Início » Brasil » Si, si, pero no mucho! Ou, sim, sim, mas não muito!
Grita Brasil

Si, si, pero no mucho! Ou, sim, sim, mas não muito!

O problema da língua é oficial. Sim, não são só os médicos cubanos que deveriam passar por uma avaliação oral, mas nossos políticos também

Si, si, pero no mucho! Ou, sim, sim, mas não muito!
A coluna Grita Brasil é publicada às quintas-feiras

O ministro Padilha abre o sorriso de "Eu num tô intendendum nada..."

Calma gente, o texto vai ser em português e não vai precisar de tradução simultânea.  Então agora o problema da língua é oficial. Sim, não são só os médicos cubanos que deveriam passar por uma avaliação oral, mas nossos políticos também.

Já imaginou, “doutor cubano, estou com uma dor aqui na região do rim, acho que é cálculo renal. Eu sempre tenho isso… “. “Não se preocupe, vamos tirar o seu apêndice e a dor vai passar. La garantia soy yo”.

Para o ministro Alexandre Padilha nada disso é um bicho de sete cabeças. Ele afirmou não achar isso algo muito terrível, pois ele próprio já atendeu vários povos indígenas e até hoje não sabe uma língua indígena. E mesmo assim salvou vidas. Ele deve ter levado uma tecla SAP ou tinha alguém dublando e ele nem percebeu. Quem sabe ele não fez a brincadeira da mímica?

Nada contra os cubanos ou a nacionalidade que for, mas temos somente que nos questionar a razão de chegarmos ao ponto de importar médicos. Alguma coisa tem. Mas daí o governo assumir… O governo não assume é nada! Ele só sorri e dá tapinhas nas costas.

Eu prometo trocar o camarão por essa melancia aqui!

O problema do idioma é mais grave ainda, mas com nossos políticos!

Sinceramente não sei mais que língua o povo fala, as ruas falam e os políticos falam. Ninguém se entende. E eles, principalmente, não estão entendendo nada.

Depois que o Cid Gomes, governador do Ceará, contratou aquele buffet por R$ 3,4 milhões, para servir pratos exóticos, o seu amigo que fala a mesma língua que ele, o governador do Piauí, Wilson Martins, publicou um edital de licitação onde se propõe a pagar até R$ 6,3 milhões a empresas que forneçam carnes, frios, bolos, crustáceos, salgados, frutas, bebidas, além de produtos de higiene pessoal, cosméticos e material de limpeza. Afinal, um estado que teve o terceiro pior Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) em 2010 precisa que seu governador esteja bem alimentado, bem cuidado, para poder enfrentar os problemas do seu governo. Já imaginou um governador desprovido de camarão (foi destinado R$ 101,2 mil pelo fornecimento de quatro tipos de camarão), de picanha (R$ 65,5 mil) – imagina ele comendo acém, chã de dentro, chã de fora – além de chicletes e pastilhas (R$ 16,6 mil). Quero só ver a conta do dentista. Será que será um dentista cubano? Além disso, tem o shampoo, pelo qual ele pagaria até R$ 85,41 por 500 ml, que deve ser com água do mar morto, máscara de cabelo (R$ 143,92 por 500 ml) e reparador de pontas (R$ 113,87 a unidade).

E da mesma maneira que Cid Gomes, que depois de denunciado mandou tirar os itens exóticos do cardápio, Wilson Martins “cancelou” o processo de licitação e disse que iria retirar alguns itens e lançar um novo edital.

O grave problema é que nenhum dos dois governadores entendem o que se passa no país e no estado de cada um deles. É como se falassem outra língua. Não a língua dos homens. Ou será que nós é que estamos errados em pensar assim e não entendemos o  que eles falam? Só pode ser.

Eles não deveriam nem ter começado. Camarão, escargot, ostras, cosméticos… Retirar alguns itens do cardápio não fará com que se tornem pessoas melhores e arrependidas. Na verdade eles não estão arrependidos. Estão chateados com a imprensa e a oposição que descobriu e denunciou. Caso contrário, estariam refastelados em suas espreguiçadeiras à beira da piscina comendo camarão, bebendo vinho e água Perrier com canapés de caviar. Mas isso deveria, sim, fazer com que não fossem mais eleitos. É vergonhoso. É desrespeito com o povo do estado de cada um deles. É até mais nojento que cuspir na cara. É vulgar.

Tá. Se você me provar que é um Alvarenga, eu te contrato

E a questão do idioma é contagiante!

Como denunciado no programa CQC, no interior de Minas Gerais, na cidade de Joanésia, seis das sete secretarias municipais são ocupadas por parentes do prefeito Antônio Carlos Alvarenga (PSDB-MG), o Nenzinho Alvarenga. A secretaria de Educação é ocupada por Mary Alves de Alvarenga, mulher do meliante.

Meliante sim, pois esse nepotismo escancarado que ele pratica vai contra a nossa – não a dele – Constituição Federal e o artigo 37. É crime!

Ao assumir, esse prefeitinho simplesmente fez a limpa nas secretarias e contratou quase todos da família.

Um caso de corrupção que já foi denunciado ao Ministério Público, mas até o momento nada foi feito. Será que tem algum Alvarenga trabalhando por lá?

Eu pergunto, que idioma o Alvarenga fala? Que idioma o MP de Minas Gerais fala?

Hum... depois vou querer um modelito desses pra mim

Até a ministra da Cultura parece que não fala bem o português!

Ou, se não for isso, ela pensa em outra língua. Graças a uma intervenção da própria ministra da Cultura, Marta Suplicy, o estilista Pedro Lourenço poderá captar R$ 2,8 milhões via Lei Rouanet para mostrar suas criações na semana de moda de Paris em outubro e em março de 2014.

Isso porque a Comissão Nacional de Incentivo à Cultura (Cnic) não aprovou o projeto mesmo estando descrito como “mostra” de “artefatos artísticos”. É a Cnic que decide quem pode captar via Lei Rouanet, mas nesse caso a ministra passou com um trator por cima de todos e desconsiderou a decisão da Comissão. E justificou que eles não entenderam moda como cultura. Mas ela sim. E se sim, então sim. Tá aprovado.

E o felizardo Pedro Lourenço disse que essa ajuda não era para ele; tá legal. É, deve ser para mim então. Só não avisaram onde saco a grana. Não quero o vestido. Ou melhor, não quero o “artefato artístico”.

Para tudo! Mas é isso mesmo. Em vez de abrir os cofres para projetos culturais feitos aqui para a nossa gente, a ministra vê que bancando um desfile de moda em Paris para um estilista brasileiro estará levando nossa cultura ao mundo.

Sinceramente… (#*&%$#$#$#$*%$). Entenderam a onomatopeia?

Save the whales. Do not throw trash on the floor. Do not smoke indoors.

Meu Deus, que cabeça a minha.

Salve as baleias. Não jogue lixo no chão. Não fume em ambiente fechado.

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

10 Opiniões

  1. Roberto1776 disse:

    Saudades do Castelo Branco!!!

  2. Inácio Antônio Soares Neto disse:

    Es Melancia teria que ser amarrada no Pescoço de Cada um Comunista do Brasil, e coloca-los nas Ruas para os Brasileiros sentir como eles são.

  3. Áureo Ramos de Souza disse:

    Je non parlon non gusto se estiver certo vai assim mesmo. Seria bom que estes políticos que desejam muita fartura e fosse ver nos lixões o povo comendo restos de comida estragadas que para eles valem como filé. Bom era saber a vida pregressa destes indivíduos e que algum ex vizinho dissesse como eles viviam. O ministério Público deveria tomar uma iniciativa para esta pouca vergonha. Estou com 67 anos e nunca vi neste país tanta muita falta de vergonha é porque não é pouca não é muita. E se não existisse os nossos amigos jornalistas o que seria de nós, iria engolir tudo até o talo como já dizia uma prostituta. ATÉ QUANDO MEU DEUS, ATÉ QUANDO. Não se esqueçam do final de Claudio Schamis Salvem as baleias e tudo o mais. E a Dilma que foi de avião ao Rio para dá um jeitinho no cabelo por mais de R$ 3 mil e eu me lasco para pagar R$ 5,00 para cortar o cabelo. E não se esqueçam de colaborar com CRIANÇA ESPERANÇA. Pu$# *&¨%$ P@#$%

  4. Kalil Saliba disse:

    O saudosismo reacionario perfilam rapidamente, é so as cornetas dessa coluna tocar. È um encontro de botas batendo um ranger de dentes e bocas espumando de odio.Como dizia Aparicio Torelli o Barão de Itarare a respeito do confronto que os comunista puseram os facista do Plinio Salgado pra correr, ” facista não corre, voa”.

  5. Sérgio Augusto Kniphoff disse:

    Magnífico, Claudio Schamis! Parabéns! Pena que nenhum político saiba ler!!!!!!! Estes “animais”, que me desculpem os animais, só olham para o próprio umbigo…..e com a anuência dos que votaram neles!!!!
    Mas, aí também perguntamos: quem votou neles? ………………….e ninguém se acusa!!!!
    Lamentável!
    Por favor, não desista!!!!

  6. helo disse:

    A lei Rouanet só privilegia os que não precisam. Uma pena.

  7. Angela Dutra de Menezes disse:

    Muito bom o seu texto, Claudio. Parabéns!!! 🙂

  8. Inaburitã disse:

    Meliante sim, pois esse nepotismo escancarado que ele pratica vai contra a nossa – não a dele – Constituição Federal e o artigo 37. É crime! Parabéns……

  9. Miriam Menascé disse:

    Oi, Cláudio
    Ideia original focar as nossas mazelas, sob a perspectiva da língua que falamos. Ou que não falamos. Decididamente, construímos uma nova torre de Babel, no nosso país. Ninguém se entende, no governo, muito menos nós a ele.
    Ainda bem que você fala a nossa língua. Continue usando-a, com a franqueza e a coragem que o caracterizam.
    Abraço
    Miriam Menascé

  10. Aloisio disse:

    Se vestido é “curtura” a ministra deveria dispensar pelo menos R$10 para grafiteiros,afinal GRAFITE sim é cultura jovem.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *