Início » Brasil » São Paulo testa software que pode modernizar a gestão arcaica dos ônibus
Transporte público

São Paulo testa software que pode modernizar a gestão arcaica dos ônibus

Através de dados gerados pelo Bilhete Único e pelo GPS dos ônibus, o Urban Engines analisa a capacidade e a velocidade dos ônibus na cidade

São Paulo testa software que pode modernizar a gestão arcaica dos ônibus
Com o software, também é possível analisar quantas pessoas embarcaram em cada ponto (Reprodução/Reuters)

A cidade de São Paulo tem uma frota de 15 mil ônibus. O monitoramento dessa frota é feito manualmente, por fiscais que percorrem as ruas da capital para checar se as empresas de ônibus cumprem as obrigações previstas em contrato e quantos passageiros estão circulando nas linhas.

Agora, um novo software promete mudar essa rotina, chamada de arcaica pela própria SPTrans, órgão responsável pelo sistema rodoviário da capital. Desenvolvido pela empresa americana Urban Engines, o software, que leva o mesmo nome, coleta informações geradas pelo uso do Bilhete Único e pelos aparelhos de GPS do ônibus.

Uma vez reunidas, as informações são analisadas e recriadas em um mapa digital em que é possível analisar, em tempo real, a localização dos ônibus na cidade, a velocidade média de cada linha e o número de passageiros dentro do ônibus no momento. Também é possível analisar quantas pessoas embarcaram em cada ponto.

Os testes do Urban Engines estão sendo financiados pelo Banco Mundial e usam dados coletados entre junho e setembro de 2013. Se os responsáveis pelo sistema de transporte de São Paulo aprovarem o uso do software, terão de abrir uma licitação para contratar o serviço.

Em entrevista à BBC Brasil, Ciro Biderman, diretor da SPTrans, disse que os usuários também serão consultados. “As primeiras mudanças na frota devem ocorrer no segundo semestre. Mas, como é um serviço essencial, qualquer ajuste será conversado com os usuários. Afinal, são eles que pagam por tudo isso”.

Fontes:
BBC-São Paulo testa software para modernizar gestão 'arcaica' dos ônibus

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *