Início » Brasil » Saída de cubanos do Mais Médicos afetará 28 milhões de pessoas
CONFEDERAÇÃO NACIONAL DOS MUNICÍPIOS

Saída de cubanos do Mais Médicos afetará 28 milhões de pessoas

Estimativa foi divulgada pela Confederação Nacional dos Municípios. Ministério da Saúde diz que abrirá edital para selecionar médicos brasileiros para substituir cubanos

Saída de cubanos do Mais Médicos afetará 28 milhões de pessoas
Bolsonaro afirmou que Cuba deixará o programa por não concordar com testes de capacidade (Fonte: Reprodução/Agência Brasil)

O fim do programa Mais Médicos pode gerar a desassistência básica de saúde a mais de 28 milhões de pessoas. Ao alerta foi dado pela Confederação Nacional dos Municípios (CNM), em uma nota divulgada na última quinta-feira, 15.

A entidade inicia o comunicado, afirmando que o programa foi “demonstrou ser uma das principais conquistas do movimento municipalista frente à dificuldade de realizar a atenção básica, com a interiorização e a fixação de profissionais médicos em regiões onde há escassez ou ausência desses profissionais”.

Em seguida, ressalta que atualmente, são 8.500 médicos cubanos atuando na Estratégia Saúde da Família e na Saúde Indígena, sendo distribuídos em municípios vulneráveis, cidades com baixo Índice de Desenvolvimento Humano (IDH), terras indígenas e periferia de grandes centros urbanos.

“Entre os 1.575 Municípios que possuem somente médico cubano do Programa, 80% possuem menos de 20 mil habitantes. Dessa forma, a saída desses médicos sem a garantia de outros profissionais pode gerar a desassistência básica de saúde a mais de 28 milhões de pessoas”, diz a nota.

A entidade afirma que o anúncio do Ministério da Saúde de Cuba de rescindir a parceria aflige prefeitos e prefeitas da CNM, e que a situação pode levar a um quadro de calamidade pública.

“Nesse sentido, a CNM aposta no diálogo entre as partes para os médicos cubanos permanecerem no país pelo menos até o final deste ano ou, se possível, por tempo maior a ser acordado entre os dois países. Durante esse período, acreditamos que o governo federal e de transição encontrarão as condições adequadas para a manutenção do Programa”, diz a nota.

O Ministério de Saúde Pública de Cuba anunciou na última quarta-feira, 14, que vai se retirar do programa Mais Médicos por conta das declarações “ameaçadoras e depreciativas” feitas pelo presidente eleito Jair Bolsonaro, que, por sua vez, afirmou que Cuba deixará o programa por não concordar com testes de capacidade.

Durante a campanha eleitoral, o então candidato Jair Bolsonaro havia dito que “expulsaria” os médicos cubanos do Brasil. Dos mais de 16 mil profissionais do programa Mais Médicos, 8,47 mil vieram de Cuba.

Ministério da Saúde

Nesta sexta-feira, 16, o Ministério da Saúde vai realizar uma reunião com a Organização Pan-Americana de Saúde (Opas). A Pasta já começa a planejar a reposição dos profissionais da saúde com a saída dos médicos cubanos.

Para isso, o Ministério da Saúde lançará um edital, com os detalhes sendo revelados na próxima segunda-feira, 19. O edital disponibilizará 8.332 vagas. A primeira chamada deve ocorrer ainda em novembro, enquanto o comparecimento aos municípios será feito imediatamente após a seleção.

Esse modelo já era utilizado antes da promoção do Mais Médicos, no entanto, mesmo assim, não supria a necessidade dos municípios, que foram beneficiados com a chegada dos médicos cubanos.

Fontes:
G1 - Saída de Cuba do Mais Médicos afeta 28 milhões de pessoas, diz Confederação dos Municípios

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

4 Opiniões

  1. jan foster disse:

    Ha varias maneiras de ver essa questão dependendo da ideologia do observador. Mas esse veiculo não perde uma chance de dar uma manchete mais positiva, sem declarar aplica sua ideologia descaradamente. A noticia é ótima, Todos sabem que os cubanos nesse programa era exclusivamente questão ideologica, nem medicos de verdade são, apenas tecnicos. Uma mentira a menos a assolar o pais. Muitos irão pedir asilo aquie logo serão repostos por brasileiros.

  2. Delubia M B Tulha disse:

    Só no Brasil, só no desgoverno Dilma (a louca) que profissionais da saúde vem travalhar no Brasil liberados de fazer a prova de validação. Temos ótimos profissionais, médicos formados em excelentes faculdades brasileiras esperando oportunidades de trabalho. Vamos devolver o Brasil aos brasileiros.

    . Estou decepcionada com as notícias tendenciosas ao PT, publicadas neste jornal “Opinião e Notícia” . Somente críticas destrutivas ao governo Bolsonaro. Seriam vcs beneficiados pela teia de corrupção dos governos do PT???

  3. Luís Inocêncio disse:

    Pensamento tacanho o da leitora acima. Ignora o fato de Cuba ter parcerias do tipo em mais de 60 países; ignora também o fato de que os médicos brasileiros rejeitaram, sim REJEITARAM as vagas hoje ocupadas pelos cubanos; ignora o fato de que as ações de Bolsonaro são alvos de crítica não só no Brasil, mas no mundo, vide os artigos publicados sobre ele na Economist, a bíblia dos neoliberais. E, por fim, cai na já exaurida máxima de “pagos pelo PT”, usada cegamente diante de qualquer crítica a Bolsonaro. Opinião e Notícia petista? Faz me rir.

  4. Aureo Ramos de Souza disse:

    Os médicos Cubanos estão sendo escravos cubanos pois dos R$ 11.470,00 ganhos só ficam com R$ 4.000,00 o resto vai para cuba. No entanto o presidente eleito Bolsonaro deu uma opção os que ficarem e desejam asilo político podem ficar e mandar trazer seus familiares.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *