Início » Brasil » Temer abre 72ª Assembleia-Geral da ONU
ONU

Temer abre 72ª Assembleia-Geral da ONU

Temer afirmou que o país está superando uma crise sem precedentes

Temer abre 72ª Assembleia-Geral da ONU
Temer abre Assembleia-Geral da ONU (Foto: Beto Barata/PR)

O presidente Michel Temer abriu a 72ª Assembleia-Geral da Organização das Nações Unidas (ONU), em Nova York, nos Estados Unidos. Temer defendeu a diplomacia entre os países e a ampliação do Conselho de Segurança. “Necessitamos de mais diplomacia e negociação. Nunca menos. Mais diálogo, nunca menos. Precisamos de mais ONU”.

O presidente disse que o Brasil vai seguir empenhado na defesa do Acordo de Paris e que o país se orgulha das suas matrizes de energia limpa, que representam mais de 40% do que é gerado no Brasil, o que “mais de três vezes a média mundial”. “O desmatamento é uma questão que nos preocupa, especialmente na Amazônia”, afirmou.

Temer ressaltou que a própria Constituição brasileira veta o desenvolvimento de armas nucleares e classificou os testes da Coreia do Norte como “grave ameaça”.

Em relação aos refugiados, Temer disse que o Brasil tem concedido vistos a imigrantes haitianos e sírios, além de acolher “milhares de cidadãos da Venezuela”.

O presidente brasileiro também afirmou que o país está superando uma crise sem precedentes.

Discurso de Trump

Em seguida, foi a vez do presidente americano Donald Trump fazer seu discurso. Ele começou falando sobre a ameaça do terrorismo e a importância da defesa militar. “Terroristas e extremistas levam ameaça à todas as partes do mundo (…) Acabamos de anunciar que vamos gastar US$ 700 bilhões em defesa militar, sendo mais fortes do nunca”, disse Trump.

Trump ressaltou que o sucesso da ONU depende do sucesso da independência de seus membros. “Nosso sucesso depende de uma coalização de Nações fortes e independentes que promovam a paz para elas mesmas e para o mundo”. O presidente americano voltou ratificou seu slogan de campanha, ao dizer que como presidente dos EUA, sempre colocaria a América em primeiro lugar. Trump também falou que os demais líderes devem fazer o mesmo em relação aos seus próprios países.

Em relação à Coreia do Norte, o americano disse que  o regime de Kim Jong-un é responsável por milhões de pessoas passarem fome e por outros inúmeros serem presos e feitos escravos. “Os EUA tem grande força e paciência, mas se for necessário, não evitaremos destruir totalmente a Coreia do Norte”, ameaçou Trump. Logo depois, ele disse que espera que isso não seja necessário e que as negociações e a diplomacia são a razão de existir da ONU.

Trump também atacou o Irã, dizendo que o país está usando o dinheiro proveniente da venda de petróleo para financiar grupos extremistas, como o Hezbollah. O americano disse que o governo iraniano deve respeitar os direitos humanos e servir ao seu próprio povo ao invés de proteger e armar terroristas.

Sobre o combate ao Estado Islâmico, Trump frisou que em oito meses seu governo fez mais do que a administração anterior em muitos anos. O republicano também criticou o governo de Bahsra al Assad e disse que a Síria usa armas químicas contra seu próprio povo.

Sobre as medidas contra os imigrantes, Trump disse que com o dinheiro que os Estados Unidos gastam com um imigrante em solo americano, o país “poderia ajudar outras dez pessoas no país de origem delas”.

O republicano reforçou que os EUA não vão retirar as sanções contra Cuba enquanto a ilha não realizar reformas profundas em favor do povo. Já sobre a Venezuela, o americano disse que Maduro “desafiou o próprio povo, retirando poder de membros eleitos para preservar seu próprio governo, que é um desastre”.

 

Fontes:
Estadão-72ª Assembleia-Geral da ONU
Agência Brasil-Temer defende maior abertura do Brasil ao mundo em discurso na ONU

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

4 Opiniões

  1. laercio disse:

    O país está em uma crise! A mais profunda de todos os tempos! Vejam os índices de marginalidade, os casos de corrupção, a péssima educação nas escolas públicas, o crescimento do crime organizado, as cadeias lotadas, treze milhões de desempregados, prostituição, faltam indústrias nacionais, há privatizações exacerbadas… Estamos vivendo a maior crise de todos os tempos! Precisamos de uma intervenção militar ou de um presidente nacionalista mas que esteja disposto a “varrer” do país os apatridas e comissões de direitos que só apoiam o que é prejudicial ao país.

  2. Áureo Ramos de Souza disse:

    É vergonhoso ver um presidente que para mim não é,e que tem vários processos em seu país de origem mentir abertamente e dizer que o país vai bem obrigado.

  3. Ivone disse:

    Temer afirmou que o país está superando uma crise sem precedentes….
    Pergunta: será que esse país do Temer aceita imigrantes?
    Porque o país em que eu vivo continua atolado em crises: econômica,
    política, social, moral, ética e outras que nem me lembro mais….

  4. laercio disse:

    … Tem que falar bobagem mesmo! A ONU não se dá ao respeito e todo esse encontro serve para fazer propaganda dos interesses pessoais de seus participantes! O Temer mesmo, tem o que para mostrar, para falar? Não fez nada! O povo brasileiro nunca esteve tão as traças, a mercês de desgraças diversas, estão doentes e infelizes; crime e prostituição, junto com drogas, tinham conta do país de ponta a ponta! O crime organizado já tem até “prefeito”…
    E existem várias formas de residência os problemas mas não são adotadas porque vai tirar as regalias de uns poucos, os mesmos que moldam nossa constituição em favor dele menos Senna sequer dar um pequeno espaço para a população se virar.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *