Início » Brasil » Suspeito de ter ligações com extremistas é procurado no Amapá
MARROQUINO PROCURADO

Suspeito de ter ligações com extremistas é procurado no Amapá

Acusado de ter envolvimento com a Al-Qaeda, o marroquino Rachid Rafaa foi visto pela última vez na fronteira do país com a Guiana Francesa

Suspeito de ter ligações com extremistas é procurado no Amapá
Rachid é um especialista em Tecnologia da Informação e é suspeito de ter ligações com grupos terroristas (Foto: Divulgação/Polícia Civil do Estado do Amapá)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Agentes de segurança das polícias francesas e brasileiras emitiram um alerta para a possível presença de um marroquino suspeito de ter ligações com grupos extremistas islâmicos na região Norte do país. O suspeito, identificado como Rachid Rafaa, de 40 anos, foi visto pela última vez em Saint Georges, uma cidade da Guiana Francesa que faz fronteira com o município de Oiapoque, no Amapá.

A Polícia Civil do Amapá recebeu um alerta de investigadores franceses sobre o suposto grau de periculosidade de Rachid e, segundo o delegado Charles Corrêa, do Centro Integrado de Operações em Segurança Pública (CIOSP) de Oiapoque, agentes da Polícia Civil, Federal, Rodoviária Federal e Militar fazem as buscas pelo marroquino. Agência Brasileira de Inteligência (Abin) e a Interpol também acompanham o caso.

“É algo de interesse nacional, e entramos em alerta. Todas as polícias estão à procura do suspeito. Trata-se de uma fronteira sensível, principalmente neste momento em que a França é alvo de ataques terroristas”, afirma Correa.

O marroquino vinha sendo monitorado pelo serviço secreto francês. Desde o dia 26 de julho é dado como foragido, após ter fugido da prisão domiciliar na cidade de Morne Rouge, na Martinica, território ultramarino francês no Caribe.

Rachid é um especialista em Tecnologia da Informação e é suspeito de ter ligações com grupos terroristas. Ele foi acusado no Marrocos de ter ajudado na disseminação de propaganda terrorista da Al-Qaeda do Magrebe Islâmico (AQMI) e foi detido pelas autoridades do país em 2009, quando fugiu para a França. O marroquino nega as acusações e diz ser alvo de perseguição por conta de seu apoio à Causa do Saara Ocidental. A causa é referente à disputa territorial entre o Marrocos e a Frente Polisário, que busca a autonomia de uma região do deserto do Saara para a etnia árabe saráui. Essa região, hoje, é reclamada pelo Marrocos e a disputa segue em aberto desde 1976.

Em 2009, logo após chegar à França, Rachid foi detido pelas autoridades francesas e aguardava a extradição para o Marrocos. Entretanto, em 2013, o Tribunal Europeu de Direitos Humanos determinou a proibição permanente da extradição de Rachid para o Marrocos. No ano seguinte, Rachid foi transferido para a Martinica.

Para as autoridades brasileiras, há a preocupação com a segurança dos Jogos Olímpicos no Rio de Janeiro e agentes antiterror da Polícia Federal estão em alerta para uma possível ameaça.

“Qualquer pessoa sai de Saint Georges e chega ao Oiapoque cruzando o rio em cinco minutos, basta usar uma voadeira (canoa com motor). Daqui, pega-se uma estrada de 600 quilômetros, com apenas um posto da Polícia Rodoviária Federal, até o Macapá, de onde é possível viajar para o Rio em um voo doméstico, que costuma ter fiscalização menos rigorosa”, disse Correa.

Apesar da informação de que Rachid foi visto em Saint Georges, a Abin destacou que ainda não está confirmado que ele entrou no Brasil. “Só o que podemos informar é que estamos investigando o caso”, afirmou um agente do governo federal.

Fontes:
O Globo-Suspeito de ligação com terrorismo é procurado no Norte
G1-Terrorista da Al-Qaeda foragido deixa em alerta polícia da fronteira do AP
Outre-mer-Qui est Rachid Rafaa, le djihadiste présumé, en fuite en Martinique ?

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *