Início » Brasil » Senado cassa mandato de Delcídio do Amaral
QUEBRA DE DECORO

Senado cassa mandato de Delcídio do Amaral

Delcídio teve o pedido de cassação de mandato por quebra de decoro parlamentar

Senado cassa mandato de Delcídio do Amaral
Delcídio do Amaral agora está inelegível até 2027 (Fonte: Reprodução/Agência Brasil)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Por 74 votos a favor, uma abstenção e nenhum voto contra, o plenário do Senado cassou nesta terça-feira, 10, o mandato do senador Delcídio do Amaral (sem partido-MS) por quebra de decoro.

Delcídio foi alvo de processo no Conselho de Ética do Senado, que recomendou a cassação. Um total de 76 senadores participaram da sessão nesta terça. O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), não votou. A abstenção foi do senador João Alberto (PMDB-MA), o presidente do Conselho de Ética. Outros cinco senadores não compareceram à sessão. São eles: Delcídio do Amaral, Eduardo Braga (PMDB-AM), Maria do Carmo Alves (DEM-SE), Rose de Freitas (PMDB-ES) e Jader Barbalho (PMDB-PA).

Para a cassação ser aprovada, eram necessários 41 votos. Delcídio do Amaral, cujo mandato terminaria no fim de 2018, agora está inelegível até 2027. A vaga do senador será assumida por Pedro Chaves (PSC-MS), seu suplente.

Como Delcídio e seu advogado não compareceram à sessão, Renan Calheiros nomeou um servidor do Senado para se manifestar pela defesa. A função ficou a cargo do chefe da consultoria legislativa do Senado, Danilo Aguiar, que já havia acompanhado a tramitação do processo.

Delcídio foi eleito senador pelo PT. Ex-líder do governo Dilma no Senado, Delcídio foi preso em novembro por tentar obstruir as investigações da Operação Lava Jato. Ele é acusado de prometer ajuda financeira à família do ex-diretor da Petrobras Nestor Cerveró e sugerir ao ex-executivo da estatal um plano de fuga do país. O Conselho de Ética do Senado utilizou uma gravação de uma conversa de Delcídio com Bernardo Cerveró, filho de Nestor Cerveró, como prova. Após ser preso, Delcídio decidou fechar um acordo de delação premiada e foi solto em fevereiro.

Setenta e quatro pessoas foram citadas por Delcídio por suposto envolvimento em práticas ilegais, nem todas, no entanto, ligadas ao esquema de corrupção na Petrobras. Delcídio afirmou, por exemplo, que Dilma e Lula agiram para libertar empreiteiros presos pela Operação Lava Jato.

Em uma reunião na última segunda-feira, 9, na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), Delcídio disse que agiu a mando do governo Dilma. “Eu não roubei, não desviei dinheiro, não tenho conta no exterior. Estou sendo acusado de obstrução de Justiça. E isso quando eu, como líder do governo, inadvertidamente errei mas agi a mando. Eu errei mas vou perder o mandato?”, ressaltou.

Fontes:
Uol - Com 74 votos a favor e nenhum contra, Senado cassa mandato de Delcídio

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *