Início » Brasil » STF autoriza prisão domiciliar para executivos da Lava Jato
Corrupção na Petrobras

STF autoriza prisão domiciliar para executivos da Lava Jato

Decisão foi tomada pela segunda turma do Supremo, por três votos a favor e dois contra

STF autoriza prisão domiciliar para executivos da Lava Jato
Ministro Teori Zavascki, relator da Operação Lava Jato no STF (Fonte: Reprodução/ABr)

Nove executivos investigados no âmbito da operação Lava Jato irão para prisão domiciliar. A decisão foi tomada nesta terça-feira, 28, pela segunda turma do STF, por três votos a favor e dois contra.

O Supremo revogou a prisão preventiva de executivos de empreiteiras suspeitas de envolvimento no esquema de corrupção da Petrobras, mas determinou que eles utilizem tornozeleira eletrônica.

A decisão do STF beneficiou Ricardo Ribeiro Pessoa (UTC); Agenor Franklin Magalhães Medeiros (OAS); José Ricardo Nogueira Breghirolli (OAS); Sérgio Mendes (Camargo Corrêa); Gerson Almada (Engevix); Erton Medeiros (Galvão Engenharia); João Auler (Camargo Corrêa); José Aldemário Pinheiro Filho (OAS); e Mateus Coutinho de Sá Oliveira (OAS). Os executivos estavam presos desde novembro de 2014.

O empresário Ricardo Ribeiro Pessoa, dono da construtora UTC, é apontado pelo Ministério Público Federal como líder do cartel de empreiteiras acusadas de desviar recursos da Petrobras.

Os executivos terão que se manter afastados da direção de suas respectivas empresas e também não poderão deixar o Brasil. Eles também não poderão manter contato com outros investigados na operação Lava Jato. Caso descumpram as regras, voltam para a prisão preventiva.

Fontes:
G1 - Supremo concede prisão domiciliar a nove executivos da Lava Jato

1 Opinião

  1. olbe disse:

    Achei a decisão tomada, perfeita! Primeiro pq o Estado não precisa ter mais despesas com a hospedagem destes senhores, ele não oferecem riscos de vida a ninguém e já são conhecidos , usar tornozeleiras é humilhante eles não vão nem querer sair de casa. O mais importante é conseguir que eles devolvam o dinheiro roubado…

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *