Início » Brasil » Sarney trava batalha para manter aposentadoria de R$ 73 mil
DISPUTA JUDICIAL

Sarney trava batalha para manter aposentadoria de R$ 73 mil

José Sarney trava uma batalha com a Justiça de Brasília, que julgou sua aposentadoria ilegal por ferir o teto de R$ 33,7 mil estipulado pela lei

Sarney trava batalha para manter aposentadoria de R$ 73 mil
Justiça condenou Sarney a ressarcir o valor recebido acima do teto desde 2005 (Foto: ABr)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Nos últimos meses, a aposentadoria se tornou alvo de preocupação para milhões de brasileiros. Com o ex-presidente da República José Sarney (PMDB-MA) não é diferente. Porém, o motivo da preocupação de Sarney não são as mudanças propostas pela reforma da Previdência.

Desde o ano passado, Sarney trava uma batalha judicial com a Justiça de Brasília para manter sua tripla aposentadoria, que garante a ele R$ 73 mil por mês. O valor supera em muito o teto da aposentadoria para servidores públicos, que tem como base o salário de um ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), hoje fixado em R$ 33,7 mil.

O montante recebido por Sarney é referente a sua aposentadoria como ex-governador do Maranhão (R$ 30.471,11 mil); como ex-servidor do Tribunal de Justiça maranhense (R$ 14.278,69  mil); e como ex-senador (R$ 29.036,18 mil).

Em agosto do ano passado, a 21ª Vara Federal da Justiça de Brasília considerou que a aposentadoria de Sarney é ilegal porque fere o teto estabelecido pela Constituição e obrigou o ex-presidente a devolver para os cofres públicos todo valor que foi recebido por ele acima do teto desde 2005. Além do ressarcimento, a Justiça determinou que Sarney abra mão de benefícios para que sua aposentadoria se enquadre no valor estipulado pela lei.

A sentença expedida pela Justiça não determina o montante a ser ressarcido. Porém, segundo o site Congresso em Foco, a conta pode passar dos R$ 4 milhões.

Sarney recorreu da sentença. Seu advogado, Marcus Vinicius Coelho, que é ex-presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), afirma que Sarney recebe aposentadorias por diferentes órgãos federativos e que nenhum dos proventos supera o teto determinado por lei.

Além disso, segundo a defesa, a aposentadoria de Sarney como ex-governador é anterior à Proposta de Emenda Constitucional nº 41/2003, que estipulou o teto, e até mesmo à própria Constituição de 1988.

Porém, a decisão da Justiça, emitida pela juíza Cristiane Pederzolli, contesta esse argumento. “Na linha de entendimento dos Tribunais Superiores, a partir da edição da EC (Emenda Constitucional) nº 41/2003, nenhum tipo de subsídio, vencimento ou provento ultrapasse o teto fixado, estando as vantagens pessoais incluídas no teto remuneratório. […] Por todo o exposto, forçoso concluir que os valores relativos aos 03 (três) vencimentos, de que cuidam o presente caso, recebidos pelo requerido José Sarney incluem-se no cômputo do teto remuneratório constitucional. Portanto, para a aferição da obediência ao teto, tais vencimentos devem ser tomados ‘em adição’ e não ‘em separado’”, diz a sentença.

Sarney é um dos parlamentares do país com a trajetória política mais longa, com mandatos exercidos ao longo de 59 anos. Desse total, 38 anos foram passados no Senado, sendo 14 por mandatos como senador pelo Maranhão e 24 pelo Amapá.

Fontes:
Congresso em Foco-Exclusivo. Sarney briga na Justiça por aposentadorias de R$ 73 mil depois de obrigado a devolver dinheiro

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

6 Opiniões

  1. Ivone disse:

    E 200 milhões de coitados deverão sofrer os efeitos da reforma da Previdência que pode, entre outras decisões, proibir o acúmulo de aposentadorias de salários mínimos… pobres viúvas….

  2. André Luiz.'. disse:

    Para quê um homem já na casa dos 80 anos, de posses (“dono” do Estado do Maranhão!, praticamente…!) precisa receber três aposentadorias vultosas que somadas superam R$ 73 mil/mês?! Será que ele não consegue viver ‘condignamente’ com , digamos, apenas a aposentadoria de maior valor?…

  3. Regina disse:

    “Marimbondos de fogo!” Se o proprio líder do PMDB, partido do Presidente Temer é insensível à situação previdenciaria do país, o povo tem razão de sobra para sair às ruas e gritar contra a reforma de previdência.

  4. Carlos Valoir Simões disse:

    Sem entrar no mérito de saber se o Sarney realmente trabalhou ao longo desses 59 anos, como servidor, governador, senador do Maranhão, senador do Amapá e Presidente da República, erra a justiça ao querer retirar-lhe os direitos adquiridos antes da Lei: A Lei não pode retroagir para prejudicar o réu.

  5. Lucinda Telles disse:

    O empregado não se paga, quem paga é o empregador, quem tem que ser condenado é o Estado, que paga ilegalmente. Eu também se chegar a completar 59 anos de carteira assinada vou atrás de cada centavo, não importa o valor.

  6. José Nunes disse:

    É de dar NÔJO !!!

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *