Início » Brasil » Taxa mundial de desmatamento começa apresentar queda
recuperando o verde

Taxa mundial de desmatamento começa apresentar queda

A combinação de consicetização social e legislações ambientais rígidas começa a dar frutos na redução do desmatamento global

Taxa mundial de desmatamento começa apresentar queda
Proteger as árvores é a melhor forma de preservar o meio ambiente (Reprodução/Alamy)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

As florestas, em especial a Floresta Amazônica, são consideradas os “pulmões do mundo”. Há 20 anos, esse pulmões adoeceram. Quase metade das áreas verdes do mundo foi desmatada e a degradação ambiental parecia inevitável.

Leia mais: Brasil luta contra o desmatamento da Amazônia

Seria um exagero afirmar que hoje as áreas florestais do mundo se recuperaram completamente. Cerca de cinco hectares de áreas verdes ainda são desmatados anualmente no mundo. Apesar disso, a situação está começando a melhorar.

Brasil e México reduziram em mais de dois terços suas taxas de desmatamento. Índia e Costa Rica foram além: reduziram suas respectivas a taxas de desmatamento e estão replantando áreas desmatadas.

Atualmente, as leis de proteção ambiental são uma realidade em quase todos os países. A redução no corte de árvores beneficia tanto países ricos como pobres. Árvores são como “tanques de carbono”. Se forem cortadas e queimadas, liberarão uma grande quantidade de CO2 na atmosfera, mas se forem preservadas, reterão carbono em seus troncos por séculos. Mesmo após décadas de desmatamentos, as florestas ainda absorvem anualmente um quinto das emissões de carbono gerada por combustíveis fósseis no mundo.

Encorajar o plantio de árvores, ou desencorajar o corte, é uma das formas mais eficazes de reduzir a emissão de gases estufa na atmosfera. O Brasil é um ótimo exemplo de que a conscientização aliada a uma legislação ambiental rígida é capaz de reverter o desmatamento. Se o país continuasse desmatando áreas como fazia em 2005, teria liberado até 2013 cerca de 3,2 bilhões de toneladas de dióxido de carbono na atmosfera. Isso significa que, em oito anos, o Brasil liberou seis vezes menos carbono na atmosfera do que a “super verde” Alemanha, que tem uma das políticas ambientais mais rígidas do mundo.

O sucesso do Brasil foi alcançado graças à junção de esforços entre governo, produtores agrícolas e ambientalistas. Para reduzir a taxa de desmatamento foram usados desde satélites para mostrar a evolução e a redução das áreas desmatadas à moratória da soja, pacto entre governo empresa e sociedade civil que previa o boicote a produtores de soja que usassem áreas desmatadas para o plantio.

Fontes:
The Economist-Seeing the wood

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *