Início » Brasil » Samarco sabia que barragem estava em risco, diz MP
TRAGÉDIA EM MARIANA

Samarco sabia que barragem estava em risco, diz MP

Ministério Público afirma que mineradora sabia desde 2013 que a barragem de Fundão estava em risco

Samarco sabia que barragem estava em risco, diz MP
Vários fatores se combinaram para o rompimento da barragem em Mariana, diz MP (Fonte: Reprodução/Agência Brasil)

Documentos com os primeiros resultados da investigação que está sendo feita pelo Ministério Público revelaram que a Samarco sabia desde 2013 que a barragem de Fundão estava em risco. A informação é do Hora 1, da Rede Globo.

Leia também: Samarco, Vale e consultoria são indiciadas por tragédia em Mariana
Leia mais: Mariana é inesquecível

De acordo com a investigação do MP, vários fatores se combinaram para o rompimento da barragem em Mariana, Minas Gerais. O problema teria começado em 2007, quando a Samarco pediu autorização do governo de Minas para construir a barragem.

Embora tenha conseguido a chamada licença prévia naquele ano, a mineradora não apresentou o Projeto Executivo, documento importante exigido nesta fase. Trata-se de um documento que inclui detalhes técnicos sobre a construção da barragem.

A Samarco teria entregue apenas dados básicos do projeto, considerados, no entanto, insuficientes pela Fundação Estadual do Meio Ambiente na época. O Ministério Público entende que o órgão ambiental falhou ao permitir que o processo seguisse para a segunda fase sem que mineradora cumprisse todas as exigências.

Fontes:
Hora 1 - Laudos comprovam que a Samarco sabia que a barragem estava em risco

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

1 Opinião

  1. Áureo Ramos de Souza disse:

    Agora o Ministério tem que forçar a barra para ela pagar tudo o que deve, o povo é que não pode viver de galho em galho e fora de seu ha bitate e sei que só pagando não faz trazer de volto os que se foram na lama. O governo de Minas tem que forçar o Ministério para que a Samarco e a Vale paguem e pagar ainda é pouco.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *