Início » Brasil » Sistema S oferece bancar programas federais
Coluna Esplanada

Sistema S oferece bancar programas federais

Presidentes das principais entidades se reuniram na terça com o chefe da Casa Civil e ofereceram um acordo para evitar o desconto de 30% dos repasses para o bilionário Sistema S

Sistema S oferece bancar programas federais
Entidades podem bancar os cursos e toda a estrutura dos Institutos Federais de Ensino (Fonte: Reprodução/Montagem)

Na ofensiva contra a tentativa de mordida oficial do Tesouro em 30% dos repasses para o bilionário Sistema S, os presidentes das principais entidades — entre eles CNI, CNC, Senai, SESC — se reuniram na terça com o chefe da Casa Civil, Aloizio Mercadante, e ofereceram um acordo para evitar o desconto. A turma indicou que as entidades podem bancar os cursos e toda a estrutura dos Institutos Federais de Ensino, os chamados IFs, e ajudar o Governo a construir as creches em parcerias com prefeituras.

Boa saída

Mercadante levou a proposta à presidente Dilma, que dará resposta após a reforma ministerial. A oferta é bem vista. Dilma patina na promessa de construir 6 mil creches.

Um presentão

Nada resolvido na oferta de pastas para o PMDB. Surgiu resistência da fusão de Portos com Aeroportos. Michel Temer controla Portos, não quer perdê-los para Eduardo Cunha.

Dá outro aí

Tudo andava para solução, até o senador Eunício (PMDB-CE) pedir à presidente Dilma o Ministério da Integração, hoje com o PT. Sem ter sido oferecido.

Não tá fácil

Até ontem à noite o deputado Manoel Junior (PB) estava confirmado para o Ministério da Saúde. Para a pasta de Infraestrutura (Portos + Aeroportos), dois nomes, com prós e contras, disputavam: Celso Pansera (RJ), muito ligado a Cunha, e José Priante (PA). Pansera pode ser barrado por ser o ‘homem’ de Cunha, ainda malvisto no Planalto.

Mineiro é terceira via

Outro fator que pesa contra Pansera é ter sido acusado de intimidação pelo doleiro Youssef. Mas Priante também tem resistência. Primo do senador Jader, ele acalma a bancada e compensa a iminente saída de Jader Filho da Pesca. Porém alguém lembrou que Priante e o senador estão brigados. O cotado agora é Newton Cardoso Jr (MG).

Chá de poltrona

O (ainda) ministro da Saúde, Arthur Chioro, deixou à sua espera no gabinete uma dezena de prefeitos do Pará, na terça, porque foi chamado às pressas pela presidente Dilma para avisá-lo de que deixaria a pasta. Constrangido, nem voltou para informá-los.

Rei das quengas

O federal Darcísio Perondi foi o único deputado do PMDB a assinar lista para compor comissão especial que regulamenta a prostituição, PL 4211/12 de Jean Wyllys (PSOL).

Dono do Brasil

Todos os deputados indicados para os dois ministérios que Dilma cederá ao PMDB são nomes apadrinhados por Eduardo Cunha. Ele disfarça, mas é cunha quem vai mandar.

Tudo em casa

Pior que o recado do presidente da Assembleia de Roraima para a governadora Suely Campos (PP), de que ‘ela dançou’, foi escancarar o nepotismo afrontoso à decisão STF. A mensageira, chefe da Casa Civil do Governo, é filha da mandatária.

Êpa, Êpa

O federal Jerônimo Goergen (RS) fez abaixo assinado com a bancada do PP para cobrar do líder Dudu da Fonte (PE) a presença dele em reunião de apoio a Dilma. Clima ficou tenso até Dudu justificar. O PP anda batendo asas com tucanos.

PT na UTI

O PMDB pediu o Ministério da Saúde com ‘porteira fechada’. Significa que terá todos os cargos da cúpula e dos segundo e terceiro escalões, em Brasília e nos estados. O grande desafio de Dilma: onde alocar milhares de filiados do PT ligados a Lula?

Que é isso, companheiro!?

Foi batom na cueca a oferta aceita pelo PMDB para dois ministérios. O presidente Eduardo Cunha, ‘opositor’, foi cobrado a sós por Paulinho da Força (Solidariedade) e o líder do DEM, Mendonça Filho, entusiastas do impeachment. Pelo visto, dançaram.

Sem votos

No mais, a manutenção dos vetos presidenciais, um dos pontos do acordo, mostrou que o PMDB se engajou na defesa de Dilma e não há mais votos para impedimento.

Médico doidão

Não, não era Agnelo Queiroz o médico flagrado pela TV Globo desabafando no Hospital de Base com ‘Quero sumir daqui!’. Agnelo abandonou o hospital há anos.

Ponto Final

O ex-governador Agnelo faliu os hospitais, quebrou o GDF, foi morar em Miami, se licenciou com prêmios e agora bate ponto no Ministério da Saúde. Por ora.

Com Equipe DF, SP e Nordeste

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *