Início » Brasil » Seca ameaça o Carnaval no Brasil, diz ‘Wall Street Journal’
Folia em xeque

Seca ameaça o Carnaval no Brasil, diz ‘Wall Street Journal’

Reportagem revela que 15 cidades do sudeste já cancelaram a festa devido à escassez de água

Seca ameaça o Carnaval no Brasil, diz ‘Wall Street Journal’
Cidade de Ouro Preto adotou um esquema de racionamento para garantir água para os 70 mil foliões esperados para o Carnaval (Reprodução/UOL)

A seca histórica que afeta o Brasil foi tema de uma reportagem publicada na última terça-feira, no Wall Street Journal. O texto alerta que a escassez alarmante de água que atinge o sudeste do país já causou apagões, destruiu plantações e agora ameaça “a mais amada festa do país: o Carnaval”.

“Pelo menos 15 cidades do estado de Minas Gerais já cancelaram a festa, ou parte dos festejos, por conta da falta de água. A cidade de Ouro Preto, Patrimônio Mundial da Humanidade, adotou um esquema de racionamento para garantir que haverá água suficiente para os 70 mil foliões esperados para o Carnaval. Também em Minas Gerais, o município de Oliveira, que recebe uma média de 20 mil turistas nesta época do ano, cancelou totalmente a festa por conta da escassez de água”, diz reportagem.

A reportagem cita a proposta feita pelo vereador da cidade de São Paulo, Gilberto Natalini (PV), que previa o cancelamento do Carnaval deste ano na cidade. O pedido foi negado pelo prefeito Gilberto Kassab, que admitiu a gravidade da seca, mas criticou a “criação de factoides” sobre o assunto. Natalini lamentou a decisão e disse que a festa deste ano será como “sambar em um funeral”.

Já no Rio de Janeiro, sede do maior desfile de carnaval do país, a festa está garantida. Porém, algumas escolas de samba desistiram dos carros alegóricos que usariam água no desfile. “A União da Ilha do Governador, por exemplo, não usará mais um carro que exibiria Cleópatra tomando banho em uma fonte”, diz o texto.

O setor de turismo do Rio espera receber 977 mil turistas para o carnaval deste ano, que gastarão cerca de US$ 782 mil em diárias de hotel, restaurantes, transporte e compras.

A reportagem termina dizendo que o Carnaval do Brasil já sobreviveu a guerras, revoluções, crises econômicas e até secas anteriores. “Porém, mesmo fazendo uma versão limitada da festa, os políticos brasileiros estão expostos ao constrangimento de terem subestimado o risco de racionamento”, finaliza o texto.

Fontes:
The Wall Street Journal-Brazilian Drought Leaves Carnival Awash in Doubt

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *