da campanha do título da seleção brasileira na Copa do Mundo de 2002 e possui prestígio com entidades e dirigentes esportivos de todo o mundo. O ex-jogador vai exercer função semelhante à de Michel Platini no Mundial de 1998 e de Beckenbauer na Copa de 2006, ou seja, tomar decisões sobre o evento.

A presidente Dilma Rousseff afirmou que a relação entre CBF e a Fifa devem ser conduzidas pelo Ministério do Esporte. Dilma já estava ciente da possível saída de Teixeira da CBF. Em outubro de 2011, durante uma reunião com o secretário geral da Fifa, Jérôme Valcke, em Bruxelas, a presidente foi informada pelo próprio Valcke que as investigações do caso ISL, o maior escândalo de corrupção da história da Fifa, seriam retomadas. Como Ricardo Teixeira é um dos envolvidos no caso, o secretário alertou que ele não se sustentaria no cargo. Recentemente, uma declaração de Valcke de que o Brasil precisa de “um chute no traseiro”, devido ao atraso na preparação para a Copa, causou mal-estar entre o governo e a entidade.

A eleição de Dilma é considerada uma grande mudança na relação do governo com a CBF. Ricardo Teixeira tinha uma comunicação direta com Lula, que fazia do futebol uma ferramenta de diplomacia, o que não aconteceu com a nova presidente. Dilma lida com a questão com mais pragmatismo e embora não tenha ligação direta com a CBF, a presidente manifestou descontentamento com a liderança de Ricardo Teixeira.

Lei da Copa

Para o deputado e relator da Lei Geral da Copa, Vicente Cândido (PT-SP), a saída de Ricardo Teixeira deve ajudar a aprovação do projeto. De acordo com Cândido, o projeto – que deverá ser votado nesta quarta-feira – deverá ganhar os votos de deputados contrários à permanência de Teixeira na presidência da CBF. O deputado destacou que o ponto que deve levantar maior polêmica na Lei Geral da Copa é a liberação das bebidas alcoólicas: “A única grande polêmica é a bebida, que vai ter destaque. No mérito, vamos ter uma grande votação. O governo está preocupado, nós também, mas espero que a Lei da Copa não seja instrumento de vingança e rebeldia. O Congresso tem sabido se posicionar sobre isso”.

Já para o deputado Cândido Vaccarezza (PT-SP), a saída de Ricardo Texeira não altera em nada as discussões dn Câmara. Segundo Vaccarezza, a única mudança que será proposta pelo governo será a garantia da meia-entrada para os idosos que participarem de pacotes turísticos relacionados à Copa.

Fontes:
Exame - Ronaldo deve dirigir COL e Dilma se reunirá com Blatter

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *