Início » Brasil » Senador usou verba pública para bancar refeições no réveillon
CORRUPÇÃO

Senador usou verba pública para bancar refeições no réveillon

Pastor Bel (PRTB-MA) usou cota restrita à atividade parlamentar para bancar refeições em restaurantes de Fortaleza na virada do ano

Senador usou verba pública para bancar refeições no réveillon
Refeições foram feitas em dois renomados restaurantes de Fortaleza (Foto: Waldemir Barreto/Agência Senado)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

O senador Pastor Bel (PRTB-MA) usou dinheiro do contribuinte para pagar refeições em renomados restaurantes de Fortaleza (CE), durante as celebrações da virada deste ano. A denúncia foi feita em uma reportagem publicada pelo site Congresso em Foco, que obteve os dados através do portal da Transparência do Senado.

Segundo a reportagem, as refeições foram feitas nos dias 31 de dezembro de 2017 e 1 º de janeiro deste ano. A primeira foi no restaurante Choppicanha, especializado em picanha, e totalizou um gasto de R$ 410,30. A segunda, no Chico do Caranguejo, um tradicional restaurante da capital cearense especializado em frutos do mar. Nesta ocasião a conta ficou em R$ 812,50.

As despesas do senador com as refeições foram ressarcidas pela Cota para o Exercício da Atividade Parlamentar dos Senadores (Ceaps), que é abastecida com dinheiro público. A cota tem um valor fixo de R$ 15 mil mensais e pode ser usada para custear, por exemplo, aluguel, manutenção de escritórios políticos, alimentação, compra de passagens aéreas e combustível, divulgação da atividade parlamentar e contratação de consultorias especializadas.

No entanto, o uso da Ceaps deve estar obrigatoriamente atrelado à atividade parlamentar, não podendo ser utilizado para bancar despesas pessoais. As refeições de Bel ferem esta determinação, já que foram feitas em pleno recesso parlamentar. O Congresso em Foco divulgou o número das notas fiscais emitidas pelos restaurantes, bem como o tipo de iguaria vendida em ambos (confira aqui a reportagem na íntegra).

Nascido Heber Waldo Silva Costa, em Pedreiras (MA), o Pastor Bel é líder da igreja Assembleia de Deus em Santo Antônio do Lopes, município a 815 km de Fortaleza. Ele era suplente de senador até 18 de dezembro do ano passado, quando assumiu a vaga do senador Edison Lobão (PMDB-MA), que se licenciou do mandato sob a justificativa de problemas de saúde.

Em seu primeiro discurso na tribuna do Senado, Bel elogiou o governo de Michel Temer, afirmando que ele está no “caminho certo”. O senador disse que é preciso refletir sobre Deus e deixou como sugestão de  meditação o Salmo 128 da Bíblia, que declara “bem-aventurado o homem e a mulher que temem ao Senhor”.

“Hoje eu estou nesta tribuna defendendo a moral, defendendo os evangélicos do meu estado, especialmente a minha Igreja Assembleia de Deus e a minha convenção Ceadema (a Convenção Estadual das Assembleias de Deus no Estado Maranhão). Hoje eu sou Ceadema. Trago na minha bagagem e no meu coração ao povo evangélico do meu Estado”, disse o parlamentar.

Em 6 de fevereiro deste ano, em outro discurso na tribuna do Senado, Bel expressou “decepção e revolta” com a política brasileira e se queixou da dificuldade em conseguir verba para o Maranhão.

“Estou muito preocupado. Por mim, já tinha entregue esse negócio aqui, porque a gente vem lutando, tenho batido na porta dos ministérios, de todos os ministérios, para ver se consigo algum recurso para o meu estado. Não consegui até agora nem uma bicicleta para levar para o meu estado. Isso me deu uma revolta muito grande. Deixo aqui o meu mandato à disposição do senador Lobão. (…) E eu deixo aqui a minha revolta com o Senado Federal. Eu deixo a minha revolta com o Brasil. Eu estou muito revoltado com esta Casa, muito revoltado, porque a gente não consegue nada”, disse o senador.

Bel também apontou o aumento da violência no país e o descaso das autoridades com a situação. O senador disse ter sido vítima de violência em diferentes ocasiões. Em Açailândia, no Maranhão, onde foi assaltado por duas vezes; e em Brasília, onde teve a mala furtada no aeroporto.

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

2 Opiniões

  1. Laércio disse:

    Os atentados contra a pátria brasileira são diários devido a nossa constituição homicida fruto do desserviço praticado por canalhas que usam as telas da nossa mídia comunista para apresentar suas mais variadas fantasias filosóficas: alguns se fantasiam de Hitler, outros de polpot, etc, mas todos se apresentam como especialistas e já massacram a ignorante população por décadas.

  2. Daniela Villa disse:

    Agora já é demais, passou de todos os limites, um senador da república usar dinheiro publico para comprar comida…é um absurdo. Deveria renunciar ou ser cassado.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *