Início » Brasil » Secretário de Segurança Pública de São Paulo pede exoneração
Troca-troca

Secretário de Segurança Pública de São Paulo pede exoneração

Em meio à crescente onda de violência, Antonio Ferreira Pinto deixa cargo e será substituído pelo ex-procurador-geral do estado, Fernando Grella Vieira

Secretário de Segurança Pública de São Paulo pede exoneração
Ferreira Pinto: troca de farpas com governo federal lhe custou o cargo? (Reprodução/Internet)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

O Secretário de Segurança Pública do estado de São Paulo Antonio Ferreira Pinto pediu exoneração do cargo nesta quarta-feira, 21. A mudança ocorre no momento em que São Paulo passa por uma escalada da violência. “Ele colocou o cargo à disposição”, declarou o governador do estado Geraldo Alckmin ao anunciar a exoneração de Ferreira Pinto. O ex-secretário, entretanto, informou a jornalistas da TV Globo, por telefone, que o cargo foi pedido por Alckmin para realizar mudanças na política de segurança do estado diante da crise. O novo ocupante do cargo será o ex-procurador-geral de Justiça Fernando Grella Vieira, que será nomeado ainda nesta quarta e assumirá o cargo na quinta-feira, 22.

Alckmin elogiou a experiência de Grella Vieira à frente do Ministério Público paulista. “É uma pessoa com grande experiência, quase 30 anos como promotor e procurador e está preparado para a gente poder dar mais um avanço, para São Paulo continuar sendo um dos estados mais seguros do Brasil. Nós reconhecemos as dificuldades que estamos passando e vamos nos empenhar de forma redobrada nesse trabalho”, afirmou o governador.

Troca de farpas com o governo federal

No final de outubro, Ferreira Pinto e o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, se desentenderam. Cardozo deu declarações informando que ofereceu ajuda do governo federal a São Paulo diante da onda de violência dos últimos meses. Ferreira Pinto negou ter recebido a oferta, acrescentando que a afirmação de Cardozo teve fins políticos, já que o anúncio foi feito um dia antes do segundo turno das eleições municipais. No último dia 6, os governos paulista e federal anunciaram uma ação integrada de combate à violência.

A escalada da violência no estado teve início após seis homens serem mortos por policiais das Rondas Ostensivas Tobias Aguiar (Rota) no estacionamento de um bar na Penha, no dia 29 de maio. Uma testemunha afirmou que um suspeito foi preso no local e executado na Rodovia Ayrton Senna.

O aumento da violência no estado já deixou ao menos 214 mortos desde o dia 24 de outubro. A chegada de um novo secretário é uma tentativa do estado de controlar a situação com o auxílio do governo federal.

 

Fontes:
Estadão-Secretário de Segurança Pública de SP deixa o cargo

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *