Início » Brasil » Temer decide manter Geddel na Secretaria do Governo
ACUSADO DE INTERFERÊNCIA

Temer decide manter Geddel na Secretaria do Governo

Decisão visa evitar desgastes em meio a votações de projetos cruciais do governo. Geddel é acusado de interferir no Ministério da Cultura em benefício próprio

Temer decide manter Geddel na Secretaria do Governo
Geddel também é citado na Lava Jato e está envolvido na polêmica dos super salários (Foto: EBC)

O presidente Michel Temer decidiu manter Geddel Vieira Lima (PMDB) como ministro da Secretaria do Governo. Homem forte de Temer e responsável pela articulação política do governo em Brasília, Geddel é acusado de tentar interferir em benefício próprio nas decisões do Ministério da Cultura.

Na semana passada, o ex-ministro Marcelo Calero pediu demissão do Ministério da Cultura, argumentando sofrer de Geddel “uma pressão inacreditável” para suspender o veto imposto pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) a um empreendimento imobiliário em Salvador.

O órgão, que é vinculado ao Ministério da Cultura, embargou as obras do empreendimento porque o imóvel poderia ter no máximo 13 andares. No entanto, o projeto contava com 30 andares. Vários apartamentos do imóvel já haviam sido vendidos, incluindo uma unidade para Geddel no 23º andar.

Calero disse que Geddel pressionou para suspender o veto e chegou a ameaçar incluir Temer na questão, caso não fosse atendido. O fato foi revelado por Calero um dia após ele pedir demissão, em uma entrevista dada ao jornal Folha S. Paulo. No fim de semana, Geddel negou ter pressionado Caleiro. “Fiz a ele uma ponderação, trazendo uma informação que esse era um empreendimento que já havia sido licenciado e que era um assunto que, em função de disputas empresariais e locais, estava na Justiça”.

Um processo contra Geddel foi aberto na Comissão de Ética da Presidência da República para analisar se ele feriu o Código de Condutada da Alta Administração Federal ou a Lei do Conflito de Interesses. Se for considerado culpado, o órgão pode recomendar a Temer a exoneração de Geddel. A decisão, no entanto, depende apenas do presidente.

Temer decidiu manter Geddel no cargo para evitar desgastes num momento em que o governo vota propostas sensíveis, como a PEC dos gastos e a proposta de repatriação dos recursos. Porém, a decisão pode ter efeito oposto, já que esta não é a primeira dor de cabeça que Geddel traz ao governo Temer.

Além da acusação atual, Geddel também é citado na Operação Lava Jato por ter interferido em outra obra em Salvador, desta vez em benefício da empreiteira OAS, uma das investigadas pela operação. Ele também está envolvido na polêmica dos super salários do funcionalismo público, pois acumula o salário de ministro e da aposentadoria de deputado federal. Juntos os valores, o salário pago a Geddel soma R$ 51.288, verba paga pelos cofres públicos. O valor supera em muito o teto do funcionalismo público de R$ 33.763.

Diferentemente do ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, que também é alvo da polêmica mas se comprometeu a reduzir seu salário, Geddel disse que não pretende abrir mão de parte de seus vencimentos, pois diz ter amparo legal para recebê-los.

Fontes:
El País-Homem forte de Michel Temer, Geddel Lima balança no cargo, mas não cai

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

2 Opiniões

  1. Ludwig Von Drake disse:

    Até o momento, acerta o Temer: fez bem em dizer não à concussão esse ministro da cultura, mas ou ele apresenta-se as provas do que alega – e a PF faria o flagrante – ou se calasse. Provou que é um inútil, como se dizia desde o início. E um fofoqueiro.

  2. Mario Ascellio Macedo disse:

    Então pelo seu raciocínio o prédio a ser construído é fictício?. A quantidade de andares proposto no projeto também é fictício? O apartamento que Geddel comprou no vigésimo terceiro andar, onde só poderiam ser construído treze andares, também é fictício? Tampa-se o sol com a peneira.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *