Início » Brasil » Sem reforma, servidor pode ficar sem salário, diz Guedes
PREVIDÊNCIA

Sem reforma, servidor pode ficar sem salário, diz Guedes

Ministro da Economia afirmou que não aprovação da reforma da Previdência põe em risco futuras gerações

Sem reforma, servidor pode ficar sem salário, diz Guedes
Guedes durante reunião da Frente Nacional dos Prefeitos (Fonte: Reprodução/Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Em reunião da Frente Nacional dos Prefeitos (FNP) nesta segunda-feira, 25, o ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou que a aprovação da reforma da Previdência é fundamental para evitar o colapso dos governos federal, dos estados e dos municípios.

De acordo com o ministro, sem a reforma, os servidores podem ficar sem salários. “O setor público deveria entender que [a reforma] é a forma de garantir suas aposentadorias e salários”, afirmou Paulo Guedes.

O ministro disse ainda, durante a reunião com prefeitos, que “quando se vota contra a reforma está se votando contra nossos filhos e netos. Então, estamos ao lado das gerações futuras. Quem votar contra está contra elas e a favor do colapso”.

Ainda segundo Paulo Guedes, apesar das dificuldades, a reforma deve ser aprovada em três ou quatro meses.

“Estamos convencidos que população madura e o Congresso sabem o tamanho do desafio”, disse também o ministro.

Guedes ressaltou que a reforma da Previdência vai reduzir as desigualdades: “Existem 200 milhões de brasileiros que precisam de mudança, enquanto de 6 milhões a 7 milhões se beneficiam dessa farsa da desigualdade e querem impedir a reforma”.

Leia também: Entenda a reforma da Previdência dos militares

Fontes:
Extra - Guedes diz que não aprovação da reforma da Previdência ameça salários dos servidores
EBC - Congresso sabe da importância da reforma da Previdência, diz Guedes

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *